Ir para o conteúdo UFSM Ir para o menu UFSM Ir para a busca no portal Ir para o rodapé UFSM
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

ABORDAGENS DA TERAPIA OCUPACIONAL: CONTRIBUIÇÕES DA INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA NO TRATAMENTO DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUSTISTA

ABORDAGENS DA TERAPIA OCUPACIONAL: CONTRIBUIÇÕES DA INTERVENÇÃO TERAPÊUTICA NO TRATAMENTO DO TRANSTORNO DO ESPECTRO AUSTISTA

Pesquisa Em Atividade

Apresentação

O estudo tem como objetivo principal: Refletir sobre as contribuições da intervenção terapêutica ocupacional no tratamento de crianças com o diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista. E como objetivos específicos: Verificar os benefícios das abordagens da Terapia Ocupacional no tratamento de crianças com autismo; e Identificar quais são as contribuições das abordagens, usualmente utilizadas pelos terapeutas ocupacionais brasileiros, para um bom prognóstico de crianças com o transtorno. O estudo será realizado por meio do estudo descritivo, exploratório, transversal, por meio da abordagem qualitativa. O público alvo serão os Terapeutas Ocupacionais brasileiros que atendem crianças com TEA, na idade entre 0 a 12 anos incompletos. A Coleta de dados se fará por meio de questionário, Apêndice I, elaborado no formulário eletrônico, Google Forms, com perguntas semiestruturadas, de múltipla escolha e abertas, tendo as suas perguntas norteadas, tiveram como base nas ocupações. Como critérios de inclusão, tem-se: Terapeutas Ocupacionais que atendem pacientes com TEA, na idade de 0 a 12 anos incompletos, que desempenham a sua intervenção por meio das abordagens terapêuticas, usualmente utilizadas no tratamento de pessoas com autismo, Integração sensorial, Análise do Comportamento Aplicada (ABA), Psicodinâmica, Floortime, Denver e Estimulação precoce. Para os critérios de exclusão tem-se: os Terapeutas Ocupacionais que atendem pessoas com autismo com idade superior a 12 anos; que não utilizarem como metodologia em sua intervenção as técnicas de Integração sensorial, Análise do Comportamento Aplicada (ABA), Psicodinâmica, Floortime, Denver e Estimulação precoce; e que não preencherem adequadamente o questionário da pesquisa, não respondendo a duas ou mais perguntas. Por fim, com esse estudo se espera compreender melhor as principais aplicabilidades e contribuições das abordagens terapêuticas ocupacionais para o tratamento da pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA).