Pular para o conteúdo
Português English Español Français Italiano
Início do conteúdo

Tecnologia que valoriza Santa Maria



Ouça esta reportagem:

Em 2017, quando teve a ideia de criar um aplicativo para orientar o turista em Santa Maria, a aluna do mestrado em Patrimônio Cultural da UFSM Taís Drehmer Stein pretendia apenas que a experiência servisse como base para a sua dissertação. Pouco mais de um ano depois, ela está surpreendida com o sucesso do produto e faz planos para incrementá-lo com o apoio de empresários e do poder público. “Santa Maria possui um potencial turístico inexplorado, mas faltam investimentos no setor e informações disponíveis sobre as atrações”, explica Taís, para justificar a criação do TuriSMapp. Nele, são apresentadas 15 atrações turísticas de Santa Maria relacionadas ao patrimônio histórico e cultural da cidade e a agenda de eventos em cada uma delas. Taís utilizou a Linha Turismo – extinto roteiro de ônibus da Prefeitura de Santa Maria – como base para escolher os pontos turísticos do aplicativo. Entre os locais incluídos, estão o Theatro Treze de Maio, o Museu Gama D’Eça, o Mercado Público e o Museu de Arte de Santa Maria. O app possui ainda um mural para que os usuários possam fazer comentários e sugestões.


Lançado em 30 de agosto de 2018, o produto teve, até fevereiro, cerca de 270 downloads na Play Store, a loja virtual do Google. O TuriSMapp pode ser baixado também através do QR code disponível no material de divulgação. Para o professor do Departamento de Turismo da UFSM Marcelo Ribeiro, orientador da dissertação de Taís, o turismo em Santa Maria tem potencial para crescer. Segundo ele, o turista que visita a cidade, em geral, vem para participar de eventos, fazer negócios ou procurar serviços de saúde e educação, e não a lazer. Portanto, não se planeja para aproveitar os atrativos culturais e naturais santa-marienses, pois muitas vezes os desconhece. O docente sugere que, para incrementar o setor turístico, seria necessário criar roteiros a pé guiados entre os atrativos, ampliar o número de exposições artísticas itinerantes, estabelecer formas de diálogo com a comunidade e disponibilizar informações centralizadas e atualizadas sobre os pontos turísticos. “O aplicativo TuriSMapp foi uma ideia baseada nesses vácuos”, diz o professor.


Expectativa

A criadora do TuriSMapp já foi procurada por professores e por um empresário com ideias para o aplicativo. Além disso, Taís teve uma reunião com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação e obteve apoio para a divulgação – sua principal dificuldade – e para conseguir contatos para possíveis parcerias. O gerente de projetos de turismo da secretaria, André Farias, afirma que a prefeitura acredita que o aplicativo tem potencial para incrementar o turismo na cidade. Segundo ele, a facilidade de achar informações turísticas sobre o destino é fator de influência na hora de decidir para onde ir. “Com o mundo na palma da mão, se não estivermos conectados neste modelo, perderemos turistas e visitantes”, diz. Além disso, o TuriSMapp foi um dos projetos selecionados para receber uma bolsa da Pró-Reitoria de Extensão (PRE) para produtos desenvolvidos nos cursos de mestrado da UFSM. Taís afirma que também tem planos para incorporar informações sobre hotéis, restaurantes e bares. Para isso, pretende ter conversas com proprietários dos estabelecimentos. Outra ideia é expandir a abrangência do produto para cidades vizinhas, como municípios da Quarta Colônia. Nesse sentido, precisaria do auxílio das prefeituras da região, além de pessoas para atualizarem a agenda de eventos dessas cidades.

Reportagem: Rossano Villagrán Dias
Ilustração e Diagramação: Lidiane Castagna





Publicações Recentes