Ir para o conteúdo .TXT Ir para o menu .TXT Ir para a busca no site .TXT Ir para o rodapé .TXT
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Equipe de Futsal retorna às atividades depois de dois anos



Foto horizontal e colorida dos jogadores e comissão técnica, lado a lado, em um ginásio de esportes. Todos são homens e estão organizados em duas linhas. Doze estão atrás, em pé, com os braços para trás. Nove estão na linha da frente, levemente agachados, abraçados uns aos outros. Os atletas estão vestindo um uniforme todo branco. A comissão técnica usa roupas em tons azul claro e escuro.
UFSM Futsal antes do jogo de estreia contra o Canoas. Foto: Assessoria de Imprensa/UFSM Futsal

A UFSM Futsal/Urbanes Empreendimentos voltou às quadras após dois anos de inatividade. O retorno aconteceu no dia 03/07, contra a equipe do Canoas FC. A partida ocorreu no Centro Desportivo Municipal de Santa Maria (CDM) e foi válida pela primeira rodada da Série Ouro de Futsal, que corresponde a segunda divisão estadual. O longo período sem jogos foi devido à Pandemia de Covid-19, que inviabilizou a participação do time nas competições em 2020.

O técnico da equipe, professor Gabriel Ivan Pranke, revela que o time sentiu um pouco a falta de ritmo, após dois anos sem jogar: “Isso afetou, sem dúvidas, na questão do estilo de jogo e na forma de jogar”. Isto se deu devido ao pouco tempo de pré-temporada. O ideal, segundo Pranke, é de no mínimo dez semanas treinando, porém, isso não ocorreu por conta da falta de liberação para realizar os treinamentos naquele momento. Além disso, a UFSM Futsal disputou apenas um amistoso, que foi contra a equipe da Faculdade Antonio Meneghetti.

O ala Rogério Lima, comenta que foi um alívio voltar às quadras, mas ressalta a dificuldade do time na parte física durante os primeiros jogos: “O corpo sente essa diferença. O costume de jogar constantemente muda um pouco, mas hoje já estamos bem melhores do que quando iniciamos”, revela o jogador.

Cuidados e dificuldades na volta aos treinos e partidas

Para a volta da equipe aos treinos e jogos foi necessário seguir vários protocolos de segurança: da Federação Gaúcha de Futebol de Salão (FGFS), do município de Santa Maria e do Comitê de Biossegurança da UFSM. As medidas adotadas foram: a medição da temperatura dos atletas e das comissões técnicas na entrada do ginásio, uso de álcool em gel, distanciamento durante os períodos de treinos físicos, utilização da máscara, higienização dos equipamentos e uso de equipamentos individuais (garrafa de água). Além disso, se algum atleta manifestar sintomas gripais, ele será afastado, até que apresente um teste com resultado negativo para a Covid-19. Nas primeiras semanas, três atletas foram afastados, mas nenhum deles foi diagnosticado com a doença.

Foto horizontal e colorida de três jogadores, vestindo uniformes brancos com listras azul e laranja, comemorando o gol em um ginásio. Em foco, um homem, com pele branca e cabelo castanho claro e curto, com expressão eufórica como se estivesse gritando. Ele está com o braço direito levantado, e com o esquerdo abraçando outro jogador. À direita, um homem com cabelo preto e curto, com a testa franzida, abraça o companheiro de time. O terceiro homem está de costas, indo ao encontro dos outros dois, com os braços levemente levantados, comemorando. Ao fundo, uma rede branca e uma goleira. Atrás da rede, penduradas em uma parede branca, duas placas de propaganda, uma branca e outra azul.
Tito comemora gol com De Agostini. Foto: Assessoria de Imprensa/UFSM Futsal

As medidas de segurança, como: a falta do público, o número reduzido de jogadores, a limitação dos vestiários, o rodízio dos atletas – três por vez – e as preleções realizadas na quadra, com o adversário ao lado, geram uma mudança de estratégia. “O adversário consegue perceber as nossas instruções para os atletas e nós as deles. Então aquele fator surpresa, como uma instrução mais secreta acaba não podendo acontecer devido à falta de público”, comenta o treinador.

Disputa da Série Ouro 2021

Após um início difícil na Série Ouro, onde o time conquistou apenas um ponto em três jogos disputados, Pranke continua com a expectativa de classificar a equipe para a próxima fase, de preferência entre os quatro primeiros colocados para decidir a segunda partida em casa: “A gente pretende se classificar entre os primeiros para ter essa vantagem na próxima fase. Claro que com esses primeiros jogos, algumas coisas dificultaram em relação a esse objetivo”. Ele complementa que a equipe segue firme com a ideia da classificação e acredita ser possível realizar esse objetivo.

 Os atletas também estão confiantes e pretendem lutar até o fim pelo título: “Nosso objetivo é chegar na final, particularmente, eu quero ser campeão, penso muito nisso, me dedico muito e estamos esperando o melhor para o restante da temporada, pra quem sabe ser campeão da Série Ouro”, comentou o ala Moisés Braga. 

Reestruturação da marca

Em 2019, a UFSM Futsal/Urbanes Empreendimentos passou por um processo de reestruturação da marca, por meio de auxílio de alunos do curso de Comunicação Social – Publicidade e Propaganda. Eles buscaram uma maior divulgação do time nas redes sociais, para ampliar seu público. No ano de 2020, foi estipulado um projeto para a venda de algumas cotas de patrocínio. Isso ajudou na busca de empresários identificados com esporte, viabilizando a volta do time após esses dois anos parado.

 Além disso, o técnico apresentou o plano de divulgação da equipe na Câmara de Vereadores de Santa Maria. Os parlamentares ligados à “Frente Parlamentar à Favor do Esporte” indicaram nomes de empresários que ajudariam na sequência do projeto.

Ademais, com a indisponibilidade das quadras da UFSM, o time recebe auxílio da Prefeitura Municipal, que disponibilizou o CDM, para a realização de treinamentos, os quais ocorrem de segunda a quinta, das 20 às 22 horas e dos jogos em casa. A equipe tenta voltar a usar o espaço físico do Centro de Educação Física e Desportos (CEFD), onde podem ocorrer treinos, testagens físicas e uso dos laboratórios, para qualificar ainda mais o desempenho dos atletas, nas quadras.

Reportagem: André Hercolani e Bruno Vargas

 

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes