Ir para o conteúdo CAED Ir para o menu CAED Ir para a busca no site CAED Ir para o rodapé CAED
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

MONITORAMENTO DA EVOLUÇÃO DA SINTOMATOLOGIA PÓS-TRAUMÁTICA, DEPRESSÃO E ANSIEDADE DURANTE A PANDEMIA DE COVID-19 EM BRASILEIROS – PESQUISA COVIDPsiq



Título: Monitoramento da evolução da sintomatologia pós-traumática, depressão e ansiedade durante a pandemia de COVID-19 em brasileiros – Pesquisa COVIDPsiq
Número do projeto: 053991
Número do processo: 23081.019155/2020-14
Classificação principal: Pesquisa
Resumo
Tendo em vista a evolução da pandemia pelo COVID-19 no Brasil, e a adoção de medidas de restrição social, é esperado um aumento dos casos de transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), transtornos de ansiedade e depressão. Em situações de epidemia, os serviços de saúde mental podem se tornar sobrecarregados, contudo não se sabe qual a evolução desses transtornos ao longo do tempo. Este estudo objetiva monitorar a evolução dos sintomas de TEPT, ansiedade e depressão durante a pandemia de COVID-19, em brasileiros, e investigar fatores de risco sociodemográficos, relativos à história psiquiátrica e contágio, assim como traços maladaptativos da personalidade e crescimento pós-traumático. Será um estudo longitudinal, realizado através de questionários online, com uma amostra de conveniência não-probabilística. Os critérios de inclusão são: ser brasileiro nato, ou residir no território brasileiro; ter mais de 18 anos; ter acesso a dispositivos digitais; e ser alfabetizado. Espera-se uma amostra de, no mínimo, 2000 pessoas. Os instrumentos aplicados são um questionário de pesquisa, o Posttraumatic Checklist 5 (PCL-5), a Depression, Anxiety and Stress Scale (DASS-21), o Inventário de Personalidade para o DSM-5 – forma breve (PID-5-BF), e o Inventário de Crescimento Pós-Traumático (PTGI). O estudo será realizado em quatro etapas: entrada, um mês, três meses, e seis meses após. O estudo conta com participação voluntária, com a concordância através do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. A coleta dos dados será realizada em 2020, e o estudo será concluido em 2021. Será financiado com recursos próprios, e buscar-se-á incentivo através dos órgãos de fomento à pesquisa.
Objetivos
Objetivo geral Monitorar a evolução da sintomatologia de TEPT, depressão e ansiedade numa amostra de brasileiros, durante a pandemia de COVID-19, e identificar fatores de risco sociodemográficos e relacionados aos traços maladaptativos da personalidade. Objetivos específicos • Identificar padrões de evolução (trajetórias) de sintomas de TEPT; • Documentar e relatar em tempo real a prevalência amostral e gravidade dos sintomas de TEPT no início, durante, e no declínio da pandemia; • Verificar fatores de risco sociodemográficos e relacionados aos traços maladaptativos da personalidade associados às trajetórias de sintomas de TEPT; • Verificar a estabilidade dos traços maladaptativos da personalidade durante a pandemia, ou seja, comprovar que tais traços permanecem estáveis mesmo durante acontecimentos da vida, ou não; • Relacionar a sintomatologia com variáveis atribuídas à exposição ao COVID19, como contato com casos, ter contraído a doença, estar em regiões da alta incidência, estar em quarentena/isolamento social e demais; • Comparar sintomas apresentados por profissionais que não puderam entrar em quarentena durante o período indicado (profissionais de áreas essenciais, como da saúde, limpeza, setor alimentício, setor de entregas, etc), com indivíduos que ficaram em quarentena; • Relacionar crescimento pós-traumático às trajetórias de TEPT e traços de personalidade.
Justificativa:
O número de casos de COVID-19 no Brasil está crescendo de forma alarmante e as medidas de contenção da disseminação do vírus já foram impostas em grande parte do país. Espera-se um aumento dos transtornos mentais, principalmente o TEPT, que é comumente associado a outros transtornos, e pode levar ao comportamento suicida, além de causar um grande impacto socioeconômico e para a qualidade de vida.(SHIGEMURA et al., 2020) Dado o atual cenário de pandemia pelo SARS-CoV-2 (severe acute respiratory syndrome virus 2), agente etiológico da COVID-19, bem como medidas de contenção epidemiológica como a quarentena e o isolamento social, é fundamental documentar e avaliar possíveis repercussões psíquicas. Para isso, busca-se registrar tais repercussões na maior quantidade de pessoas possível, de forma segura e acessível. O monitoramento do adoecimento psíquico possibilitará a identificação da demanda por serviços de saúde mental em tempo real. As informações da pesquisa fornecerão subsídios para o planejamento e execução de intervenções. O estudo dos fatores de risco sociodemográficos poderão identificar pessoas mais vulneráveis ao adoecimento psíquico, para a criação de ações direcionadas aos grupos de maior risco. O estudo dos traços de personalidade associados ao risco trará benefícios a longo prazo, ao identificar indivíduos com maior probabilidade de adoecimento psíquico, auxiliando no planejamento de intervenções de reforço da resiliência, em escolas, universidades, e em empresas, por exemplo.
Resultados esperados:
Espera-se demonstrar que existem pelo menos quatro trajetórias de sintomas de TEPT, depressão e ansiedade: pouco sintomática, recuperação rápida de sintomas, aumento gradual, crônico e grave desde o início. Espera-se encontrar fatores de risco associados a variáveis sociodemográficas, relativas à infecção, e traços maladaptativos de personalidade. Espera-se que as trajetórias menos sintomáticas estejam associadas a menor disfunção da personalidade e ao crescimento pós-traumático, 6 meses após o início do estudo.
Palavra-chave 1: Pandemias
Palavra-chave 2: Depressão
Palavra-chave 3: Estresse psicológico
Palavra-chave 4: Transtornos de Ansiedade.
 

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes