Ir para o conteúdo CAED Ir para o menu CAED Ir para a busca no site CAED Ir para o rodapé CAED
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita

Aviso de Conectividade Saber Mais

Início do conteúdo

PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO CUIDADO À SAÚDE



Título
PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES NO CUIDADO À SAÚDE
Número do projeto
049735
Número do processo
23081.034494/2018-14
Classificação principal
Extensão
Resumo
Práticas integrativas e complementares em saúde (PICS) são recursos terapêuticos, de caráter multiprofissional, que buscam estimular os mecanismos naturais de prevenção de doença e promoção da saúde. As PICS representam novas possibilidades de oferta de cuidado, partindo-se do pressuposto de olhar para as necessidades individuais de cada usuário. No Brasil, foram reconhecidas em 2006, com aumento na oferta pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em 2017 e, novamente, em 2018. Atualmente, totalizam 29 práticas reconhecidas e fomentadas em nosso país. O projeto de extensão que se pretende desenvolver tem por objetivo geral aplicar PICS na comunidade santameriense e região, bem como em estudantes e servidores da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Dentre os objetivos específicos, estão: proporcionar a comunidade atendida o (re) conhecimento e os benefícios das PICS no cuidado a sua saúde; atendimento aos munícipes de Santa Maria e região, bem como a estudantes, servidores e usuários do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM) e da UFSM; divulgar o Laboratório de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (LAPICS); estimular a participação no ensino, pesquisa e extensão dos estudantes de graduação, pós-graduação e de residência, quanto as PICS; possibilitar visitas de caráter educativo no LAPICS e realizar estudos avaliativos referentes às PICS aplicadas no LAPICS. A metodologia se caracteriza como multiplicadora de ideias e fomentadora do cuidado e autocuidado à saúde, por meio do uso das PICS na qualidade de vida das pessoas. Poderão participar a comunidade santamariense e da região, bem como estudantes e servidores da UFSM, os encaminhamentos aos atendimentos serão encaminhados pela Secretária Municipal de Saúde do Município de Santa Maria, Coordenadoria de Saúde e Qualidade de Vida do Servidor (CQVS) – UFSM e pelo Núcleo de Apoio à Aprendizagem em Educação (ÂNIMA) – UFSM, com agendamento prévio. Pretende-se desenvolver no período de dezembro de 2017 a dezembro de 2022. Espera-se, com a execução do projeto, além do fortalecimento do LAPICS, à criação de um espaço didático multidisciplinar na região central da cidade de Santa Maria e de fácil acesso, que possibilite o (re) conhecimento das PICS, independente das condições socioeconômicas, culturais e religiosas dos participantes. Que este espaço, seja um importante instrumento educativo e transformador no cuidado e autocuidado à saúde humana, bem como um local de referência no desenvolvimento de ensino, pesquisa e extensão sobre as PICS no referido município em parceria com a UFSM.
Objetivos
OBJETIVO GERAL Aplicar PICS na comunidade santameriense e região, bem como em estudantes e servidores da Universidade Federal de Santa Maria. OBJETIVOS ESPECÍFICOS – proporcionar a comunidade atendida o (re)conhecimento e os benefícios das PICS no cuidado a sua saúde; – atendimento aos munícipes de Santa Maria e região, bem como a estudantes, servidores e usuários do Hospital Universitário de Santa Maria(HUSM) e da UFSM; – divulgar o Laboratório de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (LAPICS); -estimular a participação no ensino, pesquisa e extensão dos estudantes de graduação, pós-graduação e de residência, quanto as PICS; – possibilitar visitas de caráter educativo no LAPICS – realizar estudos avaliativos referentes às PICS aplicadas no LAPICS
Justificativa
As Práticas integrativas e complementares em saúde (PICS) representam recursos terapêuticos diferenciados, que valorizam a escuta acolhedora, promovem o autocuidado e estimulam naturalmente mecanismos de prevenção de doenças e promoção da saúde. Fazem um contraponto à fragmentação do cuidado à saúde humana, pois observam a pessoa integralmente e em conjunto com o meio ambiente e a sociedade (BRASIL, 2018). Logo, oferecê-las como opção de cuidado os servidores e alunos de uma Instituição de Ensino Superior representa inovar e multiplicar opções de terapêuticas não convencionais, além dos claros benefícios à qualidade de vida das pessoas atendidas. Acredita-se que as PICS contribuam significativamente, não só para o resgate e preservação da diversidade cultural, mas também, para dar maior autonomia ao usuário no que diz respeito ao seu próprio cuidado (ALVIM, 1999; TESSER, BARROS, 2008). Além disso, com a execução desse projeto e a criação de um espaço didático multidisciplinar (Laboratório de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde- LAPICS), há um ganho no que diz respeito ao (re) conhecimento das PICS, independente das condições socioeconômicas, culturais e religiosas dos usuários. Este espaço possui importante potencial enquanto instrumento educativo e transformador no cuidado e autocuidado à saúde humana, com a inserção de alunos de graduação, pós-graduação e residências, bem como profissionais das diversas áreas do conhecimento, tornando o LAPICS um local de referência no desenvolvimento de ensino, pesquisa e extensão sobre as PICS na referida Universidade.
Resultados esperados
Com a realização deste projeto, pretende contemplar os objetivos da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, que são: – Incorporar e implementar as Práticas Integrativas e Complementares no SUS, na perspectiva da prevenção de agravos e da promoção e recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, voltada ao cuidado continuado, humanizado e integral em saúde; -.Contribuir ao aumento da resolubilidade do Sistema e ampliação do acesso à PNPIC, garantindo qualidade, eficácia, eficiência e segurança no uso; -Promover a racionalização das ações de saúde, estimulando alternativas inovadoras e socialmente contributivas ao desenvolvimento sustentável de comunidades e; -Estimular as ações referentes ao controle/participação social, promovendo o envolvimento responsável e continuado dos usuários, gestores e trabalhadores nas diferentes instâncias de efetivação das políticas de saúde. Neste pensar, pretende desenvolver estratégias de qualificação em PICS para profissionais, em conformidade com os princípios e diretrizes estabelecidos para educação permanente; divulgação e informação dos conhecimentos básicos das PICS para profissionais de saúde, gestores e usuários do SUS, considerando as metodologias participativas e o saber popular e tradicional; estímulo às ações intersetoriais, buscando parcerias que propiciem o desenvolvimento integral das ações e fortalecimento da participação social; Proporcionar o incentivo à pesquisa em PICS com vistas ao aprimoramento da atenção à saúde, avaliando eficiência, eficácia, efetividade e segurança dos cuidados prestados e desenvolvimento de ações de acompanhamento e avaliação da PICS, para instrumentalização de processos de gestão. As atividades multidisciplinares poderão ser realizadas, podendo se tornar um ponto de conhecimento para diversas áreas de estudo, além de possibilitar a promoção de cooperação nacional e internacional das experiências das PICS nos campos da atenção, da educação permanente e da pesquisa em saúde. Com a elaboração desta atividade de extensão, espera-se também que os usuários percebam cada prática integrativa e complementar como uma prática de cuidado a saúde, usufruindo dos benefícios trazidos por ela.
 

Publicações Relacionadas

Publicações Recentes