Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Espaço de conversação em Libras na UFSM proporciona integração e inclusão

Atividade, que é realizada toda segunda na Biblioteca Setorial do CCSH, foi comemorativa ao Dia Nacional do Surdo



foto colorida horizontal mostra uma pessoa em pé, comunicando-se em Libras com pessoas sentadas em semicírculo, ao fundo as vidraças do térreo da biblioteca
Atividades ocorrem toda segunda à tarde no térreo da BSCCSH

Nesta segunda-feira (26), foi comemorado o Dia Nacional do Surdo. Na Biblioteca Setorial do Centro de Ciências Sociais e Humanas (CCSH), é realizado toda segunda, às 15h, um Encontro de Conversação em Libras. Neste último, devido à data, a atividade foi ainda mais especial.

O encontro realizado pela BSCCSH tem como objetivo ser um espaço de integração entre os ouvintes e surdos, sendo uma troca importante de diferentes perspectivas e vivências. Os temas abordados são diversos, e geralmente são acompanhados com exercícios para o aprendizado da Língua Brasileira de Sinais (Libras). 

O encontro é mediado por Rochele Morais, estudante de Educação Física e bolsista na Biblioteca Setorial, que é surda. Ela conta com a ajuda de colegas que têm um conhecimento mais avançado de Libras para transmitir para a oralidade o que está sendo dito pela mediadora. Para Rochele, o encontro ajuda bastante na empatia do surdo com o ouvinte, pois propicia ao ouvinte um melhor entendimento das vivências do surdo e da sua forma de comunicação.

Para Rochele, o encontro é um espaço que ajuda na comunicação. Cada um tem o seu tempo de aprendizado e de nível de conhecimento de Libras, mas todos possuem um conhecimento básico para a comunicação entre eles, reflete ela. “É importante que as pessoas tenham contato com o surdo, e para o surdo também é importante para o seu desenvolvimento fora da biblioteca”, afirma.

O encontro é aberto a qualquer interessado, e não é necessário conhecimento prévio de Libras. As atividades realizadas possuem dinâmica diferenciada a cada aula e duram, em média, uma hora.

A biblioteca do CCSH conta com outras iniciativas de acessibilidades, como a distribuição de cartazes com o alfabeto em Libras e ensinando como pedir para retirar o livro na língua de sinais e como ter acesso às salas de estudo individuais. Também há vídeos em Libras que apresentam legendas para facilitar a comunicação entre o ouvinte e o surdo.

Texto: Mariane Machado, acadêmica de Jornalismo, voluntária da Agência de Notícias
Fotos: Ana Alícia Flores, acadêmica de Desenho Industrial, bolsista da Agência de Notícias
Edição: Ricardo Bonfanti, jornalista

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-1-59809

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes