Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

A TERAPIA OCUPACIONAL EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA DIAGNOSTICADO PRECOCEMENTE

A TERAPIA OCUPACIONAL EM CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA DIAGNOSTICADO PRECOCEMENTE

Pesquisa Em Atividade

Apresentação

O Autismo é caracterizado por um grau de comprometimento no comportamento social, na comunicação e na linguagem. A Terapia Ocupacional está diretamente ligada ao desempenho ocupacional do sujeito e, em sua formação, possui envolvimento com três grandes áreas importantes para o desenvolvimento infantil: as atividades de vida diária, as atividades escolares e o brincar. Dessa forma, quando um novo processo de condição de saúde inicia, estes fatores acabam sendo prejudicados por diversas alterações que podem surgir. Sabe-se da importância de um diagnóstico precoce e o quanto o mesmo pode contribuir com o tratamento e com a melhora do quadro clínico. Este estudo tem como objetivo principal verificar como ocorre a atuação de Terapeutas Ocupacionais Brasileiros no atendimento de crianças com diagnóstico precoce de Transtorno do Espectro Autista. Para os objetivos específicos têm-se: Analisar as técnicas ou recursos utilizados pelos Terapeutas Ocupacionais ao realizar os atendimentos de pessoas com TEA; Pontuar os objetivos terapêuticos ocupacionais traçados durante a elaboração do seu plano de tratamento; e Verificar a importância de iniciar o tratamento terapêutico ocupacional nos primeiros 36 meses de vida da criança, logo no início do aparecimento dos primeiros sintomas do transtorno. Trata-se de um estudo descritivo, de corte transversal com metodologia quantitativa e qualitativa. Por fim, os resultados esperados com a realização deste estudo compreendem uma atualização dentro da temática do autismo e a terapia ocupacional, demonstrando a importância da profissão na atenção precoce a crianças com TEA e, identificando ainda quais têm sido as principais formas de atuação do profissional, bem como as principais demandas recebidas.