Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Pesquisas desenvolvidas nas universidades podem se inscrever no Programa Catalisa ICT, do Sebrae



As pesquisas desenvolvidas nas universidades brasileiras e que gerem produtos para o mercado ganham um aliado importante com o programa do Sebrae Nacional Catalisa ICT, que está com inscrições abertas até 24 de janeiro. De acordo com o gestor de Projetos de Inovação Mercado e Serviços Financeiros do Sebrae RS, Gustavo Moreira, essa iniciativa ofertará capacitação em atitudes empreendedoras e conexão com necessidades empresariais, entre outros benefícios.  

O objetivo é acelerar e fomentar negócios inovadores de base tecnológica por meio da criação de empresas – spin-off tecnológica – por mestres/mestrandos e doutores/doutorandos, transferência de tecnologia de pesquisadores/universidades para empresas e inserção de mestres/mestrandos e doutores/doutorandos, capital humano qualificado, em pequenos negócios. O start será no dia 23 de novembro, junto às ICTs (Instituições de Ciência e Tecnologia), onde serão abordadas as chamadas por editais de pesquisas e de projetos, que serão realizadas em três momentos.

Na primeira etapa, haverá a seleção de pesquisas com potencial de inovação, com duração de dois meses e foco em pessoas físicas – mestres/doutores, mestrandos e doutorandos. O segundo momento será para seleção de planos de inovação, com duração de 12 meses e também voltado a pessoas físicas – mestres/doutores, mestrandos e doutorandos. Já a terceira fase servirá para seleção de projetos de PD&I, duração de 12 meses, com foco em pessoas jurídicas.

O Programa Catalisa ICT é realizado em parceria com o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), CNPq, Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (Anpei), Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec) e fundações de amparo à pesquisa.  O programa será lançado a todos os estados brasileiros e a meta é chegar a 1 mil pesquisadores, 270 planos de inovação selecionados e 135 empresas apoiadas com projetos de PD&I.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Agittec


Publicações Recentes