Ir para o conteúdo Íntegra Ir para o menu Íntegra Ir para a busca no site Íntegra Ir para o rodapé Íntegra
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Pandemia do COVID-19 interfere parcialmente em projeto de pesquisa da área ambiental.



Coordenador do projeto afirma que o impacto não foi significativo.

Por Amanda Spohr Demamann.
Pela disciplina de Redação Jornalística I.
Orientado pela professora Andréa Weber.

A pandemia do novo Coronavírus e a suspensão das atividades presenciais no campus da
UFSM/FW, não ocasionaram grandes interferências no projeto de pesquisa “Uso da espectrometria de fluorescência de Raio X no monitoramento ambiental” coordenado pelo professor do Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia Ambiental, Arci Dirceu Wastowski.

O projeto tem o objetivo de utilizar a técnica analítica de fluorescência de raios X, usada para a avaliação quali-quantitativa de espécies químicas em amostras de interesse agropecuário, agroindustrial, geológico e ambiental. A técnica tem um elevado potencial de aplicação em várias áreas.

O docente afirma que apesar de algumas análises no equipamento não estarem sendo realizadas, o fornecimento de nitrogênio líquido necessário para o funcionamento do material, continua a ser entregue pela empresa.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de novos rumos para o projeto, Wastoski revela que por ser um projeto de pesquisa, os impactos serão menores devido ao fato de haver um pequeno número de integrantes que trabalham em um ambiente controlado.

Projeto de pesquisa na área ambiental segue em andamento mesmo com suspensão das atividades acadêmicas devido ao COVID-19.

O projeto de pesquisa “Uso da espectrometria de fluorescência de Raio X no monitoramento ambiental” coordenado pelo docente da UFSM- Campus Federico Westphalen, Arci Dirceu Wastowski não sofreu significativa interferência com a pandemia do COVID-19. De acordo com o professor, algumas análises não estão sendo realizadas, mas, o nitrogênio líquido continua sendo fornecido para o equipamento. Segundo ele, isso se deve ao fato de haver um pequeno número de integrantes que trabalham em um ambiente controlado. O projeto utiliza a técnica analítica de fluorescência em raios X e possui elevada capacidade de aplicação em diversas áreas ambientais.

Íntegra – Agência Experimental de Comunicação – Laboratório didático do Departamento de Ciências da Comunicação

Publicações Recentes