Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Argentino cotado para presidir revisão do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares falará na UFSM



Embaixador Rafael Grossi. Foto: Dean Calma / IAEA

“Panorama global dos esforços de desarmamento e não proliferação de armas nucleares”. Este será o tema da Aula Magna da UFSM e palestra de encerramento do Seminário Internacional América do Sul na Era Nuclear: Riscos, Desafios e Perspectivas, a ser ministrada pelo embaixador argentino Rafael Grossi, no dia 21 de agosto. A palestra ocorrerá no Centro de Convenções do campus sede da Universidade, em Santa Maria, com início às 11h.

Atualmente, Grossi é embaixador da Argentina para a Áustria, Eslovênia e Eslováquia, e também atua como representante argentino em instituições internacionais como a Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA) e a Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento Industrial (UNIDO). Além disso, já foi Chairman do Nuclear Suppliers Group (NSG), um grupo que reúne representações de países que têm material nuclear para venda. A NSG busca contribuir para a não proliferação de armas nucleares ao fazer com que os países integrantes cumpram normativas de exportação.  

Entre livros e artigos publicados, os mais recentes tratam sobre a existência de uma área livre de armas nucleares na América Latina. Em seus escritos, Grossi apresenta tanto um resgate histórico sobre o desenrolar das negociações do tratado de Tlatelolco, também conhecido como o Tratado de Proibição de Armas Nucleares na América Latina e Caribe, como destaca a colaboração entre Brasil e Argentina com relação às pesquisas sobre os usos de energia nuclear.

O embaixador argentino é o principal candidato à presidência da Conferência de Revisão do Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP), agendado para 2020, em Nova Iorque. Seu nome foi lançado pelo presidente argentino Mauricio Macri, no ano passado, e recebeu o apoio dos países do Grupo América Latina e Caribe (GRULAC) e da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC).

O TNP é um acordo internacional que visa a impedir a disseminação das armas nucleares, promover a cooperação para os usos pacífico deste tipo de energia e alcançar o desarmamento nuclear. O Tratado foi assinado em 1º de julho de 1968, entrando em vigor em 1970. Desde então, um total de 191 países aderiram ao tratado. O Brasil é signatário desde 1998.

Confira vídeo do embaixador sobre o Seminário:

 

Sobre o Seminário

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a organização Pugwash Conferences on Science and World Affairs promovem, nos dias 20 e 21 de agosto, o Seminário Internacional América do Sul na Era Nuclear: Riscos, Desafios e Perspectivas. O evento reunirá autoridades, diplomatas, pesquisadores e representantes de grandes organizações internacionais relacionadas à temática. O seminário será realizado no Centro de Convenções da UFSM, em Santa Maria, e será aberto a toda a comunidade interessada, com inscrição gratuita.

Saiba mais

– Site do evento

– Programação

– Formulário de inscrição para ouvintes

– Prazo para inscrição no Seminário América do Sul na Era Nuclear é prorrogado até o dia 15

– UFSM vai sediar seminário internacional sobre energia nuclear em agosto

– Quem são os conferencistas do Seminário América do Sul na Era Nuclear

– Divulgados trabalhos selecionados para a Mostra Acadêmica do Seminário América do Sul na Era Nuclear


Publicações Recentes