Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Sexta fase do projeto Flores para Todos no Brasil teve recorde de produção



Produção de statice, flor inserida no projeto em 2020, em Dilermando de Aguiar

As Equipes PhenoGlad de vários estados brasileiros e a Emater/RS-Ascar divulgaram na terça-feira (5) o balanço oficial da sexta fase do projeto Flores para Todos, realizada entre julho e dezembro de 2020. Nesta edição, que visou à produção de gladíolos para o Dia dos Finados e o Natal, participaram 20 produtores rurais e três escolas rurais de 20 municípios gaúchos, três produtores rurais de dois municípios catarinenses, três instituições de três municípios paranaenses e uma instituição pernambucana. Com isso, a produção de gladíolos foi a maior de todas as etapas, resultando em colheita recorde de 11,4 mil hastes florais.

Realizado em meio à pandemia de Covid-19, o Flores para Todos precisou de adaptações para não ser interrompido no segundo semestre de 2020. As visitas técnicas presenciais às propriedades e escolas participantes, diferentemente das etapas anteriores, foram suspensas. Por isso, todo o acompanhamento e suporte prestado pelas Equipes PhenoGlad de vários estados brasileiros e pela Emater/RS-Ascar ocorreram por canais digitais.

De acordo com o professor Nereu Streck, da Equipe PhenoGlad do campus sede da UFSM, todas as medidas de distanciamento foram tomadas para garantir a segurança dos produtores e das pessoas que contribuem com o projeto, como extensionistas e universitários. “Como não podíamos acompanhar a produção presencialmente nas lavouras, mantivemos contato com todas as famílias e escolas pelo telefone, aplicativos de mensagens e redes sociais. Também disponibilizamos vídeos sobre os principais manejos, como adubação, tutoramento e colheita, e cada participante ganhou um exemplar do livro ‘Gladíolo: Fenologia e manejo para produção de hastes e bulbos’. Assim, conseguimos passar as orientações e manejos de forma clara e rápida, sem que os participantes tivessem problemas”, explica.

Na região Norte do RS, o assessoramento aos produtores também seguiu as medidas de biossegurança contra a Covid 19. “Toda assistência e orientações foram remotas, com auxílio do aplicativo WhatsApp, devido à pandemia”, explica a professora Gizelli Moiano de Paula, coordenadora da Equipe PhenoGlad na UFSM Campus Frederico Westphalen. Ela conduziu o projeto Flores para Todos em duas produtoras rurais nos municípios de Chapada e Frederico Westphalen, onde foram produzidas 800 hastes florais de gladíolo. “Na produtora Leticia Helena Tomm Dalcin, de Frederico Westphalen, conseguimos fazer duas visitas presenciais”, acrescenta.

Segundo Gizelli, ambas as produtoras nunca tinham produzido gladíolos e gostaram de produzir a flor. “A produtora Letícia cultiva morangos em Frederico Wesphalen e adorou diversificar sua renda com os gladíolos do projeto Flores para Todos. Já a produtora de Chapada, Zenair Beatriz Giacobbo Chitolina, aproveitou e conseguiu cuidar os gladíolos durante os finais de semana, pois durante a semana ela e o esposo trabalham numa propriedade agrícola. Ela e o filho venderam os arranjos com gladíolos na sede do município de Chapada”, conclui a professora.

Nova flor de corte e parceria inédita

A sexta fase do projeto também marcou a introdução, ainda em fase de testes, de uma nova flor de corte em algumas das lavouras participantes no Rio Grande do Sul. A espécie plantada foi a statice (Limonium sinuatum Mill. (L.)), devido ao fácil manejo, baixo custo de produção, rusticidade e longa duração pós-colheita. Segundo Nereu Streck, a produção dos primeiros testes em sete lavouras de seis municípios gaúchos (Dilermando de Aguiar, Pinto Bandeira, Cachoeira do Sul, Silveira Martins, São João do Polêsine e Júlio de Castilhos) foi de aproximadamente 18 mil hastes florais, e os resultados estão sendo avaliados para que a statice possa ser incluída em mais locais de cultivo nas próximas edições do projeto.

Outra novidade desta etapa foi o início de uma parceria com o Projeto Estratégico Geoparque Quarta Colônia, da UFSM, que conduz estratégias e ações para promover o desenvolvimento sustentável do território da Quarta Colônia de Imigração Italiana, na região central do Rio Grande do Sul. O objetivo é possibilitar a participação simultânea das famílias da região em ambos os projetos. Duas famílias gaúchas participaram do projeto cultivando gladíolos e statice, uma em Silveira Martins e outra em São João do Polêsine.

Novidades para 2021

O ano de 2021 vai ser de mais novidades no projeto Flores para Todos em vários estados brasileiros, garante o professor Nereu Streck. “Desde julho de 2020 estamos trabalhando fortemente em nível nacional e com parcerias internacionais para trazer cada vez mais novidades aos produtores brasileiros de flores. Já introduzimos a statice na sexta fase do projeto e teremos novas espécies de flores de corte na sétima e oitava fases, que acontecem no primeiro e no segundo semestres de 2021, respectivamente”, afirma Streck. “As Equipes PhenoGlad de todo Brasil estão trabalhando duro e com determinação para que tenhamos inovações em cada nova fase do projeto, pois nosso foco é trazer alternativas de renda, através da floricultura, para as famílias rurais brasileiras”, acrescenta. 

Confira os municípios que fizeram parte da sexta fase do projeto Flores para Todos no 2º semestre de 2020:

Rio Grande do Sul
– Toropi (Família Rodrigues)
– Cachoeira do Sul (Família Mayer)
– Júlio de Castilhos (EEEF Nossa Senhora Aparecida e EEEF Carlos Gomes)
– Herveiras (Família Siqueira)
– Pantano Grande (Família Duarte)
– Encruzilhada do Sul (Família Silveira)
– Passa Sete (Família Morsch)
– Tunas (Família Wust)
– Segredo (Família Giehl)
– General Câmara (Família Azambuja)
– Lagoa Bonita do Sul (Família Carvalho)
– Chapada (Família Giacobbo Chitolina)
– Frederico Westphalen (Família Tomm Dalcin)
– Passo Fundo (Família Casanova e Família Pollo)
– Lagoa Vermelha (Família Rech e EE Técnica Agrícola Desidério Finamor)
– São Pedro da Serra (Família Schlindwein e Família Simmi)
– Estrela (Família Secchi)
– São José do Sul (Família Fuhr)
– Pareci Novo (Família Schallenberger)

Santa Catarina
– Curitibanos (Guiomar Pereira de Sousa)
– Rio do Sul (Hilda Ricobom e a Vandreia Teixeira)

Paraná
– Dois vizinhos (Campus da UTFPR)
– Palotina (Campus da UFPR)
– Laranjeiras do Sul (Campus da UFFS)

Pernambuco
– Petrolina (Campus da Univasf)

Mais informações sobre o Flores para Todos no site.

Foto: Divulgação

 


Publicações Recentes