Ir para o conteúdo LAS Ir para o menu LAS Ir para a busca no site LAS Ir para o rodapé LAS
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Análise de Sementes

 Inicialmente, a avaliação da qualidade das sementes era feita visualmente, pelas partes interessadas. Porém, com a intensificação do comércio de sementes, no século passado, começaram a surgir problemas relacionados à qualidade. As boas sementes eram misturadas com outras de menor valor comercial. Estas práticas inescrupulosas estimularam o exame detalhado, a criação de laboratórios e a avaliação sistemática da qualidade das sementes.

Finalidades da Análise de Sementes

a) determinar a qualidade de um lote de sementes;
b) determinar o valor das sementes para a semeadura;
c) fornecer dados para a etiquetagem e fiscalização do comércio;
d) estabelecer bases para a compra e venda;
e) fixar bases para distribuir, armazenar ou descartar;
f) avaliar o beneficiamento;
g) auxiliar a pesquisa e melhoramento genético;
h) identificar problemas e possíveis causas.

       As análises precisam ser executadas em locais apropriados – Laboratórios de Análise de Sementes (LAS). O primeiro LAS foi montado na Alemanha, em 1869. Atualmente, existem no RS 48 laboratórios de análise de sementes, sendo cinco Oficiais (LASO), que recebem amostras da fiscalização da produção e do comércio, e 43 laboratórios de análise de sementes de produção, que recebem e executam análises para produtores em geral. Para a realização das análises, são necessários, também, pessoal treinado e métodos e procedimentos uniformes. Os métodos uniformes estão publicados sob o título de Regras para Análise de Sementes (RAS), recomendadas por lei, que apresentam os tipos e metodologias dos testes para sementes.

       Os resultados obtidos pela análise só terão validade se realizada em amostra representativa do lote. Se o lote não for homogêneo ou se houver erro na amostragem haverá informações incorretas, que poderão beneficiar ou prejudicar os interessados. O teste mais usado para determinar a qualidade das sementes é o teste de germinação. Esse teste informa a capacidade potencial de um lote de sementes formar plântulas normais, sob condições favoráveis, no entanto, seus resultados, freqüentemente, não se correlacionam com a emergência em campo, onde as condições nem sempre são favoráveis. É necessário, portanto, que se complemente as informações provenientes do teste de germinação, com dados da análise de pureza, exame de sementes nocivas, umidade, sanidade e vigor, a fim de melhor avaliar e informar sobre a qualidade das sementes. A semente é um insumo básico de grande valor e só a sua avaliação correta permite o uso adequado, o qual determina o aumento da produtividade e o sucesso da produção agrícola.