Ir para o conteúdo PPGAAA Ir para o menu PPGAAA Ir para a busca no site PPGAAA Ir para o rodapé PPGAAA
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Projeto de Pesquisa: Tolerância de arbóreas nativas submetidas a substratos amenizantes de solo contaminado com cobre



Mestrando: Andre Luís Grolli

Orientador: Rodrigo Ferreira da Silva

 F1andre

Figura 1: Mudas de Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum Vell.), Pata de vaca (Bauhinia forficata Link) e a Carne de Vaca (Pterogyne nitens Tul). Em substrato na proporção 75% de turfa e 25% de cama de aviário. 

 

            A utilização de materiais imobilizadores de metais pesados no solo são conhecidos como amenizantes, onde estes facilitam a revegetação da área contaminadas e degradas por metais pesados. Estes materiais imobilizadores podem ser dos mais variados tipos, sendo já testados calcário, silicatos, fosfatos e compostos orgânicos.

Relacionada à produção de mudas de espécies nativas, tem-se pouca informação sobre substratos que possam maximizar o desenvolvimento de mudas nativas. Estamos utilizando 3 espécies nativas do Rio Grande do Sul Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum Vell.), Pata de vaca (Bauhinia forficata Link) e a Carne de Vaca (Pterogyne nitens Tul). Os substrato que estamos utilizando apresentam diversas combinações entre a Cama de Aviário, Substrato Comercial e Turfa.

Ao final dos trabalhos aplicaremos o melhor substrato para a produção de mudas de espécies nativas em solo contaminado com cobre, sendo que este substrato terá o papel de amenizante e posterior avaliação dos resultados.

 

             Objetivo geral do projeto 

Possibilitar o uso de amenizantes de contaminação na produção de mudas de espécies nativas em solo contaminado com cobre.

            Objetivos específicos do projeto 

            Testar diferentes substratos orgânicos na produção de mudas de espécies nativas do Estado do Rio Grande do Sul.

Selecionar espécies florestais nativas tolerantes ao cobre.

            Observar o comportamento das mudas de espécies nativas cultivadas em diferentes proporções de solo contaminado por cobre e substrato orgânico.

 

Material e métodos

           

Desenvolvimento de mudas florestais em solo contaminado com cobre 

O trabalho objetiva avaliar o efeito de doses crescentes de cobre aplicado ao solo no desenvolvimento e qualidade de mudas de Pata de Vaca (Bauhinia forficata Link), Carne de Vaca (Pterogyne nitens Tul) e Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum Vell. Se utilizara o sulfato cúprico (CuSO4.5H2O) para a contaminação do solo.

O delineamento experimental será de blocos ao acaso em arranjo fatorial (3 x 6), sendo e as três espécies florestais e seis doses de cobre (0, 60, 120, 180, 240, e 300 mg kg-1 de solo), com seis repetições.

 

Substratos alternativos para produção de mudas de espécies florestais nativas 

Nessa etapa serão utilizados quatro tipos de substratos puros (cama de aviário (CA), substrato comercial (SC), turfa (T) e solo (S)) e será realizado a misturas de cama de aviário com o substrato comercial e a turfa. Essas proporções serão testadas em mudas de Pata de Vaca (Bauhinia forficata Link), Carne de Vaca (Pterogyne nitens Tul) e Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum Vell).

O delineamento utilizado consistira em blocos ao acaso, em um arranjo fatorial (10 x 3) com dez doses de substrato (100%SC, 100%T, 100%CA, 100%S, 25%CA:75%SC, 50%CA:50%SC, 75%CA:25%SC, 25%CA:75%T, 50%CA:50%T e 75%CA:25%T ) e três espécies florestais (Pata de Vaca, Carne de Vaca e timbuava), se utilizara 4 blocos e cada bloco ira conter 5 unidades experimentais do mesmo tratamento, totalizando 20 repetições de cada tratamento.

 

Substratos orgânicos como amenizantes de em solo contaminado por Cobre 

Esse experimento consiste em uma sequência do experimento, onde será utilizada a espécie florestal que apresentou melhor tolerância ao solo contaminado com cobre na etapa 2.1.1 e a utilização do composto orgânico que apresentar melhores resultados no desenvolvimento da muda na etapa 2.1.2. O melhor composto orgânico será adicionado nas proporções de 0, 10, 20, 30, 40 e 50%, de solo contaminado com cobre.

O delineamento usado consistira em blocos ao acaso em esquema (1×6) com seis proporções de substratos orgânicos (0, 10, 20, 30, 40 e 50%) em solo contaminado e uma espécies florestal, se utilizara 4 blocos e cada bloco ira conter 5 unidades experimentais do mesmo tratamento, totalizando 20 repetições de cada tratamento.

 

F2andre

 Figura 2: Mudas de Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum Vell.), Pata de vaca (Bauhinia forficata Link) e a Carne de Vaca (Pterogyne nitens Tul). Em substrato na proporção 50% de substrato comercias e 50% de cama de aviário 

 

F3andre

 Figura 3: Mudas de Timbaúba (Enterolobium contortisiliquum Vell.), Pata de vaca (Bauhinia forficata Link) e a Carne de Vaca (Pterogyne nitens Tul). Em substrato na proporção Turfa 100%. 

 

 

 

 

 

 

 


Publicações Recentes