Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM recebe emenda parlamentar de R$ 100 mil para criação de um Centro de Convivência Negra



Ofício referente à emenda parlamentar foi entregue no Gabinete do Reitor

Na primeira semana de junho, a UFSM recebeu ofício referente a uma emenda parlamentar no valor de R$ 100 mil, da deputada federal Maria do Rosário, com o objetivo de estimular a igualdade racial e enfrentar o racismo estrutural no Brasil. O recurso será destinado à implementação de um Centro de Convivência Negra.

O valor auxiliará na construção do centro, por meio da aquisição de equipamentos que permitam uma estrutura física para tornar possível as atividades e projetos, voltados à educação étnico-racial. O objetivo é capacitar, organizar e empoderar a população negra, além de colaborar para o fortalecimento de práticas antirracistas. O centro funcionará no prédio da antiga reitoria da UFSM, e sua organização e gestão ficará a cargo do Observatório de Direitos Humanos (ODH), que servirá como articulador com movimentos sociais, coletivos negros e cursinhos populares.

“Há alguns anos, alunos negros da UFSM foram vítimas de racismo e tiveram seus nomes expostos em uma sala por pessoas que os queriam fazer crer que ali não era o seu lugar. Essa agressão ataca não somente um, mas todos os estudantes negros de nossa instituição, que constantemente ousam ultrapassar as barreiras sociais que lhes foram impostas e demonstram que podem ocupar todos os espaços em nossa sociedade. O objetivo dessa emenda é transformar o que antes era um espaço que evidenciava o preconceito em um local de resistência e organização intelectual, social e política da comunidade negra de nossa instituição e cidade. Este Centro de Convivência Negra será um polo para a realização de ações e atividades de promoção de igualdade racial, de reconhecimento e combate ao racismo, preconceitos e violências que ainda assolam e fazem parte não só da UFSM, mas da sociedade como um todo”, conta o chefe do ODH, Victor De Carli Lopes.

O ato da entrega do ofício contou com a presença do reitor Paulo Afonso Burmann, do vice-reitor Luciano Schuch, do chefe do ODH e do pró-reitor de Extensão, Flavi Ferreira Lisboa Filho, além de Victor Marques, representante do Conselho dos Movimentos Populares. A deputada foi representada no ato pelo assessor Fernando Soares.

Com informações do Observatório de Direitos Humanos UFSM

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes