Ir para o conteúdo AGITTEC Ir para o menu AGITTEC Ir para a busca no site AGITTEC Ir para o rodapé AGITTEC
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Startup de análises químicas incubada na UFSM realiza análises em campo utilizando equipamentos portáteis



O quarto episódio da terceira temporada do Programa Inovação Além do Arco apresenta a Zeit, startup de análises químicas incubada na UFSM. O cofundador Renan Buque Pardinho e sua sócia Paula Dalla Vecchia mostram seus trabalhos associados ao agronegócio brasileiro.


A Zeit está incubada na UFSM desde 2020 e tem como foco tecnologias portáteis para o setor do agro. A empresa trabalha com portabilidade em análises químicas, utilizando big data e atuando de maneira integrada com a tomada de decisão do cliente. “Nosso objetivo principal é simplificar os processos de análise e entregar economia de tempo aliada com maior rentabilidade. Para isso, utilizamos dispositivos portáteis para fazer a análise das amostras em campo. Todas as informações da amostra são enviadas via bluetooth para um aplicativo no celular, que decodifica os dados recebidos e transmite os resultados para o cliente em poucos minutos”, conta Renan.


A ideia da empresa nasceu dentro do Programa de Pós Graduação em Química da UFSM (PPGQ), com o objetivo de aliar o alto desempenho acadêmico a atividades inovadoras de viés empreendedor, que pudessem trazer retorno imediato para a sociedade. A equipe da Zeit é formada por membros do PPGQ, membros do Programa de Pós-Graduação em Zootecnia, de Tecnologia e Ciência dos Alimentos e Ciência da Computação da UFSM. É através da ciência, aplicando o conhecimento adquirido nas pesquisas científicas, que a Zeit trabalha no desenvolvimento de soluções tecnológicas inovadoras para sanar as demandas do setor produtivo.


Paula conta que a startup tem acompanhado o trabalho no campo de perto. A equipe desenvolve pesquisas e convive com produtores para entender quais são os maiores desafios e problemas enfrentados. Com isso, a startup chegou aos produtos portáteis. Segundo Paula, modelos de análises tradicionais podem demorar até 15 dias para mostrar o resultado. Com o modelo da Zeit, as análises acontecem junto com o produtor na sua própria fazenda, sem a necessidade de enviar o material ao laboratório ou mesmo esperar dias para receber alguma resposta. “Isso significa que os produtores podem realizar a coleta de amostras, analisar a qualidade do produto e outros fatores através do equipamento portátil, tomar decisões sobre a sua produtividade, saúde de plantas e animais, balanço na alimentação animal, tudo isso em apenas um toque”, conta Paula.


A expertise da Zeit já tem feito a diferença em diferentes nichos. Recentemente, a startup desenvolveu uma nova tecnologia ao lado de um grande parceiro, a Genesis Group. Dessa nova parceria nasceu uma nova empresa, a Nira, que atua na cadeia de grãos, com o mesmo foco em análises portáteis, confiáveis e assertivas nas propriedades rurais, armazéns e fábricas, possibilitando a tomada de decisões com mais agilidade e impactando na eficiência de toda a cadeia produtiva.


Assim, utilizando o conhecimento adquirido dentro da universidade, a Zeit cria soluções tecnológicas de ponta voltadas para a evolução do agronegócio brasileiro. Para conhecer mais sobre a Zeit, acesse https://zeitbr.com.br/.



Publicações Relacionadas

Publicações Recentes