Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 021 Hipismo na Universidade Federal de Santa Maria



Fotografia em preto e branco e formato paisagem de ambiente externo com super exposição de luz de um cavaleiro montado em um cavalo, de perfil, saltando um obstáculo da esquerda para a direita. O cavaleiro tem pele clara, usa um chapéu preto, casaca escura, culote branco e botas pretas de cano alto. O cavalo tem a pelagem branca na parte central, em que está posicionado o cavaleiro e na pata dianteira direita. Nas demais partes, tem pelagem preta. O obstáculo é vertical de um combinado duplo com testeiras, identificado por bandeiras pequenas e escuras nas laterais. A primeira parte do combinado tem duas testeiras sobrepostas e mede aproximadamente um metro de altura. Nas laterais, duas estruturas de madeira com suportes em formato de foice apoiam os engates das testeiras. No pé de cada estrutura, um vaso com folhagens. Cerca de meio metro à direita, a segunda parte do combinado, mais estreito e levemente mais alto que o anterior, composto por uma testeira. Nas laterais, um poste com pés vazados em formato de pirâmide. A pista é ampla e cercada por uma mureta baixa e branca. À esquerda, ao fundo, em frente a mureta, dois homens, lado a lado com roupa clara. Atrás da mureta, cerca de cinquenta homens uniformizados, sentados e em pé, assistem a prova. Atrás deles, uma construção de dois pisos com três grandes janelas em cada andar. À direita, ao fundo, aproximadamente doze pessoas próximas a uma árvore sem folhas, também assistem a prova. Na lateral direita e em primeiro plano, um poste branco com pés vazados.

O hipismo destaca-se por se tratar de um nobre esporte que envolve muita dedicação, força de vontade, paciência e amor entre duas formas vivas que devem completar-se em um conjunto harmonioso.

A escola de hipismo da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) foi fundada pelo professor José Mariano da Rocha Filho junto com a criação da Universidade.

Foi no ano de 1975 que a Equipe de Hipismo do Centro de Educação Física da UFSM começou a destacar-se: foi criada uma Comissão Permanente de Hipismo, iniciou-se a construção de pistas com areia e grama, criou-se um uniforme, iniciou-se treinamento sistemático. Tudo com vista a melhorar o desempenho dos universitários que se inscreviam para representar a instituição nos festivais hípicos.

Já no ano de 1994 iniciou-se, também por meio do CEFD, o projeto de Equoterapia da UFSM, que possuía um caráter interdisciplinar, incluindo acadêmicos e profissionais de diversas áreas de educação e saúde, além da área de Equitação.  A equoterapia utiliza o cavalo como um método terapêutico e educacional inserido em um ambiente interdisciplinar de modo a auxiliar as pessoas portadoras de deficiências ou necessidades especiais.

No ano de 2000 a escola de hipismo da UFSM se tornou a Associação Equestre Universitária de Santa Maria (Equsm), uma associação sem fins lucrativos, que existe até os dias atuais. A Equsm, oferece aulas de segunda à sábado para alunos a partir dos quatro anos de idade, sem que o aluno necessite ter conhecimentos prévios sobre equitação. Atualmente a Equsm conta com projetos para incentivar o hipismo em Santa Maria.

No último final de semana de abril de 2012 a Equsm organizou, no Centro de Eventos da UFSM, a 1ª etapa do Campeonato de Saltos da Liga Hípica Central de Santa Maria.

Texto: Aline Márcia Prade, acadêmica do 5º semestre do Curso de Arquivologia da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia em preto e branco e formato paisagem de ambiente externo com super exposição de luz de um cavaleiro montado em um cavalo, de perfil, saltando um obstáculo da esquerda para a direita. O cavaleiro tem pele clara, usa um chapéu preto, casaca escura, culote branco e botas pretas de cano alto. O cavalo tem a pelagem branca na parte central, em que está posicionado o cavaleiro e na pata dianteira direita. Nas demais partes, tem pelagem preta. O obstáculo é vertical de um combinado duplo com testeiras, identificado por bandeiras pequenas e escuras nas laterais. A primeira parte do combinado tem duas testeiras sobrepostas e mede aproximadamente um metro de altura. Nas laterais, duas estruturas de madeira com suportes em formato de foice apoiam os engates das testeiras. No pé de cada estrutura, um vaso com folhagens. Cerca de meio metro à direita, a segunda parte do combinado, mais estreito e levemente mais alto que o anterior, composto por uma testeira. Nas laterais, um poste com pés vazados em formato de pirâmide. A pista é ampla e cercada por uma mureta baixa e branca. À esquerda, ao fundo, em frente a mureta, dois homens, lado a lado com roupa clara. Atrás da mureta, cerca de cinquenta homens uniformizados, sentados e em pé, assistem a prova. Atrás deles, uma construção de dois pisos com três grandes janelas em cada andar. À direita, ao fundo, aproximadamente doze pessoas próximas a uma árvore sem folhas, também assistem a prova. Na lateral direita e em primeiro plano, um poste branco com pés vazados.

Comissão de Audiodescrição da UFSM.

Artigo em Libras


Publicações Recentes