Ir para o conteúdo AGITTEC Ir para o menu AGITTEC Ir para a busca no site AGITTEC Ir para o rodapé AGITTEC
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

Distrito Criativo: um novo horizonte para a inovação em Santa Maria




Santa Maria vive um momento de novas possibilidades para a inovação através do projeto Distrito Criativo, liderado pelo vice-prefeito Rodrigo Décimo (PSL) e pelas secretarias de Cultura, Desenvolvimento Econômico e Turismo. A iniciativa pretende desenvolver a economia criativa no centro histórico da cidade, que compreende a Gare da Viação Férrea, a Vila Belga e a Avenida Rio Branco. O projeto foi inspirado no Distrito 48, de Florianópolis, e será implementado por meio de um convênio com a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Em agosto, no Dia Nacional do Patrimônio Cultural, o vice-prefeito e membros das secretarias envolvidas falaram sobre o projeto com convidados, entre eles o diretor da Agittec, Hélio Leães Hey. Durante o bate-papo, propostas foram apresentadas e discutiu-se os diversos pontos do projeto, que vai muito além da revitalização dos espaços. O Distrito Criativo será um espaço de criação, inovação e movimentação.

Segundo o vice-prefeito Rodrigo Décimo, o território do Centro Histórico Ferroviário foi escolhido para abrigar o Distrito Criativo por se tratar de uma das áreas que carregam a memória da cidade de Santa Maria. “Preservar o nosso passado não é apenas ter respeito pelas pessoas e por tudo o que fizeram até agora, mas uma forma de cuidar do nosso futuro”, enfatizou.

Entre os trabalhos iniciais para a criação do Distrito Criativo, a UFSM e a UFSC fizeram um mapeamento dos habitats de inovação existentes em Santa Maria e região. Esse levantamento resultou em um E-Book , do qual o Coordenador de Empreendedorismo da Agittec na época, Silon Procath, participou da elaboração do documento.

Tipologias de habitats de inovação. Fonte: adaptado de Teixeira, Almeida e Ferreira (2016)

Durante o período, também aconteceram debates e divulgações de workshops com a finalidade de receber sugestões da população sobre os locais que serão reformados e a finalização de um plano de ação para o Distrito Criativo na cidade.

Por hora, alguns lugares já foram definidos como espaços que acontecerão as reformas, são eles: Centro Histórico Rodoviário, Avenida Rio Branco e Vila Belga, mas a lista de sugestões continua aberta em urnas nos locais, e também no site da prefeitura.

A participação da UFSM na criação do distrito é fundamental para o sucesso do projeto, afirma Décimo. “A UFSM é um centro de produção de saberes. Acreditamos que só de forma coletiva iremos construir uma sociedade mais justa, desenvolvida e sustentável. Sendo assim, não consigo perceber como a universidade estaria dissociada da construção deste processo.”

A primeira etapa, que identificou os desafios para o desenvolvimento do projeto, foi finalizada. Agora, a prefeitura trabalha na solução para as demandas apresentadas pela população na consulta pública, onde o item mais votado foi “ambiente natural e construído do local” que envolve a infraestrutura, habitação, usos de espaços e patrimônio histórico.

O projeto Distrito Criativo será um passo importante para estimular a economia e para a revitalização de patrimônios da cidade. “São as pessoas que darão vida aos locais, cabe a nós todos definirmos de forma integrada como se dará a utilização, tendo como norte sempre a sustentabilidade dos espaços” finaliza Décimo.

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-399-3898

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes