Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Liderado pela UFSM, projeto de incentivo à produção de ovos coloniais de galinhas livres lança livro-guia para orientar novos produtores

O material, com o passo a passo de projeto de produção que preza o bem-estar animal e a qualidade do produto final, também está disponível em e-book gratuito



Autoridades compareceram ao ato de lançamento

O livro “Produção de ovos coloniais na Região Central do Rio Grande do Sul: alguns apontamentos iniciais” foi lançado no último dia 7, em evento realizado na sede da Cresol – Agência Camobi. Com autoria de Gustavo Pinto da Silva, Leandro Magon, Gisélia Pereira Amorim e Cristiano de Avila Dotto e em edição realizada pela Cooperativa Escola dos Estudantes do Colégio Politécnico da UFSM (Cespol), o material se propõe a ser um guia para novos produtores, orientando os primeiros passos do Projeto de Ovos Coloniais da Região Central, desenvolvido sob liderança do Colégio Politécnico da UFSM. O livro também está disponível em formato e-book.   

O projeto nasceu no ano de 2020 em uma parceria entre a PoliFeira do Agricultor e Coopercedro, buscando incentivar uma área de produção pouco desenvolvida na região. “Existe uma série de considerações que devem ser levadas em conta para quem quer empreender na área da avicultura colonial”, apresenta o professor do Politécnico Gustavo Pinto da Silva. O livro apresenta uma série de pré-requisitos para que se tenha sucesso no negócio, desde a infraestrutura de galpões e equipamentos adequados, escolha da ração, controle de roedores, orientações de mercados e marketing, entre outros. “Fazemos isso para que as pessoas não cheguem na metade do seu trabalho e se arrependam por não ter feito outras escolhas”, completa Gustavo.

Por ser um projeto com alguns diferenciais, em especial a criação livre de gaiolas e com um ambiente que proporcione o desenvolvimento das características naturais das aves, os requisitos a serem observados não são os mesmos que em uma granja industrial. Além disso, existe uma preocupação com a alimentação alternativa, fora do binômio soja-milho, sem aditivos químicos, sempre pensando no bem-estar animal e na qualidade final dos ovos que será resultado dos hábitos alimentares das galinhas. O projeto se destaca pela ênfase no desenvolvimento local e por parcerias importantes para a inserção do produto no mercado. 

Na cerimônia do evento, a agricultora Jusane Turri Carvalho, participante do projeto desde 2020, realizou a entrega de um exemplar do guia para Cristina Knirsch, proprietária rural de que iniciará a produção de ovos coloniais na localidade de Nova São Paulo, em Agudo. Cristina, enquanto aguarda a liberação da inspetoria e à convite da Emater, se integra ao Projeto entendendo a importância da leitura da publicação para o conhecimento de todas as etapas e aspectos que envolvem a produção.

Claudia Bernardini, extensionista da Emater de Agudo que acompanha a nova integrante do Projeto, reitera a importância do Projeto Ovos Coloniais e afirma que “estamos vivendo um momento ímpar para os pequenos produtores que procuram novas alternativas de produção”. Ressaltou que, através das inspetorias, as prefeituras têm facilitado a legalização da produção e que o Colégio Politécnico e a UFSM são parceiros fundamentais para garantir o conhecimento e acompanhamento em todas as etapas da produção.

Livro está disponível na versão impressa e em e-book

O vice-reitor da UFSM, Luciano Schuck, cumprimentou os autores da publicação pela importância da transmissão e multiplicação do conhecimento, com uma obra de grande utilidade para orientar os produtores que desejarem iniciar a atividade de forma segura. O professor Gustavo Pinto agradeceu à Cresol pelo apoio na impressão do material, ressaltando que produtores da região poderão ter acesso a uma cópia na agência Camobi. 

O evento contou com a presença do presidente da Cresol, Fernando dos Santos Lima, do diretor administrativo, Vagner Bianchini, do gerente da agência Camobi, Rui Antunes, e dos autores Gustavo Pinto da Silva e Leandro Magon. Representando o Colégio Politécnico, estiveram presentes a diretora, Marta Von Ende, e o professor Jaime Stecca. Representando a Reitoria da UFSM, compareceram o vice-reitor, Luciano Schuck, e o professor Rudiney Soares Pereira, pró-reitor adjunto de Extensão. Estiveram presentes ainda Claudia Bernardini, representando a Gerência Regional da Emater-RS/Ascar, o secretário de Desenvolvimento Rural, Rodrigo Menna Barreto, e Toni Angel Zanini, representando a Prefeitura Municipal de Santa Maria, além de Josemar Brutti, presidente da Coopercedro.

Texto e fotos: Assessoria de Comunicação do Colégio Politécnico

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes