Ir para o conteúdo DAG Ir para o menu DAG Ir para a busca no site DAG Ir para o rodapé DAG
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 059 Fazenda de Peixes em 1983



Fotografia horizontal em preto e branco de duas pessoas segurando, cada uma, um peixe sobre uma mesinha que está à frente deles. As pessoas, visíveis do tórax para baixo, vestem jalecos brancos, estão em frente a uma parede e no chão o piso é de lajotas hexagonais. À esquerda, o homem, de pele clara e aliança na mão esquerda, está injetando, com uma seringa, um líquido no peixe, que segura dentro de uma bandeja branca, retangular e esmaltada. À direita, a mulher, de pele clara e anel na mão direita, apenas segura o peixe sobre a mesa. Os peixes tem duas barbatanas longas e são da espécie jundiá. À esquerda do homem, sobre a mesa, um bisturi e um frasco de vidro contendo um terço de líquido claro.

Inaugurada em abril de 1973 pelo então Ministro do Interior José Costa Calvalcanti, a Fazenda de Peixes da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) é um setor de Piscicultura do Departamento de Zootecnia do Centro de Ciências Rurais (CCR), que visa orientar uma criação racional de peixes. Segundo a Revista O Quero-Quero, no início da década de 80 os trabalhos de pesquisa eram realizados com três tipos de peixes: Jundiá, Carpa e Tilápia, cuja alimentação era constituída de Zooplancton e Fitoplancton, além da alimentação artificial. Existiam 32 tanques externos, escavados em terra, com capacidade variável de 10 até 2.000 m². Em relação ao ensino e pesquisa, a disciplina de Piscicultura já contemplava pelo menos cinco cursos de graduação: Agronomia, Veterinária, Zootecnia, Engenharia Florestal e Ciências Biológicas.

Texto: Kátia Moreira, Acadêmica do 6° semestre do Curso de Jornalismo da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal em preto e branco de duas pessoas segurando, cada uma, um peixe sobre uma mesinha que está à frente deles. As pessoas, visíveis do tórax para baixo, vestem jalecos brancos, estão em frente a uma parede e no chão o piso é de lajotas hexagonais. À esquerda, o homem, de pele clara e aliança na mão esquerda, está injetando, com uma seringa, um líquido no peixe, que segura dentro de uma bandeja branca, retangular e esmaltada. À direita, a mulher, de pele clara e anel na mão direita, apenas segura o peixe sobre a mesa. Os peixes tem duas barbatanas longas e são da espécie jundiá. À esquerda do homem, sobre a mesa, um bisturi e um frasco de vidro contendo um terço de líquido claro.

Audiodescritora roteirista: Cristina Strohschoen dos Santos

Audiodescritor consultor: Cristian Sehnem

Artigo em Libras

Publicações Recentes