Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 030 Faculdade Interamericana de Educação



Fotografia horizontal em preto e branco de um grupo de seis mulheres que olham para outra próxima a um bloco de flip-chart em sala de aula. Todas têm pele clara, cabelos escuros e curtos, exceto uma que está com o cabelo preso. A mulher sozinha está em pé, à esquerda, de perfil, virada à direita, usa vestido escuro, acima dos joelhos, estampado, de manga curta, sandálias pretas e mostra uma linha de um quadro no bloco de flip-chart, com um retângulo branco, que segura com a mão direita. No topo da folha, “Ensino de 3º grau a serviço da reforma”. No centro, dois quadros, lado a lado e abaixo, uma lista com cinco itens. O bloco está sustentado por uma barra horizontal e um pé central e, localiza-se à frente de um quadro-negro. O grupo está à direita, em fila única, todas sentadas, viradas à esquerda, com os braços apoiados sobre as carteiras escolares claras. Sobre as mesas, livros, cadernos, pastas, óculos, carteira e um cinzeiro. Em frente às mesas, uma cadeira. Ao fundo, paredes claras, parte do quadro-negro com a palavra Paraguay na cor branca, um mapa da América do Sul pendurado e duas fotos. À direita, abaixo do quadro, uma carteira escolar e uma cadeira. Atrás do grupo, uma porta aberta com letreiros de onde se vê o corredor. No chão, listras diagonais de parquê em tons alternados de claro e escuro.

Em março de 1968 a UFSM iniciou a instalação da Faculdade Interamericana de Educação (FIE), resultado da 5° Reunião do Conselho Cultural Interamericano, realizada em Macaray, na Venezuela, reunião esta que contou com representantes de 19 países, e na delegação brasileira havia 15 membros, entre eles Tarso Dutra, Ministro da Educação e José Mariano da Rocha Filho, Reitor da UFSM. O objetivo era tratar de assuntos relacionados com o aperfeiçoamento do pessoal técnico e elevação do índice de cultura dos países componentes da Organização dos Estados Americanos (OEA), sendo apresentados mais de 45 projetos, entre eles, 27 projetos brasileiros.

O projeto da criação da faculdade foi aprovado e Santa Maria foi escolhida como sede. Alguns dos propósitos da criação eram: formar técnicos de educação e administradores escolares em nível de pós-graduação, estimular pesquisas educacionais e treinar pesquisadores, fomentar experiências nos diversos níveis da educação, difundir uma mentalidade experimental e promover o intercâmbio educacional entre os diversos sistemas e países das Américas.

A faculdade necessitava de recursos do Governo Brasileiro e da Organização dos Estados Americanos para seu funcionamento, em consequência disso Mariano da Rocha viajou a Trinidad-Tobago com a finalidade de conseguir recursos para a imediata implantação. O reitor também defendeu projetos multinacionais do Brasil, entre eles, curso de pós-graduação da Fisiopatologia da Reprodução em Rebanhos (inseminação artificial), projeto de pós-graduação em Laticínios e Projeto Multinacional de TV Educativa.

Em 1970 iniciaram-se os estudos do Curso de Pós-graduação para Pessoal Especializado em Educação e a primeira turma era composta por 24 estudantes de 11 países: Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru, República Dominicana e Uruguai. A Faculdade Interamericana de Educação originou o atual Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSM.

Texto: Kátia Moreira, acadêmica do 5° semestre do Curso de Jornalismo da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal em preto e branco de um grupo de seis mulheres que olham para outra próxima a um bloco de flip-chart em sala de aula. Todas têm pele clara, cabelos escuros e curtos, exceto uma que está com o cabelo preso. A mulher sozinha está em pé, à esquerda, de perfil, virada à direita, usa vestido escuro, acima dos joelhos, estampado, de manga curta, sandálias pretas e mostra uma linha de um quadro no bloco de flip-chart, com um retângulo branco, que segura com a mão direita. No topo da folha, “Ensino de 3º grau a serviço da reforma”. No centro, dois quadros, lado a lado e abaixo, uma lista com cinco itens. O bloco está sustentado por uma barra horizontal e um pé central e, localiza-se à frente de um quadro-negro. O grupo está à direita, em fila única, todas sentadas, viradas à esquerda, com os braços apoiados sobre as carteiras escolares claras. Sobre as mesas, livros, cadernos, pastas, óculos, carteira e um cinzeiro. Em frente às mesas, uma cadeira. Ao fundo, paredes claras, parte do quadro-negro com a palavra Paraguay na cor branca, um mapa da América do Sul pendurado e duas fotos. À direita, abaixo do quadro, uma carteira escolar e uma cadeira. Atrás do grupo, uma porta aberta com letreiros de onde se vê o corredor. No chão, listras diagonais de parquê em tons alternados de claro e escuro.

Comissão de Audiodescrição da UFSM.

Artigo em Libras


Publicações Recentes