Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Professora da UFSM é uma das idealizadoras da Rede Sul de Restauração Ecológica



Reunião virtual efetivou a criação da Rede Sul de Restauração Ecológica

Uma reunião virtual marcou, nesta quinta-feira (22), a efetivação da Rede Sul de Restauração Ecológica, iniciativa da sociedade civil que reúne profissionais vinculados às temáticas da conservação e restauração de ecossistemas no sul do Brasil. A professora Ana Paula Rovedder, do Departamento de Ciências Florestais da UFSM e coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas em Recuperação de Áreas Degradadas (Neprade), é uma das idealizadoras da Rede.

Na esteira do que acontece em outros estados e biomas brasileiros, onde redes de restauração já são uma realidade, a iniciativa tem por missão “reunir esforços em prol da restauração e integrá-los entre os atores da restauração ecológica no sul do Brasil; comunicar à sociedade em geral a importância de conservar remanescentes de vegetação natural e de recuperar áreas degradadas; divulgar e incentivar estudos associados a diferentes setores da restauração ecológica no sul do Brasil.” 

Segundo Ana Rovedder, o RS é o único estado da federação onde ocorre o bioma Pampa, e ainda possui áreas expressivas do bioma Mata Atlântica. “É preocupante o contexto de contínuas perdas de áreas devido à conversão de remanescentes, associado ao atrasado na instituição de políticas ambientais em prol da restauração ecológica de ecossistemas degradados”, afirma.

Participam da idealização da Rede profissionais ligados a universidades públicas, analistas ambientais, professores, estudantes de pós-graduação, extensionistas, organizações não governamentais, setor empresarial e profissionais liberais. Novos atores podem se integrar à Rede, como, por exemplo, produtores rurais e representantes de diferentes organizações sociais.

A professora esclarece que os próximos passos serão estruturar a Rede para iniciar ações dentro de suas metas de atuação e popularizar o tema da restauração de ecossistemas junto à sociedade gaúcha.

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes