Ir para o conteúdo PPGCO Ir para o menu PPGCO Ir para a busca no site PPGCO Ir para o rodapé PPGCO
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Evento Pré-Conferência Democrática do CCS, PPG Ciências Odontológicas/Curso Odontologia



No dia 20 de outubro, no auditório do prédio 26F, aconteceu o encontro Pré-Conferência do CCS, PPG Ciências Odontológicas/ Curso Odontologia para discussão das temáticas vide instruções do CCS.

Compareceram a convocação 10 discentes, 2 TAES (1 PPG, 1 Graduação) e 2 Docentes.

Desafio 1 – Internacionalização

O que queremos para o CCS?

CCS como referência institucional em atividades de Internacionalização.

O que fazer?

Intensificação de atividades de internacionalização e viabilização de uma estrutura verdadeiramente internacional: 

  1. Criar/disponibilizar sala de videoconferência para incentivo de atividades de internacionalização não presenciais, como seminários de discussão de temas específicos com a participação de experts/referências internacionais, palestras com experts/referências internacionais, defesas de dissertação e tese com participação de membros da banca internacionais possibilitando que o ato acadêmico seja completamente executado em língua estrangeira, entre outras atividades nesse sentido.
  2. Melhorias infraestruturais, em especial qualidade e estabilidade da internet.
  3. Intensificar, suportar, e viabilizar atividades de mobilidade bilateral (missões de curta duração/ doutoramento sanduíche/ atividades de cotutela/ coorientações por estrangeiros).
  4. Incremento do domínio de língua inglesa da comunidade UFSM, fortalecimento/incremento de cursos para a comunidade UFSM.
  5. Suporte linguístico para discentes estrangeiros com dificuldade no idioma.
  6. Incentivo a disciplinas ministradas em língua inglesa.
  7. Incentivo a produtos internacionais (produção qualificada internacional, produção qualificada com participantes internacionais)

Como fazer?

– Foco nas demandas para investimentos;

– Esforço conjunto e incessante por docentes em buscar fomentos em agências governamentais (FAPERGS, CNPq), e articulação com Setores de Gestão Superior UFSM (CCS, PRPGP, REITORIA) para que o foco de investimentos, que são escassos, seja direcionado para demandas verdadeiramente qualificadas que induzirão os resultados desejados.

– Fortalecimento de estratégias para cursos de formação em língua inglesa comunidade UFSM;

– Criar/fortalecer comissões para acompanhamento de estrangeiros no dia-dia UFSM.

Desafio 2 – Educação inovadora e transformadora com excelência acadêmica

O que queremos para o CCS?

Excelência acadêmica.

O que fazer?

Dentro do contexto da Odontológica, a 2 quadriênios o PPGCO apresenta conceito CAPES 5, e nessa última quadrienal observa-se índices 5, em todas categorias de avaliação. O que denota que estamos avançados nesse tópico, mas acreditamos que: 

– Reavaliar a estrutura em torno da atuação curricular, e induzir melhoramentos através de aquisição de tecnologias disponíveis no mercado para atualização das formas de ensino.

– Fortalecer integração graduação/pós (Estágio em docência e atividades de iniciação).

– Acreditamos que o foco principal esteja na indução, interação e integração entre os pilares de atuação docente, Ensino, Pesquisa e Extensão. 

– Atuações conjuntas, integradas, combatendo as atividades isoladas que são majoritariamente focadas em interesse de pequenos grupos. 

– Incentivo a metodologias ativas, flexibilizações das estruturas curriculares que permitam aos discentes personalizarem o curso frente a suas áreas de interesse.

Como fazer?

– Estabelecimento de processos verdadeiros de autoavaliação dos Cursos, clareza nos processos, reconhecimento e direcionamento de recursos para demandas realmente qualificadas que induzirão os resultados desejados.

– Fortalecimento/Incentivo para integração graduação/pós (Estágio/Tutoria/IC).

– Exigência de atendimento dos discentes PG nos atos acadêmicos de defesa dos pares no PPGCO.

– Viabilização da participação de discentes pós-graduação como banca de defesa do TCC da graduação.

Desafio 3 – Inclusão Social

O que queremos para o CCS?

Adequação as normas previstas vigentes da UFSM, redução das inequidades.

O que fazer?

Reestruturação dos processos seletivos considerando as temáticas. Entretanto uma das maiores dificuldades é o acompanhamento desses discentes por todo o curso, para que estes consigam desempenhar adequadamente as atividades e acompanhar o curso, que é o objetivo central dessas atividades (qualificação dessa parcela social, para melhor inserção e diminuição das inequidades sociais).

Como fazer?

  1. Discussão e orientação sobre como induzir o processo seletivo em cada contexto de curso. Reestruturação nesse sentido.
  2. Intensificação ou Divulgação dos serviços de assistência existentes.
  3. Intensificação de atividades de Acompanhamento de Performance em cada Curso (Psicológico e Educacional) auxiliando no diagnóstico e intervindo nas situações necessárias. Para isso é necessário integração entre Coordenação Curso e Departamentos.
    1. Uma alternativa do ponto de vista educacional, talvez seja a tutoria em disciplinas por discentes PPGCO auxiliando no acompanhamento de discentes graduação onde dificuldades foram diagnosticadas.

Desafio 4 – Inovação, geração de conhecimento e transferência de tecnologia

O que queremos para o CCS?

Avanços nessas barreiras. 

O que fazer?

  1. Incentivo e compreensão dos pilares de atuação funcional, e da necessidade de integração (Ensino, Pesquisa e Extensão). Seguidamente encontram-se barreiras relacionadas a essas atividades, no sentido que o Ensino é tratado como basal da função docente, e a pesquisa e extensão como atividades voluntárias e secundárias. Para avanço nesse Desafio 4, assim como na maioria dos demais, precisamos quebrar esses paradigmas. Geração de conhecimento, inovação, transferência de tecnologia e impacto logo regional demandam de forte atuação em Pesquisa e Extensão. Para isso temos barreiras de reconhecimento de encargos didáticos, distribuição de vagas docentes, distribuição dos encargos docentes, proteção dos Jovens Docentes, que muitas vezes são sobrecarregados em demandas departamentais, em prol de docentes mais antigos que desempenham menos encargos, e distribuição equalitária das atividades para que as demandas qualificadas realmente sejam o foco e induzam os resultados necessários para avanço.
  2. Atualmente o PPGCO lidera uma iniciativa que culmina na implementação do NUDEMA (Núcleo de Desenvolvimento de Materiais Avançados), o intuito primordial do NUDEMA é atuar em inovação, geração de conhecimento, desenvolvimento de materiais/patentes e consequentemente induzir transferência de tecnologia. É um longo caminho que precisa ser percorrido nesse sentido, e investimentos serão essenciais se nós como grupo desejamos prospectar sucesso nesse desafio.
  3. Outra abordagem que precisa ser encorajada em termos de transferência de conhecimento, envolve projetos que induzam impacto na região ao qual a UFSM se encontra. Um exemplo viável pode ser projetos de extensão para atuar junto a profissionais da área no mercado, para atualização dos conhecimentos. 

Como fazer?

– Reestruturações Departamentais, de Curso como um todo. 

– Reformas da maneira como os encargos didáticos são concebidos, conferência e principalmente adequabilidade destes a realidade (são extremamente comuns lançamentos equivocados). 

– CCS que desempenha papel de liderança e de definição em diversas temáticas relacionadas deve ter atuação forte com foco nas implementações e direcionamento de recursos que estimulem esses contextos desejados (demanda qualificada).

Desafio 5 – Modernização e desenvolvimento organizacional

O que queremos para o CCS?

Avanços nessa temática

O que fazer?

O foco nos demais desafios invariavelmente promoverá avanço nesse tópico em específico.

Como fazer?

Investimento e suporte, que são escassos, com foco em atividades basais que induzirão os avanços. Modernização e desenvolvimento organizacional são consequências das atividades necessárias para induzir os avanços nos Desafios 1, 2, 3, 4. 

Desafio 6 – Desenvolvimento local, regional e nacional

O que queremos para o CCS?

Avanço, reconhecimento local, regional e nacional da UFSM como uma instituição de excelência. Esse é um dos pontos destacado na ficha avaliativa do PPGCO no último quadriênio, como estratégico para almejar o conceito 6.

O que fazer?

Muito foi apresentado no Desafio 3 e 4, em especial no 4. Precisa haver integração de esforços no sentido do avanço de atividades de Pesquisa e Extensão que culminem em impacto a região ao qual a UFSM se localiza. Nesse sentido os principais focos seriam:

  1. Conscientização da importância das atuações nos pilares Ensino, Pesquisa e Extensão
  2. Integração dos Pilares
  3. Melhor distribuição dos encargos Departamentais, equilíbrio entre todas as reais atividades/ demandas qualificadas que são induzidas
  4. Atenção na distribuição de vagas docentes para que realmente sejam selecionados docentes que desempenharão atuações integradas Ensino, Pesquisa e Extensão
  5. Suporte CCS/UFSM com foco em demanda qualificada que impactará os desafios levantados.

Outra abordagem, seria uma maior integração com serviço de atenção básica de saúde, com Centros de Especialidade Odontológica. Assumir um CEO seria algo que poderia contribuir fortemente para o avanço desse desafio e em especial do desafio 4.

Como fazer?

Atividades principalmente reportadas nos desafios 1, 2, 3 e 4.

Desafio 7 – Gestão Ambiental

O que queremos para o CCS?

Consciência Ambiental, e diminuição dos impactos negativos que podem ser induzidos.

O que fazer?

Melhoria das estruturas relacionadas a arborização dos ambientes, acessibilidade, integração, acesso, e deposição de dejetos (quantidade de lixeiras, e estrutura de coleta seletiva). Conscientização da comunidade para atenção dos protocolos de conduta adequados já amplamente estabelecidos. 

Como fazer?

  1. Reavaliar o ambiente que envolve o CCS. Um exemplo, lixeiras nos entornos dos prédios Odontologia e NUDEMA são escassas.
  2. Atividades de conscientização, e intervenção pontual com suporte financeiro nas demandas qualificadas necessárias.
  3. Acompanhamento das obras desenvolvidas, tanto do ponto de vista estrutural, para evitar recebimento de estruturas não ideais, vide exemplos recentes; e evitar/notificar a empresa terceirizada pela obra no caso de inadequações ambientais existentes, vide também exemplos recentes.
  4. Recentemente o Curso de Odontologia adquiriu um tomógrafo, o uso desse instrumento em formato digital reduz os dejetos que usualmente a impressão desencadearia, para tal avanços estruturais em termos de sistema para que o exame tenha um translado digital entre os setores do Curso seria estratégico. Assim como avaliação constante de cenários semelhantes, incentivando troca de tecnologias analógicas, com dejetos, por digitais, seria algo estratégico e vinculado ao Desafio 5 também.
Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-531-455

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes