Ir para o conteúdo Íntegra Ir para o menu Íntegra Ir para a busca no site Íntegra Ir para o rodapé Íntegra
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

VIDA TERRESTRE



As espécies estão entrando em extinção cada vez mais rápido, seja por queimadas, desmatamento ou até pela falta de gelo. Também, só algumas delas estão sendo analisadas. Então, no fim a proporção deve ser bem maior, e isso pode estar ameaçando nossas vidas também. Cada dia mais espécies são indicadas em listas de extinção, e já que nem todas estão sendo catalogadas, em função da biodiversidade que é perdida, gera grande preocupação a cientistas, biólogos e toda a defesa dos animais. A Revista Galileu mostrou que o último espécime de rinoceronte morreu e entrou em extinção e a ONG WWF apresentou o mico leão dourado como quase em extinção há muito tempo. 

No Brasil, com o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) há espaço para proteger os animais e as pesquisas confirmam que respeitar o habitat significa a sobrevivência de animais que sofrem com a devastação ambiental. Desta forma, as áreas de preservação ou conservação abrangem pontos inacessíveis ao homem, reduzindo a devastação e deixando a vida selvagem em seu próprio ritmo.

A onça pintada também pode entrar em extinção por conta dos habitat, mas os projetos brasileiros “conservação a onça” têm tido muito sucesso e a ONU meio ambiente é uma das suas protetoras. A National Geographic mostra sobre a questão dos habitats, que sofremos uma grande perda e que a principal ameaça somos nós destruindo o planeta terra. Segundo a revista, estamos regredindo rapidamente devido ao Antropoceno, uma nova era geológica que seria a Idade do Homem: “Em outras palavras, desta vez, o asteroide somos nós.” 

A perda de habitat, a caça, desmatamento e a poluição são consideradas em conjunto na contribuição à extinção, valendo para mamíferos mas também para répteis, anfíbios, peixes e até insetos. “Hoje, as taxas de extinção são centenas – talvez milhares – de vezes mais altas que a taxa histórica. São tão elevadas que os cientistas dizem que estamos à beira de uma extinção em massa.”, segundo National Geographic.

Durante o governo Bolsonaro, foi questionada a permissão de caça no Brasil. Isso porque a caça pode ser mais um fator de extinção, e por isso é importante uma legislação adequada que proteja nossa fauna, para que seja uma questão valorizada nas políticas públicas. 

Falando sobre fatores climáticos, o jornal Mongabay destaca algumas questões sobre o clima relacionadas à extinção de animais. As pesquisas indicam que as estiagens estão mais quentes e secas na Amazônia comparadas à década de 1980. “Essa alteração poderia estar causando estresse físico nas aves das espécies afetadas negativamente ou reduzindo os locais com o microclima favorito dela. Quem já não viu as terríveis imagens de ursos-polares famintos em virtude do degelo de seu habitat, que altera todo o processo migratório da espécie?”, informou ao jornal a bióloga Daiany Caroline Joner, que fez projeções do problema na Universidade Federal de Goiás (UFG). 

Os animais estão cada vez mais ameaçados, principalmente na nossa floresta amazônica. No entanto, o presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou que quem visitar o local não verá “nada queimando ou sequer um hectare de selva devastada”. No entanto, dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) “mostram que o número de focos de incêndio registrados na Amazônia de janeiro a setembro deste ano foi o maior em dez anos”, conforme publicação do portal  G1. “Em 2020, foram registrados 76.030 pontos de fogo entre 1º de janeiro e 30 de setembro. A última vez em que houve registro de número superior foi em 2010 — 102.409, no mesmo período.” Assim vemos que a extinção não é uma real preocupação de prioridade, pois a consequência das queimadas são muito importantes para toda a fauna e flora da região. 

Fonte: Envolverde

Para saber mais:
SNUC https://www.icmbio.gov.br/educacaoambiental/politicas/snuc.html

Fauna News https://brasil.mongabay.com/2020/12/mudancas-climaticas-estao-afetando-aves-ate-em-areas-intocadas-da-amazonia/

Livro Vermelho da Fauna

https://www.icmbio.gov.br/portal/ultimas-noticias/20-geral/10195-livro-vermelho-da-fauna-ja-esta-disponivel-para-download

Animais em Extinção Tigre Siberiano HD Documentário Dublado – https://youtu.be/zLaj2JtN4mI

Texto: GIORGINA REATEGUI NAVARRO

Supervisão: Professora Cláudia Moraes, disciplina Comunicação, Cidadania e Ambiente

Especial para Agência Íntegra

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes