Ir para o conteúdo Agência Da Hora Ir para o menu Agência Da Hora Ir para a busca no site Agência Da Hora Ir para o rodapé Agência Da Hora
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

No duelo de alviverdes, frederiquense sai na frente



Começando exatamente às 8h e 9min, remetendo à figura do Faustão, Hugo, dos donos da casa, deu pontapé inicial à partida, valendo pelo jogo de ida da Final da Taça Farroupilha da Região Alto Uruguai de 2022.

No jogo, no Ginásio do Itapagé, em Frederico Westphalen, na noite do último sábado, 14, não restou nem a expressão “faltou chover” para descrever tudo o que aconteceu nessa final. O Guarani recebeu a ANBF na penúltima derradeira da Taça, com chuva de cartões dentro da quadra, em uma partida de muitos gols e de uma noite chuvosa no outono frederiquense.

No futsal, o placar que é decrescente. Matheus abriu o marcador para o verdão, aos 17min da primeira etapa, com uma grande assistência de Hugo. Em uma jogada que parecia treino de finalização, o dono da casa abriu vantagem no início da peleia. Mas, dificultando as coisas para o Guarani, o camisa número 7, Luan, entrou em jogo e fez falta no frederiquense Douglinhas, que defendeu a ANBF e, assim, foi expulso. Expulsão que gerou uma grande confusão em quadra, sendo que até o Euzébio Lavratti (diretor do Guarani) foi expulso, sendo vaiado pela torcida da ANBF presente no ginásio.

Embate entre alviverdes da região na Taça Farroupilha. Guarani e ANBF disputam o título
Foto: André Santos

Após dois minutos com um a menos, Naimayer voltou para recompor os 5 do alviverde de Frederico. Com menos de 4 minutos para o encerramento do primeiro tempo, o time de Novo Barreiro cometera a quinta falta. Assim, com liberdade de jogo, o Guarani ampliou aos 3 minutos e 16s, com Lukinhas, após outra assistência de Hugo. Depois disso, o jogador recebeu o segundo amarelo, o camisa 89 do Verdão teria provocado a torcida novo barreirense com uma dancinha após o gol, ‘chamando baile’ com a torcida adversária, que tretou com a saída do jogador passando próxima da mesma, após deixar as 4 linhas de quadra.

Ao final da primeira etapa do embate alviverde, a ANBF impôs pressão no adversário colocando o goleiro linha pra jogar no 5 contra 3, entre os jogadores de linha, após a expulsão de Hugo. Medida que fez efeito e a lei do ex que foi eficaz para a ANBF, descontando com Douglinhas.

Após a volta do quinto jogador do Guarani, o primeiro tempo chegou ao fim e, na volta, os dois times teriam mais 20 minutos para se digladiar. Assim, no início da etapa complementar, após uma noite de sexta-feira 13, Halison que tem o numeral da camisa com o número supersticioso, alargou a vantagem do verdão em 3 a 1.

Mesmo superando o time de Novo Barreiro, a torcida frederiquense cismou com Bilo, ex jogador do Guarani que voltou do exterior pra defender a ANBF. Não bastava o clima de jogo, as expulsões e o ânimo das torcidas, aos 15 minutos e 50s, o cronômetro do ginásio ‘pifa’ e a reportagem volta a ser à moda antiga, perguntando o tempo de jogo para a os mesários na quadra.

No cronômetro da mesa da arbitragem, ele registrou aos 13m o gol do camisa 13, Halison, que impunha uma grande vantagem no jogo pro Guarani. Logo depois, a ANBF já entra com o recurso do goleiro linha, Lucas de numeral 17, vestiu a camisa laranja do goleiro. Após muito tempo de jogo, Douglinhas dá assistência para Alan Negão, encostando no placar, restando 4:39 para o final. E, com muita imposição de jogo, Arthur, de número 6, marcou o terceiro gol da ANBF, restando 3 minutos para acabar.

 

Texto e foto: André Santos
Revisão: Luciana Carvalho

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-825-599

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes