Ir para o conteúdo Revista Arco Ir para o menu Revista Arco Ir para a busca no site Revista Arco Ir para o rodapé Revista Arco
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

5 plantas curiosas que você encontra no Jardim Botânico



O Jardim Botânico da UFSM compreende uma área territorial de treze hectares e conta com uma coleção de cerca de 400 espécies de plantas. Além de servir como espaço de ensino e pesquisa para a comunidade acadêmica, o Jardim serve como espaço de lazer e aprendizado para a comunidade em geral, que pode visitá-lo gratuitamente e se deparar com curiosas espécies. Na galeria do lugar, são encontradas plantas medicinais, carnívoras, exóticas e nativas, entre outras.

 

+ Confira os mitos que envolvem a criação de plantas carnívoras.

 

A revista Arco separou 5 espécies existentes no Jardim Botânico da UFSM e apresenta as peculiaridades de cada uma delas. Confira a seguir:

 

Árvore do viajante

É originária de Madagascar. Por possuir um tronco alto e folhas enormes, histórias populares aparecem interligadas à forma de suas folhas, que armazenam água e matam a sede de viajantes que passam pelo seu caminho.

Embira-branca

Da sua entrecasca podem ser extraídas fibras, muito resistente e duráveis, que são usadas para fazer cordas. Nesse processo, deixa-se a fibra secar para depois trançá-la e transformá-la em corda. Por ser tóxica, o manuseio prolongado dessa fibra gera feridas nas mãos.

Melaleuca ou Tronco mole

Árvore nativa da Austrália, desperta curiosidade devido à casca do seu tronco, pois desprende-se em várias lâminas e tem textura de papelão. Parente do Eucalipto, tem floração ornamental. Os óleos extraídos têm várias propriedades utilizadas na medicina e perfumaria.

Paineira

Árvore nativa do Rio Grande do Sul, é curiosa devido à textura de seu tronco, que é coberto por acúleos – algo parecido com espinhos.  Sua madeira é muito macia, então não pode ser utilizada como lenha. 

Pau-Ferro

Como o próprio nome sugere, a árvore  possui madeira densa, durável e resistente. Violões e violinos, construção civil e construção de vigas podem se beneficiar dessa planta. Sua casca pode ser utilizada para fins medicinais como o combate infecções, redução de micróbios e purificação de toxinas no organismo.

 

Reportagem: Bibiana Pinheiro
Fotografia: Rafael Happke


Publicações Recentes