Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM investe R$ 2 milhões em obras de prevenção contra incêndio em 13 prédios



Obras no prédio da Reitoria começaram no dia 1º de fevereiro

No primeiro semestre do ano passado, a UFSM recebeu R$ 2 milhões do Ministério da Educação (MEC) para realizar a execução dos projetos do Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio (PPCI).

Ao todo, 13 edificações em Santa Maria estão recebendo melhorias na estrutura: os prédios 32, 33, 34, 35 e 36 da Casa do Estudante Universitário (CEU), o prédio da Reitoria e os prédios básicos (17, 18, 19, 20 e 21), todos eles localizados no campus sede, assim como Museu Gama d’Eça – cujas obras foram concluídas neta semana – e o prédio da CEU no centro da cidade.

Nestes locais, estão sendo executadas medidas de prevenção e proteção contra incêndio, tais como: instalação de portas corta-fogo, instalação e/ou adequação do sistema de hidrantes, iluminação de emergência, alarmes de incêndio, detecção de incêndio e adequação de escadas de emergência, entre outras obras, a depender da necessidade de cada prédio.

O critério de seleção para definição de quais edificações receberiam tais adequações foi de acordo com a lista de prioridades definidas junto ao Ministério Público Federal. “O Ministério Público acompanha a execução dos PPCI da UFSM e, em conjunto com a UFSM e o Corpo de Bombeiros, definiu uma lista de ordem de execução, sabendo que não há como executar todos ao mesmo tempo”, explica Ísis Portolan dos Santos, pró-reitora adjunta de Infraestrutura.

“Desde 2013, a UFSM vem agindo intensamente neste sentido. Há um Núcleo de Prevenção de Incêndios (NPI) na Pró-Reitoria de Infraestrutura (Proinfra) que faz o acompanhamento das atividades. Independente das adequações que estão sendo realizadas, os prédios da UFSM possuem as medidas básicas de segurança contra incêndio, como sinalização de emergência, saídas de emergência, iluminação de emergência e extintores, além do treinamento para os usuários, fornecido também pelo NPI. As medidas que necessitam de obras são ainda complementares, e dependem da classificação de risco das edificações”, explica a pró-reitora adjunta.

Além disso, existe a perspectiva de que novos prédios possam ser adequados ao PPCI. Para isso, a Proinfra solicitou recursos em abril deste ano ao MEC e aguarda uma resposta oficial do ministério.

Prazos de execução de cada obra:

CEU Centro
Início: 18 de fevereiro
Execução até 18 de junho
Empresa responsável: José Ruan Herbstrith de Lara

CEU Campus (prédios 32 ao 36)
Início: 18 de janeiro
Execução até 17 de junho
Empresa responsável: José Ruan Herbstrith de Lara

Prédios básicos (17 ao 21)
Início: 18 de janeiro
Execução até 17 de julho

Empresa responsável: José Ruan Herbstrith de Lara

Museu Gama d’Eça
Início: 18 de fevereiro
Concluída nesta semana
Empresa responsável: José Ruan Herbstrith de Lara

Prédio da Reitoria
Início: 1º de fevereiro
Execução até 1º de julho
Empresa responsável: Apaque Comércio de Equipamentos de Combate a Incêndio

Texto: Juan Grings, acadêmico de Jornalismo e bolsista da Agência de Notícias

Edição: Lucas Casali

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes