Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto do curso de Farmácia realiza exames laboratoriais gratuitos em unidade de saúde de Camobi



Foto de paciente sendo preparado para doar sangue
Serviço de coleta de sangue é disponibilizado para a comunidade de Camobi e moradores da CEU

Um projeto realizado por acadêmicos do curso de Farmácia faz exames laboratoriais gratuitos para a comunidade de Camobi e bairros próximos na Unidade de Saúde Básica Walter Aita. Intitulado “Interação dos acadêmicos do curso de Farmácia com pacientes atendidos em uma unidade de saúde em Santa Maria”, esse projeto de extensão é coordenado pela farmacêutica Marinês Calegari Lavall, servidora técnico-administrativa da UFSM. Participam a cada semestre seis acadêmicos matriculados na Disciplina Complementar de Graduação (DCG) Práticas em Laboratório Clínico, ministrada pela professora Thissiane de Lima Gonçalves Bernasconi.

Semanalmente, os acadêmicos visitam a unidade básica de saúde, onde realizam coletas de sangue, urina e fezes, conforme solicitação médica. Essas amostras são separadas entre aquelas que serão levados para um laboratório externo e as que serão analisadas pelos alunos no setor de hematologia e urinálise do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas da UFSM, vinculado ao curso de Farmácia. Quando os resultados ficam prontos, são digitados e levados à unidade de saúde na semana seguinte. Cerca de 15 pacientes são atendidos por semana e, ao todo, foram analisados 587 exames nos meses de abril, maio e junho de 2019.

Os atendimentos se estendem também a pacientes que estão debilitados e acamados. Nesses casos, a coleta das amostras é feita no domicílio do paciente. Alunos moradores da Casa do Estudante Universitário (CEU) também podem fazer estes exames no departamento – localizado no 2º andar do prédio 26 do campus sede – com os participantes do projeto. Um dos participantes é André Lucas Pacheco, acadêmico do 6º semestre de Farmácia. Segundo ele, o projeto é muito importante, pois oportuniza o cuidado com a saúde aos estudantes, que, apesar da preocupação, normalmente não possuem tempo para se deslocar a unidades de saúde.

No âmbito do projeto, também são elaboradas cartilhas educativas que abordam os seguintes temas da área da saúde: coleta de sangue, coleta de urina, diabetes, dislipidemias, doenças cardiovasculares, gestação e anemia. As cartilhas são distribuídas para futuras atividades de orientação realizadas pelos alunos para os pacientes atendidos na unidade de saúde.

Fotografia de três pessoas observando amostras com uso de microscópios
Alunos e supervisora analisam amostras no laboratório

O projeto teve início em 2005 na Unidade de Saúde da Vila Maringá, quando o então professor do curso de Farmácia José Édson Paz da Silva constatou a dificuldade da população da região sul da cidade para realizar exames laboratoriais simples, pois para isto tinham que se deslocar até locais distantes de onde moram. Com o intuito de aliar a prática dos alunos do curso de Farmácia à necessidade da população local, criou e implementou uma parceria com o Município, para que os graduandos atuassem nas unidades de saúde, na coleta de material e na análise laboratorial. Posteriormente o local foi alterado para a Unidade de Saúde Walter Aita, devido à proximidade com a UFSM.

O objetivo do projeto, para a coordenadora, é facilitar o acesso da comunidade à realização dos exames, principalmente para os acamados que precisam de atendimento domiciliar, para que não tenham que ir até o Centro. Além disso, coloca os alunos em contato com a realidade do paciente, algo que não teriam em aula teórica. A acadêmica do 7º semestre de Farmácia Mônica Grellmann vê o projeto como uma oportunidade para um maior convívio do estudante com o paciente e sua realidade, além da experiência nas práticas de laboratório clínico. Dessa forma, os estudantes podem enriquecer o perfil profissional e atuar com qualidade no amparo ao paciente.

As coletas são feitas todas as quartas-feiras, a partir das 8h, para a comunidade e residentes da CEU, gratuitamente, na Unidade Básica de Saúde Walter Aita, localizado na Rua Luiz Petry, no bairro Camobi.

Texto e fotos: Ana Laura Iwai, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias

Edição: Lucas Casali


Publicações Recentes