Ir para o conteúdo AGITTEC Ir para o menu AGITTEC Ir para a busca no site AGITTEC Ir para o rodapé AGITTEC
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Interação entre UFSM e empresa: licenciamento de tecnologia gera emprego no estado



O licenciamento permite o uso das tecnologias desenvolvidas na UFSM pelas empresas

A UFSM assinou mais um contrato de licenciamento, dessa vez a empresa contemplada é a Som Maior PRO, localizada em Frederico Westphalen – RS. A empresa desenvolveu em conjunto com a UFSM um dispositivo e método de análise do protocolo de comunicação digital DMX, que são redes de comunicação entre equipamentos de iluminação profissional. Segundo o proprietário da empresa, Luiz Miritz, será contratada mão de obra para a montagem das interfaces dentro da empresa.

A tecnologia implementada na empresa é resultado de uma pesquisa realizada entre o empresário Luiz Miritz, ex-aluno do curso de Sistemas de Informação da UFSM (campus Frederico Westphalen), e o professor do Departamento de Tecnologia da Informação da UFSM, Cristiano Bertolini. O Licenciamento de Tecnologia é um documento jurídico que permite o uso das tecnologias desenvolvidas na UFSM nas empresas. O processo foi intermediado pela Coordenadoria de Transferência de Tecnologia da Agittec em conjunto com a Coordenadoria de Propriedade Intelectual, responsável pelo acompanhamento do pedido de patente junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPE)

Sobre a tecnologia

As redes DMX são utilizadas em shows musicais, teatros, decoração de prédios e eventos. Com o dispositivo é possível realizar assistência técnica como ferramenta de teste de equipamentos. Além disso, os operadores dessas redes poderão visualizar a comunicação entre os equipamentos, contando com um sistema de análise em tempo real para diagnosticar e identificar os erros.

O empresário explica que passou por dificuldade na empresa, no que tange ao teste destes equipamentos DMX por não ter algo específico para este fim, “assim veio a ideia de estudar uma alternativa em conjunto com a empresa e universidade, resultando num produto e logo depois na patente dele”. 

Em relação à geração de emprego que a tecnologia trará, Luiz afirma que será contratada mão de obra para a montagem das interfaces dentro da empresa, “vamos precisar de mais funcionários, sem falar nas partes que serão terceirizadas, como o gabinete metálico e as placas de circuito impresso, que serão confeccionados em outras empresas”, destaca.

 

Software do Sistema de Diagnóstico DMX
Hardware do Sistema de Diagnóstico DMX

Saiba mais sobre o processo das licitações e interação entre UFSM e empresa aqui

Texto:  Luana Giazzon, acadêmica de Jornalismo, bolsista da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec) 

Fotos: Divulgação Som Maior PRO


Publicações Recentes