Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM e ONU desenvolvem plataformas para melhorar a comunicação de meios rurais da América Latina



Foto colorida horizonta, mostrando pessoas em reunião em uma sala, algumas de lado, em uma mesa, e outras sentadas de costas ao fotógrafo
Missão do projeto Lazos realizada no Paraguai em novembro de 2018, com presença de professores da UFSM

O Projeto Lazos, criado em 2018, é uma parceria entre a UFSM e a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação
(ONU/FAO). O projeto de pesquisa e extensão objetiva o desenvolvimento de plataformas tecnológicas que proporcionem a identificação, o mapeamento e a análise das práticas comunicacionais em regiões rurais da América Latina, tendo como base o projeto Mais Algodão, coordenado pela FAO na América Latina e Caribe, sediada em Santiago, Chile.

A parceria entre a UFSM e a ONU surgiu a partir do contato da professora Carlise Schneider Rudnicki, do Departamento de Ciências da comunicação, e a coordenadora do FAO América Latina e Chile, Adriana Gregolin, durante a edição de 2017 do Congresso da Sociedade Brasileira de Economia.

O Lazos se justifica pela demanda crescente do reconhecimento das práticas e saberes locais, a fim de desenvolver políticas públicas e projetos de desenvolvimento territoriais geridos pelas comunidades e levando em conta as particularidades culturais. O grupo que integra o projeto é composto por professores, técnico-administrativos, alunos de graduação e participantes externos à universidade.

O projeto criou um videoclipe, apresentado em uma das edições da Polifeira da UFSM, que mostra as missões de trabalho no Paraguai, Haiti, Equador e Peru. O audiovisual é resultado do trabalho de conclusão de curso da estudantes de Relações Públicas Ludmila Dias Diefenbach, integrante do projeto orientado pela professora Carlise.

O trabalho buscou, a partir da experimentação de metodologias comunicacionais, a organização de um audiovisual que objetiva relatar o trabalho realizado em 2017 e 2018, período de construção e experimentação da metodologia pelos agricultores da Polifeira,
organizada pelo Colégio Politécnico.

O audiovisual documenta o projeto na Polifeira e serve de base e sensibilização para o Mais Algodão. As missões ocorrem na abertura do projeto em cada país, e no decorrer do ano, nas oficinas, como estratégia de formação para que os alunos de escolas técnicas dos países usem e se apropriem da plataforma.

Na Plataforma Lazos, buscou-se desenvolver uma metodologia de apoio a instituições que promovam o desenvolvimento rural a efetivarem métodos e processos de comunicação mais eficazes e democráticos com os atores sociais em questão. Assim, com base nesse projeto experimental, a plataforma poderá ser readaptada e replicada em outros países abrangidos pelo Projeto Lazos, possibilitando resultados mais positivos e a utilização de recursos públicos de forma mais eficaz.

O Projeto Lazos também conta com missões de trabalho, viagens que buscam entender e contextualizar cada país, os atores envolvidos e construir as parcerias com os ministérios de Agricultura e escolas técnicas agrícolas. Somente após as visitas iniciais foram firmadas as parcerias e, depois, organizadas as oficinas a partir das demandas das famílias agricultores. As oficinas realizadas nas missões são relacionadas aos temas comunicação para o desenvolvimento, tecnologias de informação e de comunicação (TICs) e produção de conteúdo nas redes digitais.

Pela UFSM, quem participa das missões é a professora Carlise Schneider Rudnicki, como coordenadora do projeto, e o professor Francisco Ritter, do Departamento de Psicologia.

As missões são definidas pela FAO, pelo Ministério de Agricultura e pela Ganaderia do Paraguai (secretaria da agricultura), em conjunto com os professores integrantes do projeto: Carlise, Ritter e Ada Silveira Machado, do Departamento de Ciências da Comunicação.

A primeira missão do projeto ocorreu em novembro de 2018, em Villarrica, no Paraguai, com a participação de Carlise e Ritter.

Texto: Laura Coelho de Almeida, acadêmica de Jornalismo, bolsista
da Agência de Notícias

Foto: Divulgação


Publicações Recentes