Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Grupo de Estudos Pesquisa em Antropologia do Corpo e da Saúde

GRUPO DE ESTUDOS PESQUISA EM ANTROPOLOGIA DO CORPO E DA SAÚDE (GEPACS)

Pesquisa Em Atividade

Contato:

ufsmgepacs@gmail.com (55) 3220-9406 Prédio:74 Sala:2234
Notícias gepacs
8 dos melhores serviços para você guardar arquivos na nuvem
ADrive O ADrive é pouco conhecido, mas chegou a ganhar destaque nos últimos anos quando ofereceu alto espaço de armazenamento sem custo. Entretanto, agora ele só permite planos por assinatura.Com…
11/07/2017 – 11:19
Carros da Tesla ficam mais velozes com atualização de software
Tesla-Model-X-100 Tesla: veículos elétricos ficaram mais rápidos (Tesla/Divulgação)   Uma atualização de software deixou os carros elétricos da Tesla mais velozes nesta semana. Os veículos, que têm conexão com a…
04/07/2017 – 11:17

Apresentação

O Grupo de Estudos Pesquisa em Antropologia do Corpo e da Saúde (GEPACS) atualmente é conhecido comoGrupo de Estudos e Pesquisas em Cultura, Gênero e Saúde, tendo em vista a ampliação do foco temático do grupo. Vinculado ao Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal de Santa Maria,  o GEPACS reune atividades de ensino, pesquisa e extensão nas áreas de Antropologia e Sociologia, cujo foco são as questões de corpo, saúde e doença, violência, gênero e sexualidade, bem como o estudo sobre grupos populares, trabalho doméstico, família e gênero. As atividades do GEPACS vinculam-se a área de concentração Cultura e Saúde e dividem-se em três áreas temáticas de pesquisa: Representações sobre Corpo, Saúde e Doença, Gênero e Sexualidade e Família, Gênero e Cultura.
A abordagem sócio-antropológica da saúde aparece como fundamental para dar conta da complexidade dos fenômenos relativos ao corpo, saúde e doença. O aspecto educativo e de formação que o núcleo propõe visa a elaborar aporte metodológico, aos acadêmicos e mestrandos vinculados, para a especificidade da pesquisa na área de saúde e sexualidade. Através dos cursos e seminários promovidos periodicamente pelo grupo busca-se aprofundar o debate de temas relativos à antropologia do corpo e da saúde, bem como ampliar o diálogo com as várias disciplinas da área da saúde.
As atividades hoje voltadas especialmente para alunos de graduação em Ciências Sociais têm contado também, eventualmente, com a participação de alunos da Medicina, Psicologia e Enfermagem. Os componentes do GEPACS têm participado ativamente dos encontros da Associação Brasileira de Antropologia (ABA) e da Reunião Antropológica do Mercosul (RAM). Em Santa Maria, na UFSM, tem exercido um papel fundamental na articulação e divulgação da área de Antropologia Médica e Sociologia da Saúde na região central do estado do Rio Grande do Sul.
Desde a sua criação o GEPACS já realizou diversos seminários, atividades complementares de graduação (sobre cultura, saúde, doença e sexualidade) e projetos de pesquisas subordinados a área de “Antropologia do Corpo e da Saúde”. O GEPACS tem organizado seminários como a “Jornada Interdisciplinar em Saúde”, que ocorreu de 1999 a 2002; cursos de extensão, como o curso “Cultura e Saúde”, que teve inúmeras e diferentes edições e sempre contou com a participação do Departamento da Enfermagem da UFSM; tem promovido desde 2007 o “Ciclo de Cinema”, buscando lançar diferentes olhares na abordagem de assuntos como corpo, saúde, doença, gênero e sexualidade na contemporaneidade; e, em junho de 2009, promoveu o primeiro seminário sobre “Gênero, Geração e Saúde”, bem como, em novembro de 2009, o seminário sobre “Etnografias Contemporâneas”.
Nesse sentido as repercussões dos trabalhos desenvolvidos pelo GEPACS ultrapassam a esfera acadêmica, seja através dos referidos eventos de extensão, quanto pela participação na formação de profissionais da saúde engajados em serviços, responsáveis pelo planejamento e execução de políticas públicas em nível estadual e municipal. Desta forma, este grupo tem propiciado um intenso diálogo entre a comunidade acadêmica, oferecendo aos estudantes um ambiente de formação, na medida em que possuem acesso constante às pesquisas mais recentes nesta área.

O Grupo de Pesquisa de