Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano
Início do conteúdo

Formula UFSM vai participar com seu 10º protótipo na competição da SAE Brasil

Pessoas contemplam o protótipo do carro, nas cores preto e vermelho, no hall do CT
Novo protótipo foi apresentado na quinta (22)

A Equipe Formula UFSM vai participar entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro da 15ª Competição Formula SAE Brasil, que ocorre no Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo, em Piracicaba (SP). A equipe representa a UFSM projetando, desenvolvendo, construindo, testando e competindo com veículos monopostos open-wheel.

Criado em 2004, o Formula SAE é um projeto extracurricular mundialmente conhecido que vem sendo desenvolvido pela equipe dentro da UFSM desde 2010, estimulando os alunos de engenharia a desenvolver veículos do tipo fórmula, com o intuito de participar da competição.

Hoje a equipe da UFSM conta com 30 integrantes, alunos de graduação, oriundos de praticamente todos os cursos de engenharia. O coordenador é o professor Mario Eduardo Santos Martins, do curso de Engenharia Mecânica, que conta com a parceria de dois professores orientadores: Roberto Hausen, do mesmo curso, e Fernando Bayer, do Colégio Técnico Industrial de Santa Maria (Ctism).

“Todo ano, após a competição, nos reunimos e definimos os novos objetivos e metas para a próxima temporada. No nosso organograma, abaixo dos professores estão o capitão e o diretor técnico, que são responsáveis por comandar os trabalhos. Abaixo disso temos a divisão em oito subsistemas, sendo eles: aerodinâmica, freios, chassis, suspensão, manufatura, motor e elétrica. Geralmente, temos a fase de design (projeto) até abril, então iniciamos a fabricação que vai até meados de agosto e então começamos a fase de testes. Por fim temos o lançamento e a ida à competição”, aponta Carlo  Rocchi, integrante da Formula na parte de Business e Manufatura, sobre o processo de construção dos veículos.

Para a fabricação, a equipe faz a maior parte possível dentro da oficina, porém sempre conta com um grande auxílio dos laboratórios da UFSM, como o Núcleo de Automação e Processos de Fabricação (Nafa), laboratórios do Ctism, Grupo de Pesquisa em Motores, Combustíveis e Emissões (GPMot) e também o Laboratório de Desenho Industrial. Além disso, há o apoio de muitos patrocinadores, que por vezes fornecem matérias-primas ou métodos de fabricação. A fase de testes é realizada na UFSM e no Kartódromo Olhos d’Água, localizado em Cruz Alta.

Em torno de 20 componentes da equipe Formula UFSM, de camiseta vermelha, posam junto ao protótipo do carro, no hall do CT
Equipe Formula UFSM e o novo protótipo

A Equipe Formula UFSM tem uma longa trajetória de sucesso na competição. Nos anos de 2012 e 2015, obtiveram o 2º lugar. Estar entre os dois primeiros lugares garante a participação nas competições americanas da Formula SAE. Na última competição, a equipe conseguiu o 5º lugar e neste ano buscam a primeira colocação. “Ano passado tivemos como destaque a obtenção do segundo lugar na prova de enduro, a mais valiosa da competição, que testa a resistência e confiabilidade dos protótipos”, conta Carlo.

A competição envolve a avaliação do carro em provas dinâmicas e estáticas. As provas dinâmicas consistem em aceleração, skidpad, autocross e enduro. Já as provas estáticas envolvem apresentações de projeto (design), custos e negócios (business). A cada ano aumenta o número de equipes participantes, o que torna a competitividade cada vez maior. Neste ano, a Formula SAE conta com mais de 50 equipes inscritas somente na categoria combustão. Como é a única competição da América Latina, cada vez mais participantes de outros países se inscrevem, como os da Argentina e Colômbia.

Neste ano a Formula UFSM lançou o seu 10º protótipo, o Sefton FU-19, que tem como principal diferencial em relação aos demais o extenso cronograma de testes e validação realizados. O protótipo foi lançado nesta quinta-feira (22) no hall do prédio do Centro de Tecnologia. “Neste ano otimizamos diversas peças, de maneira a extrair o máximo do veículo. Também passamos mais de 400 km no dinamômetro, para uma melhor calibração do motor, garantindo uma operação mais segura e extraindo mais potência dele”, aponta Carlo.

Segundo ele, é de extrema importância representar a UFSM na competição, dado que há somente dois representantes gaúchos na competição – a outra equipe é da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. De algumas outras regiões, como nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro, há um número muito mais significativo de participantes. A construção do protótipo engloba não somente a sua fabricação, mas toda a fase de projeto, que envolve estudar ao máximo o estado da arte e as literaturas disponíveis sobre a parte que se está fabricando.

“Como resultado, temos expressivas publicações e resultados no âmbito acadêmico, como publicações em jornais especializados e também a ampla realização de Trabalhos de Conclusão de Curso pelos alunos aqui dentro da equipe. Ademais, a produção de um veículo é um exercício de engenharia, uma forma de podermos aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula. A equipe é também um lugar onde aprendemos a trabalhar em grupo, dialogar, ser proativos e adotar as melhores práticas de gestão”, aponta.

Texto: Laura Coelho de Almeida, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias

Edição: Lucas Casali

Fotos: Divulgação