Ir para o conteúdo Corpus Ir para o menu Corpus Ir para a busca no site Corpus Ir para o rodapé Corpus
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Homenagem à acadêmica Jordana de Oliveira Rodrigues



       O silêncio organiza as palavras: silêncio-palavra-silêncio-palavra-silêncio… Há uma semana que a Jordana partiu, deixando em nós um vazio imenso, muitos pontos de interrogação e silêncio! Falar sobre tal acontecimento é doloroso, mas necessário. É preciso elaborar a perda, discursivisar… Quem foi a Jordana? Um ser humano que amava a vida e que lutou bravamente por mais de 10 anos contra o lúpus! Um sorriso constante, uma presença de espírito surpreendente! Uma mulher negra que questionava o sistema de cotas para ingresso na universidade… Uma acadêmica de Letras da UFSM que concentrou seus esforços e esperanças nas aulas e nas atividades do PET Letras, no cotidiano do Laboratório Corpus! Nunca houve uma petiana tão apaixonada e engajada pelas causas sociais como a nossa Jordana! Para ela tudo o que fazíamos juntos era “bacana” e “supimpa”! Não havia tempo ruim, a não ser as temporadas que passava hospitalizada (brincando de estar em um SPA), quando ria diante do cumprimento de seu próprio destino. Partiu precocemente nossa Jordana, “Palhaço Pipoca” da Turma do Ique e “Profe querida” nos projetos do Colégio Pão dos Pobres… a menina travessa que sonhava em estudar na UNICAMP, sob a orientação da Cris Dias, e que planejava conhecer Paris… Certo dia em rápida visita à CTI, após recobrar a consciência (pós-coma), a Jordana me confidenciou que passava os dias naquela brancura da CTI, no isolamento que lhe tirava até a noção de tempo, imaginando-se longe dali: ora em Campinas, ora em Paris! Essa é a lembrança mais doce e singela que fica em mim… hoje ela é uma borboleta colorida que sobrevoa os lugares que amou, que pousa nos corações que conquistou! Que a dor seja saudade e que a saudade seja inundada de música e poesia, bem como a Jordana gostava…

                                                                                                                                                                         Verli Petri

com a pesquisa com Fiorin

com a turma

com o Laboratório Corpus

ela amava selfies com a turma

Palhaço Pipoca e sua turma

Encontro entre Laboratórios na USP - Ribeirão Preto

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes