Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Biologia na contemporaneidade foi tema de semana acadêmica em Palmeira das Missões



Imagem mostra um homem em pé, ao microfone, falando para pessoas em um auditório
Em sua 8ª edição, a Semana Acadêmica da Biologia ocorreu de 27 a 30 de agosto. Foto: Natalio Antunes

Durante os quatro dias da 8ª Semana Acadêmica da Biologia, que ocorreu de 27 a 30 de agosto, os alunos e professores do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas do campus de Palmeira das Missões debateram assuntos atuais da área e participaram de minicursos.

A palestra de abertura tratou das “Mulheres na ciência” e foi ministrada por Andréa Wieck Ricachenevsky. A palestrante abordou a temática de forma histórica, considerando dados que ainda apresentam as mulheres com alguma dificuldade de inserção do ambiente científico e discutiu as maneiras de enfrentar esses fatos, mostrando a capacidade feminina neste ambiente.

O doutorando Gilberto Cavalheiro Vieira ministrou a palestra “Biologia evolutiva do desenvolvimento e a origem das novidades fenotípicas”. A palestra buscou passear um pouco pela origem, desafios, questões abordadas, mecanismos e as consequências advindas desse novo campo da biologia evolutiva.

Para encerrar o primeiro dia de palestras, a professora Liliana Essi debateu o tema “Entendendo as gramíneas”. A professora buscou trazer um contexto geral sobre as gramíneas, grupo muitas vezes pouco valorizado e conhecido, mas de muita importância.

O dia seguinte de evento contou com a palestra “Cérebro, glicose e neurodegeneração: um elo a ser elucidado”, ministrada pelo professor Diogo Losch. O professor abordou, principalmente, a questão fisiológica do cérebro. Em seguida foi a vez da palestra “Tudo que você queria saber sobre sexo (das aves) e tinha vergonha de perguntar”, que teve como palestrante Cristian Beier. Durante a palestra, ele fez um resgate da origem embriológica intimamente ligada à evolução, campos que, posteriormente, foram separados pela falta de estudos capazes de explicar as relações entre os mesmos. O palestrante explicou também as características anatômicas relacionadas aos órgãos e constituintes da parte sexual das aves e falou sobre as formas de relações entre machos e fêmeas entre as diferentes espécies de aves. Por fim, comentou sobre o cardeal amarelo, ave ameaçada de extinção no Brasil, que tem população no Rio Grande do Sul, no parque do Espinilho.

Outra atividade da Semana Acadêmica da Biologia foi um relato de experiências de professores da rede básica de Ensino. Os professores Alexandre Bacega, André Amorin e Alana da Cruz Bueno, relataram a vivência em sala de aula e tiraram dúvidas dos alunos sobre os estágios. Para finalizar, ocorreu uma palestra intitulada “Inclusão escolar: com quem, para quem e como?” ministrada por Joíse Bertazzo, que buscou abordar a questão da inclusão a partir de dinâmicas de grupo, trabalhando as dificuldades de conhecer, de verdade, pessoas com deficiência, bem como a questão do bullying escolar, e também questões associadas ao autismo.

No último dia da semana acadêmica, foi realizada uma mesa-redonda intitulada “O impacto de agroquímico sobre a fauna e possíveis alternativas”. A professora Elaine Gonsales falou sobre o “Efeito dos agrotóxicos sobre os anfíbios” e abordou a consequência do uso de produtos químicos na biodiversidade de anfíbios. Em seguida, ocorreu a manifestação do professor Gerson Azulim Muller, intitulada “Relação dos agrotóxicos com os insetos”. O palestrante ressaltou o impacto econômico e ecológico da diminuição das abelhas, que são excelentes polinizadoras e dificilmente substituídas, e os prejuízos de sua extinção na agricultura. Por fim, foi a vez de Lucas Macedo, que debateu a “Evolução do controle biológico de pragas e patógenos em culturas agrícolas” e destacou a questão de substituir produtos químicos por biológicos, que são menos agressivos ao ambiente, garantindo maior equilíbrio biológico e menos esgotamento do solo.

Para finalizar as palestras, os mestrandos James Londero e Rayana Feltrin, juntamente com a doutoranda Manoela Getelina, falaram sobre “Respostas ao estresse genotóxico”.

Durante o evento, os estudantes também tiveram a oportunidade de participar de quatro minicursos: ilustração científica; produção e uso de imagens na escrita acadêmica; técnicas de cultivo de bonsai; modelos didáticos.

Com informações da Assessoria de Comunicação do Campus de Palmeira das Missões


Publicações Recentes