Ir para o conteúdo Revista Arco Ir para o menu Revista Arco Ir para a busca no site Revista Arco Ir para o rodapé Revista Arco
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

O que estudam os 14 professores da UFSM entre os mais influentes do mundo?

Arco conversou com os docentes da instituição citados nos rankings da revista Plos Biology sobre suas pesquisas



A Arco conversou com os docentes da instituição citados nos rankings da revista Plos Biology sobre suas pesquisas

A revista Plos Biology publicou em outubro de 2020 a relação dos pesquisadores mais influentes do mundo. O ranking conta com 100 mil cientistas, sendo mais de 600 deles brasileiros. Dentre estes, 14 professores da Universidade Federal de Santa Maria estão na relação. A classificação resulta de pesquisa da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, que realizou o levantamento de citações na base de dados Scopus. São dois rankings: carreira, que avalia os impactos de pesquisas feitas ao longo da trajetória do cientista, dados do último ano, que lista os destaques científicos de 2019. 

Entre os 14 destacados pela Plos Biology, um é referenciado em outra lista, a de altamente citados da Web Of Science, que reuniu mais 6,3 mil pesquisadores de 60 países em 2020. O professor Felipe Schuch, do Departamento de Métodos e Técnicas Deportivos, integra o grupo com outros 18 brasileiros, em sua maioria do Sudeste. A listagem da Web Of Science, elaborada por especialistas em bibliometria, considera artigos altamente citados entre 2009 e 2019 em áreas específicas ou cruzadas. Para se ter uma ideia, o professor Felipe Schuch, que estuda a relação entre saúde física e mental, publicou 131 artigos e foi citado mais de 3,3 mil vezes.

Mas, afinal, quem são os 14 professores da UFSM que estão no ranking da Plos Biology e o que eles estudam? Criamos o perfil acadêmico de cada um deles para entender mais sobre as pesquisas desenvolvidas. As informações foram fornecidas pelos pesquisadores e extraídas das plataformas Lattes e Publica.

Bernardo Baldisserotto

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Fisiologia e Farmacologia/CCS

Graduação: Oceanologia pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG)

Mestrado e doutorado: Fisiologia Geral pela USP

Estágio pós-doutoral: Ciências Biológicas pela McMaster University, Canadá

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1A

Temática de Pesquisa: Já fiz vários trabalhos relacionados à regulação iônica em peixes, principalmente daqueles que vivem em água doce. Nosso grupo também publicou estudos voltados ao cultivo do jundiá, relacionados com a sobrevivência e crescimento de larvas e juvenis em águas com diferentes pHs, durezas, amônia, nitrito e níveis de ácidos húmicos. Alguns trabalhos sobre o efeito de metais e pesticidas em peixes também foram desenvolvidos. Ainda realizamos alguns estudos nesse campo, em parcerias com outros pesquisadores, mas nossa linha de pesquisa principal no momento é o uso de óleos essenciais como anestésicos e como promotores do crescimento em animais aquáticos e tratamento de doenças em peixes.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Buscamos óleos essenciais que possam atuar como anestésicos e sedativos que reduzam o estresse dos animais aquáticos quando submetidos aos processos comuns no cultivo, como manuseio e transporte. Também buscamos alternativas para o tratamento de doenças bacterianas em peixes, de modo a reduzir o uso de antibióticos e o consequente aparecimento de bactérias multirresistentes. Os óleos essenciais são produtos naturais, com baixo impacto ambiental, e o cultivo das plantas que são utilizadas para produzir esses óleos pode ser uma opção para os agricultores gaúchos ou brasileiros, uma vez que a maioria das plantas testadas são cultivadas na nossa região.

Cassiano Rech

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Processamento de Energia Elétrica/CT

Graduação: Engenharia Elétrica pela UFSM

Mestrado e doutorado: Engenharia Elétrica pela UFSM

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1C

Temática de pesquisa: As principais linhas de pesquisa são: conversores multiníveis, geração distribuída de energia elétrica, sistemas fotovoltaicos, sistemas de armazenamento de energia elétrica e veículos elétricos.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? A eletrônica de potência consiste no estudo e no desenvolvimento de conversores estáticos para as mais diversas aplicações, como inversores empregados em sistemas solares fotovoltaicos instalados em residências e conversores usados em estações de recarga rápida de veículos elétricos. Nos últimos anos, tenho focado minhas pesquisas no estudo de conversores estáticos de potência para aplicações em média e alta tensão. Esses conversores são utilizados, por exemplo, no controle de velocidade de motores de grande porte. Além disso, tenho coordenado pesquisas com foco no desenvolvimento de estações de recarga para veículos elétricos.

Cristina Wayne Nogueira

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular/CCNE 

Graduação:  Farmácia pela UFSM

Mestrado: Ciência e Tecnologia dos Alimentos pela UFSM

Doutorado: Ciências Biológicas (Bioquímica) pela UFRGS

Estágio pós-doutoral: Universidade de Iowa, Estados Unidos

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1A

Temática de pesquisa: Minha área de atuação é a Bioquímica, com ênfase em Bioquímica Toxicológica, principalmente a toxicidade e a farmacologia de organocalcogênios. Essa linha de pesquisa envolve o estudo toxicológico e o potencial farmacológico de moléculas inéditas que contenham os átomos de selênio ou telúrio. Para tanto, trabalho com modelos experimentais mimetizando doenças que acometem a população e avaliando a ação destas novas moléculas nestes modelos. Pretendemos contribuir para o desenvolvimento de novos produtos que possam ser alternativas terapêuticas para doenças que acometem a população, tais como obesidade, diabetes, e toxicidade causada por quimioterápicos.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Em um dos projetos desenvolvidos no meu grupo, estamos interessados em entender se o estresse pode influenciar nos efeitos indesejados de remédios usados no tratamento do câncer e usar moléculas novas para tentar reduzir estes efeitos.

Érico Moraes Flores

Departamento/Unidade de Ensino: CCNE/Departamento de Química

Graduação: Química Industrial pela UFSM

Mestrado: Química pela UFSM

Doutorado:  Engenharia de Minas, Metalúrgica e dos Materiais pela UFRGS

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1A

Temática de pesquisa: Trabalho na área de espectrometria atômica e de desenvolvimento de métodos analíticos aplicados a materiais de alta pureza, amostras de alimentos e de produtos farmacêuticos, além de amostras de interesse biológico ou ambiental. Mais recentemente, tenho me dedicado ao desenvolvimento de sistemas para a intensificação de processos industriais envolvendo energias alternativas como micro-ondas, ultrassom e radiação ultravioleta.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Nos últimos anos, nosso grupo de pesquisa atua no desenvolvimento de métodos e de protótipos para a melhoria do petróleo e de combustíveis, como é a remoção de enxofre de óleo diesel. Paralelamente a isso, diversos sistemas para o reaproveitamento de compostos industriais e de produção de etanol de terceira geração são desenvolvidos. Além disso, há muito esforço para a melhoria dos sistemas de controle de qualidade de impurezas em alimentos, nanomateriais, fármacos e outros tipos de amostras. 

Felipe Barreto Schuch

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Métodos e Técnicas Desportivas/CEFD

Graduação: Licenciatura em Educação Física pela UFRGS

Mestrado e doutorado: Ciências Médicas: Psiquiatria pela UFRGS 

Temática de pesquisa: Promoção de saúde física e mental para pessoas com transtornos mentais e como forma de prevenção de transtornos mentais na população em geral.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente: Meus estudos mais recentes têm focado na mudança de comportamento durante a pandemia e no impacto das mudanças de comportamento na saúde física e mental da população em geral.

 

Gabriela Trevisan dos Santos

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Fisiologia e Farmacologia/CCS 

Graduação: Farmácia pela UFSM

Mestrado e doutorado: Ciências Biológicas: Bioquímica Toxicológica pela UFSM, com período sanduíche na Universidade de Firenze, Itália

Estágio pós-doutoral: Universidade do Arizona, EUA

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 2

Temática de pesquisa: Sempre estudei dor e mecanismos de dor e inflamação, que envolvem canais de membrana chamados de TRP, principalmente o TRPA1. Atualmente, a nossa temática principal envolve a dor neuropática, a dor de cabeça na esclerose múltipla e as dores relacionadas ao câncer.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Tentam explicar como a dor se processa na esclerose múltipla, e quais proteínas estariam envolvidas neste processo.

Gilson Rogério Zeni

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular/CCNE 

Graduação: Química Industrial pela UFSM

Mestrado: Química pela UFSM

Doutorado: Química Orgânica pela Universidade de São Paulo (USP)

Estágio pós-doutoral: Universidade de Iowa, Estados Unidos

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1A

Temática de pesquisa: Nos últimos anos tenho me dedicado ao desenvolvimento de metodologias de preparação de espécies vinílicas de organocalcogênios (compostos químicos que apresentam em sua estrutura átomos de enxofre, selênio e telúrio), bem como na aplicação destas espécies em reações de acoplamento. Atualmente, estudo a aplicação de organocalcogênios como substratos para a construção de moléculas cíclicas ou como ferramenta sintética para promover reações de ciclização – reações de formação dessas moléculas -; e a sua aplicação farmacológica. As moléculas cíclicas são aquelas que quando formadas, os seus átomos geram um ciclo.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Construímos moléculas que contenham um átomo de selênio e apresentem estruturas simples, com o intuito de apontar remédios que possam representar um novo tratamento para a depressão e outras doenças.

Guilherme Luiz Dotto

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Engenharia Química/CT

Graduação: Engenharia de Alimentos pela FURG

Mestrado e doutorado: Engenharia e Ciência de Alimentos pela FURG

Estágio pós-doutoral: FURG

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 2

Temática de pesquisa: Atuo nas áreas de fenômenos de transporte, operações unitárias, tratamento de efluentes líquidos, sistemas particulados e processos de separação. Atualmente, trabalho na remoção de poluentes de soluções aquosas com uso de bioadsorventes, nanobiomateriais, materiais carbonáceos e poliméricos.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Desenvolvimento de materiais alternativos para utilização no tratamento de água para consumo e efluentes.

Humberto Pinheiro

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de processos de Energia Elétrica/CT

Graduação: Engenharia Elétrica pela UFSM

Mestrado: Engenharia Elétrica pela UFSC

Doutorado: Engenharia Elétrica e Computacional pela Concordia University, Canadá

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1C

Temática de pesquisa: Engenharia Elétrica com ênfase em Eletrônica Industrial. Atuo principalmente nos seguintes temas: controle discreto de conversores estáticos, sistemas de geração eólica, modulação para conversores estáticos.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente? Fatores ambientais impulsionam a transição para geração de energia elétrica a partir de fontes renováveis como a eólica e a solar. Essas geralmente necessitam de conversores estáticos para conexão com a rede elétrica existente. Dentre as pesquisas que realizo estão controladores para conversores estáticos encontrados em turbinas eólicas e sistemas de geração fotovoltaicos.

João Batista Teixeira da Rocha

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Bioquímica e Biologia Molecular/CCNE

Graduação: Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul  (UFRGS) 

Mestrado e doutorado: Ciências Biológicas (Bioquímica) pela UFRGS

Estágio pós-doutoral: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1A

Temática de pesquisa: Trabalha nas áreas de bioquímica, toxicologia e farmacologia de organocalcogênio. Também estuda o papel do estresse oxidativo em patologias humanas e participa de atividades relacionadas à efetividade do ensino de ciências.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente?  Avaliam o potencial farmacológico de compostos orgânicos de selênio a partir de ensaios in vitro (realizados fora da célula, em um ambiente artificial que reconstrói o modelo biológico) e in vivo (realizados dentro da célula em condições naturais). Esses estudos visam ao desenvolvimento de agentes neuroprotetores. Também pesquisa o potencial antioxidante e terapêutico de produtos feitos a partir de plantas medicinais e de alimentos funcionais.

José Renes Pinheiro

Departamento/Unidade de Ensino: professor aposentado e voluntário na Engenharia Elétrica/CT e professor visitante na Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Graduação: Engenharia Elétrica pela UFSM

Mestrado e doutorado: Engenharia Elétrica pela UFSC

Estágio pós-doutoral: Engenharias na Virginia Tech, EUA

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1B

Temática de pesquisa: Engenharia Elétrica, Eletrônica Industrial e Sistemas e Controles Eletrônicos.

Luiz Felipe Valandro

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Odontologia Restauradora/CCS

Graduação: Odontologia pela UFSM

Mestrado e doutorado: Odontologia Restauradora (Prótese Dentária) pela Unesp São José dos Campos, com período sanduíche na Universidade de Bolonha, Itália

Estágio pós-doutoral: Universidade de Michigan, EUA

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1C

Temática de pesquisa: estuda materiais odontológicos, como pinos intra-radiculares, cerâmicas odontológicas e biofilmes dentários.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente: síntese de nanopartículas (pequeníssimos grãos, imperceptíveis ao olho nu) de zircônia estabilizada com ítria (óxido natural do ítrio, um tipo de metal). A finalidade é o uso em materiais odontológicos

Marcos Antonio Pinto Martins

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Química/CCNE

Graduação: Química Industrial pela UFSM

Doutorado: Química Orgânica pela USP

Estágio pós-doutoral: Ciências Exatas e da Terra na Universidade de Stuttgart, Alemanha

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1A

Temática de pesquisa: Química heterocíclica, especialmente no desenvolvimento de novos precursores de blocos de construção, de métodos sintéticos, de procedimentos verdes, do uso de líquidos iônicos e de procedimentos livres de solventes nas reações de condensação. 

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente?Desenvolve modelos moleculares adequados para estudos de estrutura supramoleculares de sistemas mono-componentes e multi-componentes em solução (agregados e géis), e também no estado sólido cristalino (engenharia de cristais).

Rafael Noal Moresco

Departamento/Unidade de Ensino: Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas/CCS 

Graduação: Farmácia e Bioquímica pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul

Mestrado e doutorado: Medicina: Ciências Médicas pela UFRGS

Estágio pós-doutoral: Universidade de Ghent, Bélgica

Classificação Produtividade em Pesquisa CNPQ: Nível 1D

Temática de pesquisa: Tenho abordado métodos não-invasivos para a investigação de doenças pelo estudo de novos biomarcadores laboratoriais. Nessa temática, inclui-se a análise de proteínas específicas em amostras de urina para identificar precocemente a ocorrência de lesões renais, com o intuito de contribuir para uma rápida intervenção e para a redução na ocorrência de quadros mais graves associados às doenças renais. Além disso, as pesquisas visam descobrir novos mecanismos fisiopatológicos associados a doenças altamente prevalentes como o Diabetes tipo 2, bem como identificar novos biomarcadores com potencial de serem avaliados nos laboratórios de análises clínicas. Os estudos também buscam compreender o efeito de algumas variáveis pré-analíticas sobre os resultados dos exames, de forma a contribuir para o aprimoramento de processos.

Sobre o que trata sua pesquisa mais recente: As pesquisas mais recentes envolvem o estudo de proteínas e de métodos laboratoriais aplicados à investigação de doenças como o diabetes tipo 2 e a doença renal. Os estudos visam identificar novos mecanismos associados a estas doenças, assim como contribuir para o aprimoramento da investigação diagnóstica realizada através de exames de laboratório já disponíveis e por outros testes que ainda estão em fase de investigação e que são objeto de nossas pesquisas.

Expediente

Repórteres: Bernardo Salcedo, acadêmico de Jornalismo da UFSM e bolsista, e Denise Nunes, acadêmica de Jornalismo da UFSM Frederico Westphalen e estagiária

Mídia social: Nathália Pitol, acadêmica de Relações Públicas e bolsista

Editora de produção: Esther Klein, acadêmica de Jornalismo e bolsista

Editor chefe e supervisor de estágio: Maurício Dias, jornalista

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes