Ir para o conteúdo PPGRI Ir para o menu PPGRI Ir para a busca no site PPGRI Ir para o rodapé PPGRI
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Nota de Palestra XV CEDN – Dia 3 | 26/04/2017 – O Brasil e a busca de uma identidade de Defesa na América do Sul: desafios e oportunidades, Prof.ª Dr.ª Graciela Pagliari



A Prof. Dr.ª Graciela Pagliari proferiu a palestra “O Brasil e a busca de uma identidade de Defesa na América do Sul: desafios e oportunidades”. A professora falou a respeito da necessidade da consolidação de uma identidade de defesa no espaço sul-americano, que consiste numa visão compartilha de um interesse comum em termos de defesa. Na região, o passo em direção a essa identidade de defesa materializou-se na fundação do Conselho de Defesa Sul-Americano (CDSA), no âmbito da UNASUL.

A professora considera o CDSA e a UNASUL como instituições que pensam a região da América do Sul com suas especificidades nacionais e regionais. Pagliari observa que o desafio existente é que a cooperação entre 12 países é extremamente difícil quando se trata de temas não superficiais, principalmente pelo perfil institucional intergovernamental, pela necessidade de um maior engajamento e pelos custos da cooperação em termos de Defesa. A professora observou que nos últimos anos, os problemas regionais não foram absorvidos pelos Estados, que acabaram voltando-se para suas políticas e segurança internas, de modo que não é possível verificar que os temas de segurança e defesa estão realmente definidos na região sul-americana. Mais de 90% das forças armadas dos países da região realizam tarefas relacionadas à segurança pública ou pacificação de zonas violentas.

Para Pagliari, houve um distanciamento em relação a estratégia de Defesa, principalmente no Cone Sul. Com o comprometimento dos Estados ao não uso da força para resolução de disputas, os Estados membros do Conselho de Defesa passaram a se pautar pela confiança. Entretanto, muitas das cooperações existentes surgem de dinâmicas de rivalidade, tornando a região uma paz violenta. Pagliari também discutiu o protagonismo do Brasil na criação da Unasul e do CDSA, observando que o Brasil se mostra cambiante em sua integração regional, tendo dificuldades em assumir os custos do Conselho de Defesa e da Unasul. A ausência de um “paymaster” na região enfraquece os avanços do CDSA e acentua os desafios existentes na América do Sul.

Texto: Ana Luiza Vedovato e Maria Eduarda Dall’Aqua


Notícia vinculada a


Publicações Recentes