Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano

Redes Sociais

Início do conteúdo

O que é

O projeto visa atender o objetivo do edital propondo o uso sustentável da biodiversidade local, à correta gestão dos recursos naturais e ao desenvolvimento de sistemas produtivos eficientes, envolvendo ações que integram a segurança hídrica, energética e alimentar da população residente no Pampa. Indiretamente, afeta também outras populações porque os problemas tratados têm influencias globais devido às interconexões. Assim, a energia sustentável produzida na bacia do Ibirapuitã pode permitir abastecer a população diretamente ligada a bacia, mas também as populações vizinhas. O processo pode ser considerado semelhante, do ponto de vista da segurança hídrica, devido às conexões com o Uruguai e a Argentina, com influência regional direta, pois o Rio Ibirapuitã faz parte da bacia internacional do Rio Uruguai. A produção de carne, principal produto dos sistemas produtivos pecuários, e o arroz são consumidos em escala local, regional, nacional e internacional.

O projeto adota uma abordagem transdisciplinar e participativa e delimita-se a bacia do Rio Ibirapuitã como área do estudo e a compreensão da sua realidade como principal foco resultante das interações entre o homem e a natureza. Ao partimos destas premissas podemos explorar fatores ligados à importância da água, da energia e do alimento e suas inter relações, conforme a abordagem multidisciplinar do “Nexus Água-Energia-Alimento” que ressalta que para uma avaliação ter algum impacto a longo prazo, deve ser realizada como parte de um processo mais amplo de envolvimento e discutido com principais interessados e especialistas (FAO,2014). O projeto se constitui de quatro eixos de ações, três ligados diretamente ao foco Água, Energia e Alimento e um quarto que integra os mesmos.

Os objetivos do desenvolvimento Sustentável (ODS) serão contemplados de forma individual ou conjuntamente por ações de mais de um eixo. O ODS 1 “Acabar com a pobreza em todas as suas formas, em todos os lugares” é resultado de ações decorrentes dos quatro eixos; O ODS 2 “Acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e melhoria da nutrição e promover a agricultura sustentável” da mesma forma, apesar da preponderância do eixo 3 de alimentos; O ODS 6 “Assegurar a disponibilidade e gestão sustentável de água e saneamento para todos” basicamente pelo eixo 2; O ODS 7 “Assegurar a todos o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia” basicamente pelo eixo 1; O ODS 8 “Promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo e trabalho decente para todos” e o ODS 15 “Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres, gerir de forma sustentável as florestas, combater a desertificação, deter e reverter a degradação da terra e deter a perda de biodiversidade” são resultados esperados das ações decorrentes dos três eixos; Finalmente, o ODS 17 “Parcerias em prol das metas” é que torna possível esta proposta, a sua elaboração somente ocorre por contar com uma rede de atores dos setores públicos e privados citados como instituições colaboradoras do projeto.

Portanto, os objetivos e metas descritos no projeto para cada eixo são as conexões visando auxiliar o alcance dos objetivos do desenvolvimento Sustentável.