Ir para o conteúdo AGITTEC Ir para o menu AGITTEC Ir para a busca no site AGITTEC Ir para o rodapé AGITTEC
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

UFSM assina seu décimo licenciamento: tecnologia de dispositivos de aceleração de análise microbiológica será levada para o mercado pela startup Auftek



A Coordenadoria de Transferência de Tecnologia da Agittec fechou um novo contrato de licenciamento para a Universidade Federal de Santa Maria. O documento, que viabiliza a utilização de duas tecnologias desenvolvidas na Instituição, foi assinado junto à empresa Auftek, incubada na Pulsar Incubadora da UFSM. Este é o décimo licenciamento feito pela agência, o número desses repasses de tecnologia tem apresentado crescimento significativo na instituição  durante os últimos anos. 

 

Dessa vez, aconteceu algo inédito na agência, um licenciamento de duas tecnologias para a Auftek, empresa incubada na UFSM. O projeto contou com a parceria da Incubadora da UFSM, por intermédio do Grupo de Eletrônica de Potência e Controle (GEPOC) e pelo Centro de Pesquisa e Intensificação, Integração e Inovação de Processos (3i), sob orientação dos professores Dr. Leandro Michels e Dr. Juliano Barin, respectivamente.

 

Foram duas tecnologias licenciadas: “Dispositivo e método para análise de amostras”, que foi denominada como μTower. A segunda tecnologia desenvolvida é um dos elementos da μTower, que também é denominada “Dispositivo e processo para troca de calor e homogeneização de misturas em tubos de ensaio” e realizará a agitação magnética do fluido que garantirá a análise microbiológica.

 

 

 A μTower é o primeiro dispositivo brasileiro desenvolvido para identificar, monitorar o crescimento microbiano, além de possibilitar a obtenção da contagem total de bactérias na amostra. Esse equipamento busca reduzir o tempo de análises microbiológicas de dias para horas. O aparelho pode medir, por exemplo, os níveis de contaminação por salmonella em amostras de farinhas em menos de 24 horas e a contagem bacteriana total (CBT) de amostras de leite in natura em até 8 horas. Além disso, a aplicabilidade desse método pode ser estendida a outros segmentos da microbiologia, como para a análise da qualidade de bioinsumos, segurança biológica em frigoríficos e detecção rápida de doenças bacterianas em pacientes hospitalares, entre outros.

A Auftek Tecnologia é uma startup incubada na Pulsar, especializada em desenvolvimento de instrumentação para análise microbiológica.  Sua principal área de atuação é a indústria alimentícia, em redução de perdas, automatização e simplificação de análises microbiológicas com um diagnóstico rápido. 

 

Os dispositivos foram produzidos em âmbito universitário. De acordo com o CEO da Auftek, Adriano Jaime, a UFSM auxiliou em todo o processo de criação das tecnologias através da doação de equipamentos e utilização de laboratórios. “Sem a universidade nós não conseguiríamos nem desenvolver a tecnologia base que nos levou à criação destes produtos”, completa o CEO. 

 

Um licenciamento de tecnologia formaliza o direito de  outra pessoa ou empresa comercializar um dispositivo e é um processo que envolve a Agittec como um todo. A Coordenação de Propriedade Intelectual da Agittec auxilia os pesquisadores desde o início do processo e fornece assistência de pesquisa de estado da técnica para determinar se uma tecnologia atende aos requisitos de patenteabilidade até o  pedido de patente. Uma vez depositado, o  processo será acompanhado por 20 anos de proteção técnica para revisão e cumprimento de todas as exigências publicadas pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Concomitantemente a esse processo, a Coordenadoria de Transferência Tecnológica é encarregada de definir a melhor estratégia para transferir a tecnologia à sociedade, por meio de possíveis empresas interessadas. E assim, aproximar a universidade ao mercado.

Com os licenciamentos aprovados, a Auftek ganha o direito exclusivo para comercializar as novas tecnologias desenvolvidas. Para Jaime, a aprovação tem uma importância estratégica. “É fundamental. Nós entramos no mercado com os produtos, onde somente nós podemos comercializá-los. Esse licenciamento define o futuro da empresa sobre um produto que foi desenvolvido dentro da UFSM”.

 

 

Escrito e revisado por Luka de Andrade – Bolsista de Comunicação

Divulgue este conteúdo:
https://ufsm.br/r-399-4394

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes