Ir para o conteúdo Íntegra Ir para o menu Íntegra Ir para a busca no site Íntegra Ir para o rodapé Íntegra
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Atividades humanas são as maiores causas da extinção de espécies



O planeta Terra já passou por várias mudanças até chegar na forma em que está nos dias atuais, são cerca de 4,54 bilhões de anos de transformações. A extinção é um processo natural que aconteceu com várias espécies que viveram neste planeta e as espécies que se tem conhecimento agora são bem diferentes das que seriam encontradas a 10 mil anos atrás. São várias as causas de extinções, mas, atualmente, o principal intensificador desse processo é o homem. As principais causas são a caça e a pesca, destruição de habitats naturais, poluição e mudanças climáticas.


A poluição é um dos principais pilares da destruição de habitats naturais, devido ao descarte inadequado de lixos em matas, rios, lagoas e mares. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Mamirauá, no Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica, foram encontradas cerca de 600g de lixo por hectare no Médio Solimões, na Amazônia Central, sendo, em sua grande maioria plástico, até mesmo uma garrafa de refrigerante de outro país foi catalogada.


As queimadas também fazem parte desse processo de impacto na biodiversidade, tendo como causa a ampliação de áreas de pastagem, avanço da agropecuária e o aumento do desmatamento. Outro fator que influencia na propagação dos incêndios é o tempo seco e quente, assim prejudicando principalmente a fauna e a flora dos biomas Cerrado, Amazônia e Pantanal. Como consequência, além dos problemas ambientais causados pelas queimadas, existem também os problemas relacionados à saúde humana como doenças respiratórias causadas pela inalação dos gases poluentes emitidos pelos incêndios, gases esses que auxiliam no desequilíbrio da temperatura do planeta.


A caça e a pesca predatória são consideradas crimes no Brasil, porém não significa que sua prática tenha sido proibida. Segundo um grupo de pesquisadores internacionais, 70% da população de tubarões e arraias desapareceram desde 1970, e existem informações que há mãos brasileiras por trás disso. A captura do tubarão é feita através de redes e quando colocado dentro da embarcação é feita a retirada das barbatanas e a devolução do animal ao mar. Por falta de fiscalização, muitas embarcações estrangeiras acabam parando em mares brasileiros e pescam sem penalidade alguma. É necessário que a fauna tanto brasileira quanto mundial seja preservada, que os riscos decorrentes das mudanças climáticas, da pesca ilegal e da poluição sejam minimizados. Medidas de prevenção e preservação são necessárias, como a criminalização de caça e pesca, a diminuição da poluição atmosférica e diminuição do desmatamento e da poluição de rios e mares.

Desmatamento está ligado à extinção de espécies nos biomas brasileiros. Foto: Divulgação/Ibama

Para saber mais:

  • BOM DIA BR E G1 SP. G1 Globo. “Em 8 meses, Brasil tem maior n° de queimadas em áreas de Mata Atlântica dos últimos 15 anos”. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2021/08/27/em-8-meses-brasil-tem-maior-no-de-q ueimadas-em-areas-de-mata-atlantica-dos-ultimos-15-anos.ghtml
  • MAGALHÃES, Cláudia. Diário do Nordeste. “Caça predatória prejudica fauna brasileira”. Disponível em: https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/regiao/caca-predatoria-prejudica-fauna-brasilei ra-1.439484
  • SUPER. Super Interessante. “70% da população global de tubarões e arraias desapareceu desde 1979”. Disponível em: https://super.abril.com.br/ciencia/70-da-populacao-global-de-tubaroes-e-arraias-desaparece u-desde-1970/
  • AGÊNCIA DE NOTÍCIAS DE DIREITOS ANIMAIS (ANDA). Jusbrasil. “Projetos brasileiros para a preservação de espécies em extinção”. Disponível em: https://anda.jusbrasil.com.br/noticias/112110565/projetos-brasileiros-para-a-preservacao-de- especies-em-extincao

 

Texto: Gabriella Verfle e Nathaly Almeida

Supervisão: Professora Cláudia Moraes, disciplina de Comunicação, Cidadania e Ambiente

Especial para Íntegra

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-813-3932

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes