Ir para o conteúdo LABIS Ir para o menu LABIS Ir para a busca no site LABIS Ir para o rodapé LABIS
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Grupos de Estudo

Sociologia da Religião

em construção ….

Sindicalismo e Trabalho Rural

Tutor: Prof. Dr. Everton Lazzaretti Picolotto 

Sindicalismo e Trabalho Rural

Descrição: O grupo de estudos visa oferecer aos alunos de graduação e pós-graduação da UFSM formação complementar sobre os temas do sindicalismo e do trabalho no espaço rural. Trata da formação do sindicalismo nas sociedades capitalistas, da sua constituição enquanto instrumento de representação política das classes sociais, dos modelos teóricos para se pensar a relação sociedade civil e Estado (corporativismo, neocorporativismo e pluralismo), da história do sindicalismo no Brasil e da especificidade do sindicalismo rural; problematiza-se as heranças do sindicalismo varguista, a emergência do novo sindicalismo no país, as mudanças produzidas no sindicalismo no pós-Constituição de 1988 e o sindicalismo na Era Lula. Objetiva-se fazer reflexões sobre o sindicalismo de forma geral, como forma de representação política das classes sociais e da sua relação com o Estado, e sobre a especificidade da representação sindical no espaço rural.

Bolsistas: ( ordem alfabética)

Ana Victória Silva

Nadine Gerhardt Lermen

Rafaella Codeim Dresch

Teoria Política Feminista

Tutora: Profª. Dr.ª Letícia Machado Spinelli

 Descrição: Historicamente, a teoria política feminista se desenvolveu no final da década de 70. Feminismo e teoria política se cruzaram e passaram a se implicar teoricamente à medida que o feminismo resgatou, sob uma ótica diferenciada (aquela do gênero), questões fundamentais da teoria política. Se servindo de distintas abordagens, a teoria feminista pôs em destaque não só o papel da mulher nas questões envolvendo igualdade, opressão, direita e hierarquia, mas também destacando o caráter político dessas práticas, mediante o qual se invocou a máxima de que “o pessoal também é político”. Sob o intuito de teorizar questões relativas ao direito e à igualdade, bem como os seus efeitos, o feminismo pôs em evidência distinções fundamentais da teoria liberal, como por exemplo, público e privado, indivíduo e grupo, liberdade individual e intervenção estatal, igualdade e diferença, entre outras. A teoria feminista, portanto, alargou o seu objetivo de investigar a “singularidade feminina” em direção a uma abordagem abrangente dos efeitos oriundos da desigualdade de gênero bem como do modo como essas questões devem ser acomodadas numa estrutura conceitual adequada, a partir da qual ações políticas podem ser direcionadas em vista de amenizar os efeitos da discriminação de gênero.

  • Encontros quinzenais de leitura e análise de textos.

MÓDULO I: GÊNERO, SEXO E DIFERENÇA

DATAS/textos:

1- 05/05 – SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil de análise histórica Artigo online: http://www.dhnet.org.br/direitos/textos/generodh/gen_categoria.html

2- 19/05  –  BUTLER, J..Problemas de gênero. Feminismo e subversão da identidade. Trad. de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2003.

3- 02/06  –  NICHOLSON, Linda. “Interpretando o gênero”. Revista de Estudos feministas, Florianópolis, UFSC, volume 8, no. 2, 2000. 

4- 16/06  –  SCOTT, Johan. “O enigma da igualdade”. Trad. de Jó Klanovicz e Susana BornéoFunckIn: Estudos Feministas, Florianópolis, 13(1): 216, janeiro-abril/2005.

5- 30/06  –  OKIN, Susan Moller. “O multiculturalismo é ruim para as mulheres?”. In: BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luiz Felipe. Teoria política feminista: textos centrais. Vinhedo: Horizonte, 2013, pp.359

MÓDULO II: O FEMINISMO E A POLÍTICA

Datas/textos:

Agosto

1- 28/08  SCOTT, Johan.“La querelledesfemmes” no final do século XX”. Rev. Estud. Fem. [online]. 2001, vol.9, n.2, pp. 367-388.

 Setembro

2- 11/09  OKIN, Susan Moller. “Gênero, o público e o privado”. In: Estudos Feministas, Florianópolis, 16(2): 440, maio-agosto/2008.

3- 25/09  PATEMAN, Carole. “Críticas feministas a dicotomia público/privado”. In: BIROLI, Flávia; MIGUEL, Luiz Felipe. Teoria política feminista: textos centrais. Vinhedo: Horizonte, 2013, pp.pp.55-80

 Outubro

4- 16/10 – BIROLLI, Flávia. “Autonomia, opressão e identidades: a ressignificação da experiência na teoria política feminista”. In:Estudos Feministas, Florianópolis, 21(1): 424, janeiro-abril/2013.

5- 30/10 – COHEN, Jean L.. “Repensando a privacidade: autonomia, identidade e a controvérsia sobre o aborto”. Trad. de André Villalobos e revisão de Flávia Biroli. In:Revista Brasileira de Ciência Política, nº7. Brasília, janeiro – abril de 2012, pp. 165-203.

Novembro

6- 13/11 – FRASER, Nancy.“Mapeando a imaginação feminista: da redistribuição ao reconhecimento e à representação”.Rev. Estud. Fem. [online].2007, vol.15, n.2, pp. 291-308. ISSN 0104-026X

7- 27/11 – YOUNG, I. M .“Representação política, identidade e minorias”. Lua Nova, São Paulo, 67, 139-190, 2006.

Leituras do Mundo do Trabalho e das Profissões

Grupo de Estudos LMTP (Leituras do Mundo do Trabalho e das Profissões).

Descrição: Este grupo tem como objetivo ser um espaço para formação e debates entre alunos da graduação e pós-graduação em Ciências Sociais-UFSM, acerca das questões e problematizações trabalhadas nos projetos de extenção: Programa PROLICEM, LabIS. http://sociologiaeespacospublicos.wordpress.com/

 Docentes: ( ordem alfabética) 

 Profª. Drª. Laura Ferreira Senna

 Profª. Drª. Mari Cleise Sandalowski

 Prof. Dr. Ricardo Mayer

 Bolsistas:

 Beatriz Collares

 Cristiane de Almeida Jardim

 Diego Paim

 Elizandro Silveira 

 Gabriela Bastos Ribas

Educação em Direitos Humanos