Ir para o conteúdo PPGQ Ir para o menu PPGQ Ir para a busca no site PPGQ Ir para o rodapé PPGQ
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

QMC967 Seminários II – 30 de novembro



Na disciplina QMC967 – Seminários II, serão apresentados os seminários das 15:30 às 19:30 na segunda-feira, dia 30 de novembro:

Discente: Alice Penteado Holkem

Título: Tecnologias miniaturizadas de alto rendimento para ensaios enzimáticos de drogas e diagnóstico – Uma revisão

Resumo

A descoberta de medicamentos é um processo complexo de diversas etapas, em que muitos desafios precisam ser superados, desde a descoberta de um alvo biomolecular até a garantia da eficácia e o conhecimento dos níveis toxicológicos. O processo demanda tempo e requer investimento, abrangendo basicamente pesquisas computacionais e experimentais em laboratórios, estudos pré-clínicos em animais e desenvolvimentos em humanos. Os métodos analíticos atuais permitem identificar potenciais fármacos quanto à sua capacidade de inibir enzimas específicas e a miniaturização dessas abordagens é altamente desejável, acelerando a descoberta de medicamentos e reduzindo os custos associados. Dentre as principais técnicas analíticas destacam-se os ensaios em microplacas, microarrays, nanoarrays e em tecnologias microfluídicas. A miniaturização e automação de ensaios bioanalíticos são amplamente aplicadas em diagnósticos médicos, na engenharia enzimática, na descoberta de novas drogas, na proteômica funcional e na genômica, permitindo uma eficiente triagem de alto rendimento (HTS, do inglês high-throughput screening). Além de aumentar a frequência analítica, possibilitam uma análise com menor quantidade de amostra, enzimas, substratos e demais reagentes necessários e em alguns casos, requerem o manuseio mínimo da amostra (minimizando riscos de contaminação cruzada). Outra grande vantagem dos dispositivos atuais, encontra-se na portabilidade, permitindo seu uso em postos de atendimento e em regiões de difícil acesso. Assim podem ser realizados imunoensaios através de uma triagem rápida, facilitando a identificação de patógenos e o diagnóstico precoce de diversas enfermidades. No entanto, algumas limitações ainda precisam ser contornadas, especialmente com relação a integração desses dispositivos em plataformas de dados (bibliotecas) e sua comercialização.

Discente: Carlos Henrique Campanher

Título: Tratamento de águas residuais contendo 2-metoxifenol por persulfato com ativação sinérgica térmica e alcalina: cinética e mecanismo

Resumo:

Muitos compostos aromáticos são classificados como poluentes e de difícil degradação por métodos clássicos de tratamento. A oxidação de substâncias quimicamente estáveis presentes em águas residuais usando radical sulfato e hidroxila, gerados por a ativação térmica e alcalina de persulfato (PS),torna-se uma opção aplicável. Neste estudo, 2-metoxifenol, contaminante em águas residuais da indústria química de carvão foi estudado, fazendo-o reagir com o radical sulfato e hidroxila. O efeito da temperatura, concentração de PS, pH e presença de outros ânions concorrentes como cloreto e sulfato foram considerados. O decaimento do composto foi monitorado cromatograficamente por HPLC-RP-UVno comprimento de onda de 270 nm. As temperaturas das reações variaram de 50 – 90°C e o pH foi testado na faixa de pH 2-12. Modelos cinéticos de pseudo-primeira ordem e pseudo-segunda ordem foram utilizados para cálculos cinéticos e a energia de ativação da reação foi calculada. Para averiguação do efeito da temperatura, equação de Arrhenius foi utilizada considerando 5 temperaturas distintas. Os resultados mostraram que fatores como a temperatura, pH e concentração de compostos influenciam significativamente as taxas de degradação. Degradações acima de 95% foram observadas em condições de temperatura de 80ºC durante 20 minutos de reação em pH 12. Portanto, a degradação rápida pode ser alcançada pelo PS térmico-alcalino sinergicamente ativado e pode ser considerado como de potencial aplicação na remoção de resíduos com alta carga orgânica quimicamente estável.

Os seminários estão abertos ao público, por videoconferência no Google Meet. Interessados podem entrar em contato com o Prof. Sailer (sailer.santos@ufsm.br) com antecedência, e fazer acesso via e-mail institucional (com final @acad.ufsm.br).

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes