Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Três projetos de desenvolvimento tecnológico da UFSM são aprovados no programa Doutor Empreendedor da Fapergs



Os projetos para desenvolvimento de processos e produtos inovadores dos empreendedores Michel Rocha da Silva, Cristiane Graepin e Betania Vahl de Paula foram recentemente aprovados no programa Doutor Empreendedor. Os três projetos receberão apoio financeiro para finalizarem o desenvolvimento de suas tecnologias e serem colocados rapidamente no mercado.

Os projetos estão sendo desenvolvidos em empresas incubadas na Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec) da UFSM, das quais os contemplados são sócios. Todos concluíram seus doutorados em Programas de Pós-Graduação da UFSM e esta formação foi de grande importância para fortalecer e qualificar as propostas submetidas.

O edital do programa foi lançado em outubro de 2019 pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs), em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Rio Grande do Sul (Sebrae/RS). O objetivo do programa Doutor Empreendedor é fomentar projetos de pesquisa e desenvolvimento de produtos (bens e serviços) ou de processos inovadores realizados por doutores apoiados por instituições científicas, tecnológicas e de inovação (ICT), públicas ou privadas, e sem fins lucrativos, sediadas no Rio Grande do Sul.

O processo de seleção foi dividido em três etapas: análise documental, avaliação das propostas e apresentação e defesa oral perante comissão julgadora. Durante este processo a Agittec auxiliou os proponentes na qualificação e lapidação das propostas.

A sócia da empresa Performance Vegetal Betania Vahl de Paula destacou a importância desse apoio recebido. “Agradeço à Coordenadoria de Empreendedorismo da Agittec, pois quando passei para a terceira etapa pedi para montarem uma banca treino para nós, e prontamente nos ajudaram. Os membros da banca treino deram dicas preciosas pra mim e para o Michel”, afirma.

O coordenador de Empreendedorismo da Agittec, Silon Procath, frisa que o apoio da Fapergs é fundamental para startups ganharam velocidade no desenvolvimento de seus produtos e uma chancela de qualidade nos projetos desenvolvidos pelas três empresas incubadas na Agittec.

Conheça os projetos aprovados da UFSM:

Aplicativo para prever o período residual de fungicidas em soja
Pesquisador: Michel Rocha da Silva, recém doutor do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da UFSM.
Tutor acadêmico: Nereu Augusto Streck e Alencar Junior Zanon, professores do Departamento de Fitotecnia da UFSM.
Resumo do projeto: Será desenvolvido um aplicativo para monitorar e prever intervalo entre aplicações de fungicida (pesticida que destrói ou inibe a ação dos fungos que geralmente atacam as plantas) em soja. O aplicativo informará o produtor quando o período residual do fungicida estiver abaixo do nível mínimo para controlar as doenças das plantas. Esse período vai variar de acordo com o ambiente (chuva, temperatura, sol).

Sistema de eletrocoagulação-flotação: uma unidade de tratamento de águas e efluentes inovadora para demandas eventuais e remotas do saneamento básico
Pesquisador: Cristiane Graepin, recém doutora do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil do Centro de Tecnologia da UFSM.
Tutor acadêmico: Elvis Carissimi, professor do Departamento de Engenharia Sanitária e Ambiental do Centro de Tecnologia da UFSM.
Resumo do projeto: a nova tecnologia de tratamento de água e efluentes oportunizará um avanço ao saneamento básico brasileiro, auxiliando na meta de universalização do saneamento definida no objetivo de desenvolvimento sustentável 6 da Agenda de 2030 da Organização das Nações Unidas, bem como na sustentabilidade ambiental e melhoria de qualidade de vida da população.

Plataforma inovadora para ajudar na estimativa da necessidade de adubação em culturas, aumentando a produtividade e diminuindo os riscos de contaminação ambiental
Pesquisadora: Betania Vahl de Paula, recém doutora do Programa de Pós-Graduação em Ciência do Solo da UFSM.
Tutor acadêmico: Gustavo Brunetto, professor do Departamento de Solos do Centro de Ciências Rurais da UFSM.
Resumo do projeto: Desenvolvimento de uma plataforma que a partir de resultados de análises foliares gera faixas de suficiências de nutrientes para as mais diversas culturas. Pode ser utilizada por técnicos e produtores como uma ferramenta na hora de planejar a adubação. Este projeto tem grande potencial de crescimento por ser viável para várias culturas e por ter grandes benefícios financeiros para os agricultores, visto que poderá contribuir para melhorar a adubação em cultivos, gerando uso racional de fertilizantes, incremento de produtividade ou de qualidade, aliado a redução do risco de contaminação do meio ambiente.

Para o tutor do projeto encaminhado por Michel Rocha da Silva, professor Nereu Augusto Streck, os resultados já atingidos com a pesquisa realizada são uma garantia de que a ferramenta vai funcionar no campo. “Ou seja, teremos a chancela da comunidade científica em uma ferramenta que vai auxiliar o produtor rural no manejo da sua lavoura”, explica.

O resultado do edital foi divulgado na última sexta-feira (17). Confira todos os projetos selecionados aqui.

Texto: Luana Giazzon, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agittec


Publicações Recentes