Ir para o conteúdo POSCOM Ir para o menu POSCOM Ir para a busca no site POSCOM Ir para o rodapé POSCOM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Fausto Neto debate as problemáticas do conceito de recepção na sociedade em vias de midiatização



Se na sociedade dos meios a recepção era vista a partir de fronteiras delimitadas e a circulação como uma espécie de passagem entre os polos da produção e recepção, na sociedade em vias de midiatização uma nova arquitetura comunicacional é estabelecida. E é para falar sobre essa perspectiva que o pesquisador e professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Unisinos Antônio Fausto Neto se fará presente na II Jornada Gaúcha de Pesquisadores da Recepção. O debate terá como proposta os “Desafios teóricos em estudos de recepção: a problemática da circulação no contexto da midiatização”. A mesa acontece dia 18 de julho no período da manhã.

Fausto Neto acredita que é preciso refletir o conceito de recepção, que historicamente foi pensado pelas “pesquisas administrativas”. As marcas dessa abordagem ainda são encontradas junto a outras perspectivas analíticas, segundo o pesquisador. É necessário pensar a recepção no próprio âmbito da comunicação, sob uma ótica não mais linear e sequencial.

A sociedade em vias de midiatização irá complexificar essa lógica, no qual produção e recepção realizam um outro tipo de atividade. “A plataforma comunicacional é estruturada em torno de novas formas de interposição de elementos técnicos (como a internet), que transformados em meios e, segundo novas práticas, redesenham as práticas destes dois polos – de modo específico a dos receptores, enquanto atores sociais”, esclarece Fausto Neto. Assim, a proposta de debate também centra-se na discussão do modo como os atores sociais promovem novas dinâmicas no velho esquema entre os polos.

O pesquisador também faz elogios ao tema proposto pela II Jornada Gaúcha de Pesquisadores da Recepção e espera que o encontro busque a interlocução sobre os questionamentos propostos. “Penso que este encontro desperta grande iniciativa pelo fato de possibilitar um mapeamento de trabalhos feitos no contexto dos estudos acadêmicos e práticas comunicacionais do RS. Também porque oferece oportunidade para renovação e atualização das agendas dos pesquisadores em formação que é o caso dos alunos pós-graduandos; e, também porque vai adensando uma cultura em processo que diz respeito ao desenvolvimento da pesquisa sobre o conceito, objeto da própria jornada”, finaliza.

Antonio Fausto Neto possui diversos estudos sobre a recepção, midiatização e circulação, sendo os mais recentes os textos: “Zona em construção: acesso e mobilidade da recepção na ambiência jornalística”, “Transações da Recepção: A Contaminação da AIDS pelos Discursos Sociais”, dentre outros. O pesquisador é graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), mestre em Comunicação pela Universidade de Brasília (UnB) e doutor em Sciences de La Comunication Et de L’information – Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales da França, com estudos de pós-doutorado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Na II Jornada Gaúcha de Pesquisadores da Recepção, o painel de Fausto Neto irá integrar a mesa “Abordagens teórico-metodológicas para os estudos da recepção”, que também contará com a participação da professora doutora Jiani Bonin (Unisinos). A atividade acontece no dia 18 de julho, a partir das 8h30, no Auditório do prédio 74-C no campus da UFSM.

Texto: Francieli Jordão Fantoni | Foto: Divulgação | Contato:jornadagauchaderecepcao@gmail.com


Notícia vinculada a


Publicações Recentes