Ir para o conteúdo Revista Arco Ir para o menu Revista Arco Ir para a busca no site Revista Arco Ir para o rodapé Revista Arco
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Na cara e na coragem



Rodrigo dos Santos Ramos, também conhecido como Rodrigo Sabiah, se denomina como reciclador de lixo e de vidas. Ele estará em Santa Maria nesta sexta-feira (6) para o evento Ampla – exato é ser humano, realizado pela ONG Engenheiros Sem Fronteiras. No espaço, Sabiah contará sobre sua história e sobre o trabalho da cooperativa de reciclagem Recomeçar!, fundada por ele na Zona Sul de Porto Alegre, bairro onde ele cresceu. A iniciativa propõe oferecer oportunidade de trabalho a quem, como ele, é egresso de presídio, abrigo ou Fase-RS (Fundação de Atendimento Socioeducativo do Rio Grande do Sul).

 

O reciclador e idealizador da Recomeçar! tem a história parecida com a de muitos outros brasileiros. Entrou para a vida do crime na periferia da capital do Estado, e logo jovem foi detido pela primeira vez. Voltou a cometer delitos e acabou preso novamente. Durante os cinco anos que permaneceu no Presídio Central de Porto Alegre, teve contato com a literatura e leu um livro inteiro pela primeira vez. Isso o motivou a mudar de vida, a traçar novas metas e a decidir por um caminho diferente.

 

Entretanto, ele explica que, ao sair da prisão, mesmo com tantos planos, é difícil conseguir colocar todos em prática.

Um egresso tem dificuldades para se inserir na sociedade. Não só ele tem dificuldades para se inserir, assim como a sociedade tem dificuldades para aceitá-lo, pois o egresso chega muitas vezes com vontade de trabalhar e fazer as coisas e a sociedade o recebe cheia de preconceitos e desconfiança. Tive que dar a volta por cima na cara e na coragem, com o apoio da minha família e amigos. Nunca foi fácil, pois enfrentei preconceito e muito convite para fazer diversas coisas erradas, ainda mais nos momentos em que eu mais estava mal financeiramente”, relata Sabiah.

Ele acredita que muitos dos problemas enfrentados na reinserção social está dentro da própria lógica dos presídios.

O maior culpado de tudo isso é o governo, que larga o preso dentro da cadeia e fala ‘te vira aí, neguinho’. Lá dentro tu tem que sobreviver em um lugar sem a menor dignidade. Um lugar hostil, onde se tu não é bandido, tu acaba aprendendo na marra a ser. Tu não é nem um pouco preparado para o mundo aqui fora, e nem a sociedade está preparada para te receber”, pontua.

 

O ex-carcerário, empreendedor e reciclador, agora trabalha para ajudar a mudar a realidade de ex-presidiários. Usa a cooperativa para contratá-los, e virou presidente da Associação Humanitária Assistencial de Apoio à Vida e à Reinserção Social (AHAAVRS), a mesma que um dia o ajudou a ter um caminho diferente. Além disso, também realiza palestras usando a sua história de recomeço para inspirar outros jovens a se reinventarem.

 

“Existe um monte de Sabiah por esse Brasil. A única diferença é que eu divulgo esse trabalho e levo para outras pessoas a ideia de que é possível uma mudança, e que devemos acreditar em nós e no nosso próximo”, diz ele.

 

O evento Ampla – exato é ser humano acontecerá no auditório Wilson Aita, localizado no Centro de Tecnologia (CT) da UFSM, nos dias 6 e 7 de abril.

 

Reportagem: Mayara Souto

Fotografias: Acervo pessoal de Rodrigo Sabiah


Publicações Recentes