Ir para o conteúdo Engenharia Acústica Ir para o menu Engenharia Acústica Ir para a busca no site Engenharia Acústica Ir para o rodapé Engenharia Acústica
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Apresentação

A Engenharia Acústica
 

A Engenharia Acústica representa o ramo das engenharias que lida com questões relacionadas ao som e à vibração. Portanto, o papel do engenheiro acústico concentra-se na investigação e no entendimento dos mecanismos de produção, transmissão e recepção do som, assim como no desenvolvimento de estratégias para o seu controle e manipulação. Dentro deste contexto, a Engenharia Acústica pode ser aplicada tanto na alteração e mitigação de sons indesejáveis, o que se convêm chamar de controle de ruído, quanto no projeto de fontes sonoras com finalidades específicas.

O controle de ruído tem se tornado um importante segmento da Engenharia Acústica devido às evidências, cada vez mais concretas, dos efeitos negativos do ruído à saúde e ao bem estar do ser humano. Neste sentido, o trabalho do engenheiro acústico volta-se para a implementação dos princípios físicos da mecânica no desenvolvimento métodos  de projeto para o controle e isolamento sonoro em inúmeros ambientes aos quais os seres humanos estão expostos. Tais ambientes incluem automóveis, aeronaves, plantas industriais, ambientes de trabalho e, sobretudo, ambientes domésticos. O controle de ruído se encarrega ainda em realizar o mapeamento e a análise de regiões e sistemas acometidos por altos níveis de pressão sonora.  

Como já mencionado, a redução do ruído não é o único atributo do engenheiro acústico. Outro segmento importante da Engenharia Acústica – chamada de Acústica Arquitetônica – é compreender e manipular o comportamento do som dentro de um determinado ambiente. Neste caso, não se deseja eliminar o som em um determinado local, mas condicioná-lo de maneira que este se torne adequado a uma demanda específica. Por exemplo, o projeto acústico de uma sala de aula prevê atributos totalmente diferentes daqueles empregados ao projeto de uma sala de concertos. No primeiro caso, a demanda principal é a inteligibilidade da voz do professor. De maneira muito distinta, inteligibilidade não é o quesito principal de uma sala de concertos. Por causa da riqueza do som que se espera escutar em um concerto, o controle de parâmetros como a claridade, intimidade, ruído de fundo, altura do som, reverberância, e direcionalidade tornam-se fundamentais e precisam ser adequadamente projetados pelo engenheiro acústico.

Tanto o som que escutamos, quanto o som que está além dos nossos limites auditivos, podem transportar muitas informações importantes a respeito de fenômenos físicos que nos rodeiam, como terremotos, erupções vulcânicas, e assim por diante. Além disso, sinais sonoros podem nos dar pistas importantes sobre a qualidade de um processo de fabricação, sobre a integridade estrutural de um componente ou sobre o funcionamento adequado de um determinado sistema. Assim, o engenheiro acústico também se ocupa em usar os conceitos da acústica, do processamento digital de sinais, e da fisiologia e psicologia da audição e percepção sonora para entender e prever tais fenômenos.

Os exemplos acima são apenas uma pequena fração das atribuições de um engenheiro acústico. O número de atribuições tem crescido consideravelmente ao longo dos anos à medida em que evolui a tecnologia. Em paralelo, cresce a importância e a demanda por engenheiros acústicos em nossa sociedade.