Ir para o conteúdo Ir para o menu Ir para a busca Ir para o rodapé
  • Acessibilidade
  • Sítios da UFSM
  • Área restrita
Início do conteúdo

Projeto Retalhos da Memória de Santa Maria – artigo 120 Irmã Consuelo (Carmen Silveira Netto) em 1976



Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal em preto e branco de uma freira sentada junto a uma mesa, onde escreve sobre uma folha de papel, em uma sala. Ao centro, de frente e enquadramento do tórax para cima, uma mulher na faixa etária dos 60 anos, sentada atrás de uma mesa de madeira, retangular e escura. A mulher tem pele clara, rosto fino, cabelo escuro e repartido para o lado direito, sobrancelhas longas e finas, olhos semi-fechados e direcionados para baixo, nariz comprido e arredondado e lábios finos. Ela veste hábito escuro, no pescoço uma gola alta e redonda de tom claro, xale escuro,  sobre a cabeça um véu comprido  de tom escuro e uma faixa fina e clara na altura da testa que prende o véu aos cabelos. O rosto está levemente inclinado para baixo, onde escreve com a mão esquerda em um papel, e com a direita segura  um pequeno livro aberto sobre outros papeis que estão na mesa. Ainda na mesa há outros papeis, blocos e polígrafos, e um pequeno galho seco de folhagem, à esquerda, que passa por cima de dois porta canetas, tendo um deles um lápis dentro. Ao lado dos porta lápis, um cinzeiro redondo de louça escura, com três suportes em tom claro para encaixar cigarros. Atrás do cinzeiro, um carimbo de madeira de tom escuro. E do lado direito, em meio aos papeis, uma caneta. Ao fundo, uma parede clara com três janelas retangulares na parte superior. A janela da esquerda aparece parcialmente, com as persianas abertas, por onde se pode ver galhos encopados de árvores e o céu escuro. Já a janela do meio tem as persianas praticamente fechadas, enquanto a da direita só aparece uma pequena parte. 

Uma vida dedicada à educação. Carmen Silveira Netto, mais conhecida como Irmã Consuelo, foi um ícone muito importante na história da educação de Santa Maria, lembrada até hoje como uma das figuras de maior destaque na formação do perfil cultural e educacional da cidade. Nascida em 1914 em Tupanciretã, RS, deu início à suas atividades docentes em 1938 no magistério secundário do Colégio Bom Conselho em Porto Alegre. Lecionou português, espanhol, francês e latim por 20 anos no Colégio Sant’ Anna em Santa Maria. Foi fundadora da Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras, que é uma das instituições que deram origem ao Centro Universitário Franciscano (Unifra), e do primeiro Curso de Pós-Graduação em Educação. Carmen faleceu em 2012 no Convento São Francisco de Assis, aos 98 anos.

Texto: Matheus Skolaude Kelling, acadêmico do 2°semestre do Curso de Arquivologia da UFSM.

Audiodescrição da imagem: Audiodescrição da imagem: Fotografia horizontal em preto e branco de uma freira sentada junto a uma mesa, onde escreve sobre uma folha de papel, em uma sala. Ao centro, de frente e enquadramento do tórax para cima, uma mulher na faixa etária dos 60 anos, sentada atrás de uma mesa de madeira, retangular e escura. A mulher tem pele clara, rosto fino, cabelo escuro e repartido para o lado direito, sobrancelhas longas e finas, olhos semi-fechados e direcionados para baixo, nariz comprido e arredondado e lábios finos. Ela veste hábito escuro, no pescoço uma gola alta e redonda de tom claro, xale escuro,  sobre a cabeça um véu comprido  de tom escuro e uma faixa fina e clara na altura da testa que prende o véu aos cabelos. O rosto está levemente inclinado para baixo, onde escreve com a mão esquerda em um papel, e com a direita segura  um pequeno livro aberto sobre outros papeis que estão na mesa. Ainda na mesa há outros papeis, blocos e polígrafos, e um pequeno galho seco de folhagem, à esquerda, que passa por cima de dois porta canetas, tendo um deles um lápis dentro. Ao lado dos porta lápis, um cinzeiro redondo de louça escura, com três suportes em tom claro para encaixar cigarros. Atrás do cinzeiro, um carimbo de madeira de tom escuro. E do lado direito, em meio aos papeis, uma caneta. Ao fundo, uma parede clara com três janelas retangulares na parte superior. A janela da esquerda aparece parcialmente, com as persianas abertas, por onde se pode ver galhos encopados de árvores e o céu escuro. Já a janela do meio tem as persianas praticamente fechadas, enquanto a da direita só aparece uma pequena parte. 

Audiodescritora Roteirista: Geovana Gayer

Audiodescritor Consultor: Cristian Sehnem

Artigo em Libras


Publicações Recentes