Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 108 Pólo de design têxtil em 1983



Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal, em preto e branco, de quatro mulheres e um homem trabalhando com tecidos em um laboratório têxtil. Em primeiro plano, o tampo de uma bancada retangular, que vai até o centro do ambiente. Sobre este, algumas estampas impressas em um tecido longo e único, de figuras geométricas, de borboletas, de flores, entre outras. Estas estampas são recortadas por mulheres que manejam instrumentos quadrados de madeira, como a moldura de um quadro, para a medição do recorte. São três mulheres ao redor da bancada retangular: duas na lateral esquerda, uma ao lado da outra, e uma na lateral direita. A primeira, à esquerda, enquadrada do joelho para cima, de perfil direito e inclinada sobre a bancada, manuseia com a mão esquerda um instrumento de medição enquanto segura o tecido com a mão direita, concentrada na ação. Ela é magra, com traços finos, o cabelo claro, curto e bastante ondulado, veste um suéter claro e calça escura. A mulher ao lado, enquadrada da cintura para cima, sorri e olha para a ação da primeira mulher, enquanto também segura um dos instrumentos de medição. Ela está parcialmente oculta pela primeira mulher, é magra, com rosto oval, tem o cabelo curto e crespo, em tom escuro, e, da sua vestimenta, vê-se somente as mangas. E a mulher na lateral direita da bancada, enquadrada da cintura para cima, posa de perfil esquerdo, de frente para a primeira mulher, e olha para baixo enquanto manuseia, com as duas mãos, um desses recortes de tecido. Ela é magra, alta, com traços finos, cabelo escuro, curto, que vê-se somente as pontas onduladas, pois usa uma touca de lã clara, além de vestir um moletom escuro, arremangado, com duas listras verticais nas laterais das mangas e uma figura à frente, de escritas indefinidas em meio a dois segmentos de estrelas, um acima e outro abaixo. O ambiente tem o teto baixo e azulejos claros que recobrem as paredes laterais. Na parede da esquerda, na parte superior, há um segmento horizontal de janelas quadradas com exaustores acoplados, enquanto na parte inferior encontram-se tomadas, canos onde passam fios elétricos e torneiras, além de uma bancada com algumas pias. Nessa bancada da esquerda, próxima as pias, está uma quarta mulher, enquadrada por inteiro, de perfil esquerdo e de costas. Ela tem o cabelo curto e escuro, que oculta a lateral de seu rosto, veste um suéter preto com estampas claras e horizontais nas mangas, e sua vestimenta inferior está ilegível. Ao fundo, após a bancada retangular, um homem robusto, com o rosto redondo, enquadrado da cintura para cima, olha em direção a parede esquerda e veste uma camiseta polo escura com um tipo de casaco aberto.

Em 1981 o Centro de Artes e Letras da Universidade Federal de Santa Maria inaugurou o Pólo de Design Têxtil, uma iniciativa pioneira na América do Sul e resultado de mais de 10 anos de trabalho devido a constatação de uma deficiência de criatividade e lançamentos de estampas pela indústria têxtil nacional. O Pólo contava com o Laboratório de Design Têxtil, provido de modernos equipamentos que permitiam o processamento completo de estamparias para as mais diversas finalidades. Foi construído com recursos de convênio celebrado com a Secretaria de Tecnologia Industrial do Ministério da Indústria e do Comércio. Entre as metas estava o incentivo a pesquisa e extensão do design têxtil, cursos de capacitação a docentes e um acervo de designs brasileiros, resultantes dos trabalhos que possam servir de referência de pesquisa para o futuro.

Texto: Marcele Della Flora Cortes, acadêmica do 5°semestre do Curso de Arquivologia da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal, em preto e branco, de quatro mulheres e um homem trabalhando com tecidos em um laboratório têxtil. Em primeiro plano, o tampo de uma bancada retangular, que vai até o centro do ambiente. Sobre este, algumas estampas impressas em um tecido longo e único, de figuras geométricas, de borboletas, de flores, entre outras. Estas estampas são recortadas por mulheres que manejam instrumentos quadrados de madeira, como a moldura de um quadro, para a medição do recorte. São três mulheres ao redor da bancada retangular: duas na lateral esquerda, uma ao lado da outra, e uma na lateral direita. A primeira, à esquerda, enquadrada do joelho para cima, de perfil direito e inclinada sobre a bancada, manuseia com a mão esquerda um instrumento de medição enquanto segura o tecido com a mão direita, concentrada na ação. Ela é magra, com traços finos, o cabelo claro, curto e bastante ondulado, veste um suéter claro e calça escura. A mulher ao lado, enquadrada da cintura para cima, sorri e olha para a ação da primeira mulher, enquanto também segura um dos instrumentos de medição. Ela está parcialmente oculta pela primeira mulher, é magra, com rosto oval, tem o cabelo curto e crespo, em tom escuro, e, da sua vestimenta, vê-se somente as mangas. E a mulher na lateral direita da bancada, enquadrada da cintura para cima, posa de perfil esquerdo, de frente para a primeira mulher, e olha para baixo enquanto manuseia, com as duas mãos, um desses recortes de tecido. Ela é magra, alta, com traços finos, cabelo escuro, curto, que vê-se somente as pontas onduladas, pois usa uma touca de lã clara, além de vestir um moletom escuro, arremangado, com duas listras verticais nas laterais das mangas e uma figura à frente, de escritas indefinidas em meio a dois segmentos de estrelas, um acima e outro abaixo. O ambiente tem o teto baixo e azulejos claros que recobrem as paredes laterais. Na parede da esquerda, na parte superior, há um segmento horizontal de janelas quadradas com exaustores acoplados, enquanto na parte inferior encontram-se tomadas, canos onde passam fios elétricos e torneiras, além de uma bancada com algumas pias. Nessa bancada da esquerda, próxima as pias, está uma quarta mulher, enquadrada por inteiro, de perfil esquerdo e de costas. Ela tem o cabelo curto e escuro, que oculta a lateral de seu rosto, veste um suéter preto com estampas claras e horizontais nas mangas, e sua vestimenta inferior está ilegível. Ao fundo, após a bancada retangular, um homem robusto, com o rosto redondo, enquadrado da cintura para cima, olha em direção a parede esquerda e veste uma camiseta polo escura com um tipo de casaco aberto.

À direita e ao fundo, após a mulher na lateral direita da bancada retangular, há dois grandes dutos: o primeiro, horizontal, mais central, é pendurado ao teto por um cabo, tem formato cilíndrico com estruturas em sua parte inferior que parecem cones embutidos; e, o segundo, mais para a lateral, tem formato quadrado, saindo do teto e dividindo-se em três canos, horizontais: Dois vão para o fundo da sala e um para a extrema direita. Abaixo do segundo duto, uma mesa com objetos indefinidos sobre o tampo. No teto, lâmpadas fluorescentes e vários cabos que emergem do segundo duto.

Audiodescritora roteirista: Lisiane Gräff de Oliveira

Audiodescritor consultor: Cristian Sehnem

Artigo em Libras


Publicações Recentes