Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Live “A voz e a palavra do Movimento Negro na Constituinte” ocorre nesta terça (27)



O Grupo de Estudos e Pesquisas em Democracia e Constituição, liderado pela professora Nina Trícia Disconzi Rodrigues e vinculado ao curso e Programa de Pós-Graduação em Direito (PPGD) da UFSM, receberá a pesquisadora e professora Natália Neris dos Santos para uma live nesta terça-feira (27), às 18h, com o tema “A voz e a palavra do Movimento Negro na Assembleia Nacional Constituinte de 1988”. O evento ocorrerá através de transmissão ao vivo no canal do PPGD-UFSM no YouTube.

No Brasil, a desigualdade racial vem sendo denunciada pelo Movimento Negro através do séculos. Nesse ínterim, é imprescindível entender de que modo se deu a tematização do racismo e as questões raciais no momento que inaugura as possibilidades de interlocução entre a sociedade civil e as instituições formais do Estado: a Assembleia Nacional Constituinte (ANC) de 1987-1988.

Partindo de tal premissa, a pesquisadora Natália Neris desenvolveu, em 2015, uma dissertação fundamental na compreensão das demandas do movimento negro no contexto da ANC. Ainda, é possível compreender os argumentos mobilizadores para sustentar a necessidade e viabilidade da inserção dos pleitos do Movimento Negro no texto constitucional, e por fim, quais destas demandas foram incluídas na CRFB/88.

Natália é doutoranda em Direitos Humanos na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (FD-USP), mestra em Direito pela Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Atua em projetos de pesquisa no Grupo de Estudos e Pesquisas das Políticas Públicas para a Inclusão Social da Universidade de São Paulo e Núcleo de Direito e Democracia do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (NDD/Cebrap). Foi professora no curso de graduação em Serviço Social na Faculdade Paulista de Serviço Social de São Paulo (FAPSS-SP) entre 2015 e 2016. Atualmente é pesquisadora no InternetLab – Pesquisa em Direito e Tecnologia onde coordena a linha Desigualdades e Identidades.

Mais informações no link.


Publicações Recentes