Ir para o conteúdo AGITTEC Ir para o menu AGITTEC Ir para a busca no site AGITTEC Ir para o rodapé AGITTEC
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Startups gaúchas representam cerca de 17% das participantes da Food Tech EXPO



Durante os dias 17, 18 e 19 de março foi realizada a maior exposição virtual de foodtechs startups da América Latina, a FoodTech EXPO II. O termo foodtech significa a utilização intensiva de inovação e tecnologia na busca de soluções para toda a cadeia alimentar, desde a produção, distribuição, venda, consumo, serviço e reciclagem. As startups gaúchas marcaram presença, somando em torno de 17% das 76 participantes. Desse montante, metade das startups são oriundas da incubadora de empresas da AGITTEC-UFSM. 

No segundo dia de evento ocorreu o Food Tech Global Challenge 2021, uma competição dividida em 4 categorias, que objetiva identificar empresas disruptivas e de impacto global nos sistemas alimentares. Das 4 empresas vencedoras, duas são gaúchas. A Weecaps, startup aprovada no último processo de incubação da AGITTEC-UFSM, competiu com empresas de diferentes países, como Israel e Holanda, sagrando-se vencedora na categoria “Dietas Nutritivas e Sustentáveis”. 

Segundo o professor do Departamento de Ciência e Tecnologia dos Alimentos da UFSM, Juliano Barin, isso tem chamado a atenção de investidores e de empresas do setor de alimentos, que têm buscado conhecer as potencialidades da UFSM e da região na área de tecnologias de alimentos. Ele, que auxiliou na organização da Food Tech EXPO, destaca que um evento como esse proporciona às empresas participantes acesso a investidores e aos maiores mentores de foodtechs em nível mundial, agregando maior visibilidade e reconhecimento da empresa e possibilitando negócios com clientes/parceiros nacionais e internacionais.

O RS está entre os 5 estados brasileiros que mais fomentam o mercado de startups. Nos últimos dois anos, o ecossistema da Região Central teve um acréscimo importante com a entrada das foodtechs. Para Rogério Assis Brasil, fundador do coletivo de empresas Sabores Urbanos, esse crescimento está aliado à boa receptividade que os centros de inovação e principalmente as universidades estão tendo no acolhimento de novas ideias. Ele destaca a importância de existirem políticas públicas direcionadas ao segmento, como o Marco Legal das Startups, que estabelece medidas de fomento ao ambiente de negócios e ao aumento da oferta de capital para investimento em empreendedorismo inovador, fornecendo uma maior segurança jurídica para os empreendedores. 

A Coordenadoria de Empreendedorismo da Agittec é responsável pelo gerenciamento das incubadoras tecnológicas da UFSM e apoia a geração e a consolidação das startups.  “Com o acolhimento da Agittec e de outros centros, acredito que estamos em um bom caminho, trilhando cada vez mais a ideia de empreender, inovar e incentivar as ideias desde as escolas, para que os grandes trabalhos não fiquem apenas nos bancos das instituições”, destaca Rogério.

Texto: Giovana Dutra, acadêmica de Jornalismo e bolsista da Agência de Inovação e Transferência de Tecnologia (Agittec)

Ilustrações: Camila Santarem, acadêmica de Desenho Industrial, bolsista da Agência de Inovação e  Transferência de Tecnologia (Agittec).

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes