Ir para o conteúdo NPEA Ir para o menu NPEA Ir para a busca no site NPEA Ir para o rodapé NPEA
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Análise de Mercado Agropecuário

Mercado pode trazer boas oportunidades de comercialização de soja nos próximos meses

Nos últimos meses, as cotações de soja no Brasil foram fortemente impactadas por eventos de natureza política e econômica. Em Rio Grande/RS, a saca chegou a ser comercializada a R$98,00 no mês de setembro/2018, mas recuou para R$ 74,00 ao final de abril/2019 e alcançou R$ 83,00 nos dias 20 e 21/05. O mercado físico brasileiro parece ter encontrado uma nova tendência de alta após a escalada nas tensões entre EUA e China, ocorrida nesta segunda quinzena de maio.

Diante desta nova realidade, muitos se perguntam se este é o momento adequado para vender a soja e qual a melhor estratégia a ser implementada? A resposta para questões como estas depende do perfil de cada produtor e dos compromissos assumidos com o pagamento de custeios e investimentos agrícolas. Alguns, com mais disposição a correr riscos, podem ganhar ou perder mais ao adotar estratégias arrojadas e não comercializar neste momento e esperar melhores oportunidades; outros, ao escolherem estratégias mais conservadoras e faturar uma parte da safra para sanear dívidas que vencem nas próximas semanas, aceitam os preços atuais, mas com a certeza de que estarão mais protegidos de oscilações capazes de comprometer excessivamente a lucratividade do negócio.

Nos Estados Unidos, apesar das condições climáticas adversas no Corn Bealt (principal região produtora), que prejudicam as expectativas sobre a próxima safra, o embate comercial com a China impõe uma resistência de mercado forte e bem abaixo dos US$ 9,00/bu conforme pode ser verificado no gráfico a seguir.

Preços diários dos futuros de soja na CBOT-CMEGroup (Contrato driver: ZS1!): junho/2018 a maio 2019.

Por um lado, as baixas em Chicago são ruins, mas por outro, se a Guerra Comercial se intensificar ainda mais, a probabilidade de termos uma taxa de câmbio mais elevada aumenta, assim como se elevam as expectativas de maiores prêmios de exportação. Se isto vier com pressões altistas sobre a taxa de câmbio, derivadas do ambiente político e econômico no Brasil, teremos condições perfeitas para cotações maiores. Neste momento (22/05/2019), observa-se que os prêmios de exportação em Rio Grande já chegaram a US$ 1,13/bushel e apresentam tendência de alta e a taxa de câmbio segue forte, acima do R$ 4,00/US$, o que é positivo para os preços da principal commodity agropecuária do Brasil. 

Se persistir este cenário, acreditamos em melhores condições para comercialização de soja nas próximas semanas, mas o comportamento futuro não é uma certeza. Certeza é a importância de adotar boas práticas de gestão da produção e da comercialização, de forma a não colocar em excessivo risco a viabilidade econômica do negócio. Informação e análises de mercado estão entre os principais insumos para a “produção de lucro”.

Prof. Dr. Nilson Luiz Costa