Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 031 Escola de Enfermagem Nossa Senhora Medianeira



Fotografia em preto e branco de vinte e duas mulheres vestidas de enfermeiras e seis de freiras que olham para uma menina sentada em uma cama dentro de uma sala de aula. O grupo está ao fundo, disposto em curva com aproximadamente três filas e ocupa toda a largura da foto. Todas têm pele clara. Ao centro, à frente do grupo, uma enfermeira, curvada à direita, inclina um jarro sobre as mãos da menina, em cima de uma bacia lavatória de louça branca. Na cama de ferro branca, a menina está de frente, veste camisa branca, está com o tronco descoberto e olha para as mãos, à esquerda. Atrás da enfermeira, uma mesa de refeição e um criado-mudo hospitalares brancos. Próximo à mesa, uma enfermeira com uma bandeja com alimentos. À direita, do outro lado da cama, uma freira observa com as mãos unidas junto ao ventre. Atrás dela, outro criado-mudo e uma cadeira. As enfermeiras usam chapéus brancos sobre os cabelos curtos ou presos. Vestem camisas quadriculadas claras de manga curta com golas e dobras das mangas na cor branca. Sobre as camisas, usam aventais brancos com saias largas, bolsos laterais e comprimento abaixo dos joelhos. As freiras vestem hábitos brancos e estão espalhadas entre o grupo. Em primeiro plano, na parte inferior da foto, fileiras centrais de carteiras escolares. No chão, parquê com listras claras e escuras alternadas. Ao fundo, parede branca com crucifixo em cima de um quadro-negro.

Segundo Sena (1997) a carreira de enfermagem, desde os seus primórdios, constituiu-se, de certo modo, como um fator de democratização do acesso ao ensino superior, uma vez que franqueava suas portas às “moças de boa família”, o que poderia incluir as filhas de famílias pobres.

Nos anos 30 e 40, a Escola Anna Nery, implantada por uma missão de enfermeiras norte-americanas que adotou o modelo anglo-americano de ensino de enfermagem funcionou como padrão oficial para o país.

O primeiro curso de Enfermagem de nível universitário no Rio Grande do Sul foi a Escola de Enfermagem Nossa Senhora Medianeira, instalada em 1955 na cidade de Santa Maria. Era mantida pela Sociedade Caritativa e Literária São Francisco de Assis – Zona Central (SCALIFRA-ZN) constituída em 1951 pela Congregação das Irmãs Franciscanas, sociedade civil e mantenedora de instituições de ensino.

No ano de 1960 a Escola de Enfermagem Nossa Senhora Medianeira foi agregada a USM e em 1968 um decreto presidencial de Costa e Silva alterou sua denominação de Escola para Faculdade.

Os quinze anos de fundação da escola foram comemorados com uma grande solenidade em setembro de 1970. No ano seguinte a escola contava com 80 alunos no Curso de Enfermagem e 79 alunos no Curso de Auxiliar de Enfermagem. Entre os formandos de 1973 estavam 15 alunos sargentos da Escola de Aperfeiçoamento de Graduados da Brigada Militar.

A criação do Curso de Enfermagem da UFSM, adscrito ao Centro de Ciências Biomédicas, foi aprovada na 66ª sessão do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE), em maio de 1975. Segundo a manifestação do Reitor Hélios Homero Bernardi durante a reunião, havia uma forte pressão do Ministério da Educação para que fossem criados Cursos de Enfermagem para suprir a demanda existente.

Texto: Cristina Strohschoen dos Santos, arquivista do Departamento de Arquivo Geral da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia em preto e branco de vinte e duas mulheres vestidas de enfermeiras e seis de freiras que olham para uma menina sentada em uma cama dentro de uma sala de aula. O grupo está ao fundo, disposto em curva com aproximadamente três filas e ocupa toda a largura da foto. Todas têm pele clara. Ao centro, à frente do grupo, uma enfermeira, curvada à direita, inclina um jarro sobre as mãos da menina, em cima de uma bacia lavatória de louça branca. Na cama de ferro branca, a menina está de frente, veste camisa branca, está com o tronco descoberto e olha para as mãos, à esquerda. Atrás da enfermeira, uma mesa de refeição e um criado-mudo hospitalares brancos. Próximo à mesa, uma enfermeira com uma bandeja com alimentos. À direita, do outro lado da cama, uma freira observa com as mãos unidas junto ao ventre. Atrás dela, outro criado-mudo e uma cadeira. As enfermeiras usam chapéus brancos sobre os cabelos curtos ou presos. Vestem camisas quadriculadas claras de manga curta com golas e dobras das mangas na cor branca. Sobre as camisas, usam aventais brancos com saias largas, bolsos laterais e comprimento abaixo dos joelhos. As freiras vestem hábitos brancos e estão espalhadas entre o grupo. Em primeiro plano, na parte inferior da foto, fileiras centrais de carteiras escolares. No chão, parquê com listras claras e escuras alternadas. Ao fundo, parede branca com crucifixo em cima de um quadro-negro.

Comissão de Audiodescrição da UFSM.

Artigo em Libras


Publicações Recentes